Vi­sões de ou­tras dou­tri­nas

Ciencia em foco - - PSICOGRAFI­A -

Lí­cio de Araú­jo Va­le é fi­ló­so­fo, pa­dre di­o­ce­sa­no e mem­bro da As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Es­tu­dos e Pre­ven­ção ao Sui­cí­dio. Pa­ra ele, ao per­de­rem en­tes que­ri­dos, as pes­so­as bus­cam re­cur­sos na ex­pec­ta­ti­va de al­gum ti­po de alí­vio e con­so­lo di­an­te de tan­ta dor.

“No Ca­to­li­cis­mo, te­mos uma gran­de di­fi­cul­da­de com es­sa ques­tão da psi­co­gra­fia, por­que pres­su­põe uma cren­ça, que é di­fe­ren­te da nos­sa, na re­en­car­na­ção e na co­mu­ni­ca­ção en­tre mor­tos e vi­vos. Na dou­tri­na ca­tó­li­ca, acre­di­ta-se que a úni­ca coi­sa que po­de­mos fa­zer é re­zar por aque­les que par­ti­ram e acre­di­tar que fo­ram aco­lhi­dos por Deus – e que eles vi­vem na eter­ni­da­de jun­to do se­nhor, sem, po­rém, co­mu­ni­car-se co­nos­co”, ex­pli­ca o pa­dre.

Pa­ra o teó­lo­go e pas­tor Ale­xan­dre Fa­ri­as, no Cris­ti­a­nis­mo, a psi­co­gra­fia é con­si­de­ra­da ne­cro­man­cia, uma prá­ti­ca proi­bi­da e abo­mi­ná­vel aos olhos de Deus. “A Bí­blia proí­be a con­sul­ta aos mor­tos e a prá­ti­ca da me­diu­ni­da­de – re­fe­rên­cia de tex­tos bí­bli­cos Deu­te­ronô­mio 18 v.9-12; Isaías 8 v.19-20; Le­ví­ti­co 20 v.6. Não exis­te pos­si­bi­li­da­de de al­guém que já mor­reu en­trar em con­ta­to com os vi­vos (re­fe­rên­cia de tex­tos bí­bli­cos Lu­cas 16 v.22-31)”, ana­li­sa o apo­lo­gis­ta cris­tão.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.