ACERTE NAS ES­CO­LHAS

Coleção Almanaque da Saúde - - SUMÁRIO -

Sa­ber a ma­nei­ra cer­ta de com­prar, hi­gi­e­ni­zar e con­ser­var o ali­men­to fa­vo­re­ce seus be­ne­fí­ci­os à saú­de

DICA DE HIGIENE

Pa­ra não fi­car com a mão su­ja na ho­ra de es­co­lher os ali­men­tos no hor­ti­frú­ti, op­te por usar uma sa­co­li­nha na mão. Aque­la mes­ma que fi­ca dis­po­ní­vel pa­ra co­lo­car as fru­tas, ver­du­ras e le­gu­mes. A ati­tu­de ain­da evi­ta que os ali­men­tos pas­sem por vá­ri­as mãos, di­mi­nuin­do sua con­ta­mi­na­ção.

CON­SER­VA­ÇÃO

Após lim­par bem os ali­men­tos, eles po­dem ser con­ser­va­dos na ge­la­dei­ra. Pa­ra is­so, guar­de-os em sa­cos plás­ti­cos per­fu­ra­dos e na par­te de­bai­xo da ge­la­dei­ra. Se pre­fe­rir guar­dar o suco de cou­ve já pron­to, man­ten­do-o na pra­te­lei­ra de ci­ma da ge­la­dei­ra e em um re­ci­pi­en­te tam­pa­do. Con­ge­lar as folhas de cou­ve re­quer um cui­da­do mai­or, chamado de bran­que­a­du­ra: de­pois de la­va­das, jo­gue-as em água fer­ven­te por al­guns se­gun­dos e, em se­gui­da, pas­se pe­la água ge­la­da. Con­ser­ve-as em sa­cos plás­ti­cos por até seis me­ses. Elas po­dem ir di­re­to pa­ra a pa­ne­la, sem a ne­ces­si­da­de de des­con­ge­lar. Uma óti­ma dica é fa­zer cu­bi­nhos de ge­lo com a cou­ve ba­ti­da. Bas­ta adi­ci­o­nar a mis­tu­ra de cou­ve e água do li­qui­di­fi­ca­dor nas for­mi­nhas de ge­lo e le­var ao con­ge­la­dor ou fre­e­zer. Os cu­bos po­dem ser adi­ci­o­na­dos ao suco com ou sem a fo­lha de cou­ve fres­ca.

CON­SU­MO

Os su­cos que le­vam a cou­ve co­mo in­gre­di­en­te de­vem ser con­su­mi­dos lo­go após o preparo, as­sim co­mo to­do os ti­pos de su­cos. As­sim é pos­sí­vel apro­vei­tar ao má­xi­mo os nu­tri­en­tes pre­sen­tes. Vi­ta­mi­nas são as mais sen­sí­veis ao ca­lor e ex­po­si­ção à luz. Já as fi­bras e mi­ne­rais são mais re­sis­ten­tes, no en­tan­to, não dei­xe ul­tra­pas­sar um dia de preparo pa­ra con­su­mir a be­bi­da.

FRU­TAS E LE­GU­MES

As­sim co­mo a cou­ve e de­mais ver­du­ras, as fru­tas e le­gu­mes tam­bém re­que­rem cui­da­dos na ho­ra da com­pra, preparo e con­ser­va­ção. No mer­ca­do ou na fei­ra, exis­tem vá­ri­os si­nais de que os ali­men­tos es­tão ou não pró­pri­os pa­ra o con­su­mo. Fru­tas e le­gu­mes fres­cos de­vem es­tar fir­mes, sem a cas­ca en­ru­ga­da ou mur­cha. Man­chas tam­bém po­dem in­di­car par­tes apo­dre­ci­das ou pas­sa­das do pon­to. “Ao es­co­lher, não aper­te os ve­ge­tais, pois is­so faz com que es­tra­guem mais fa­cil­men­te”, des­ta­ca a nu­tri­ci­o­nis­ta Li­li­an Spe­zi­a­li. Da mes­ma for­ma que é pre­ci­so to­mar cui­da­do pa­ra não ad­qui­rir ali­men­tos mui­to ma­du­ros, (a me­nos que o con­su­mo se­ja ime­di­a­to, já que seu tem­po de con­ser­va­ção se­rá pe­que­no) ali­men­tos ver­des tam­bém de­vem ser evi­ta­dos. O ama­du­re­ci­men­to po­de não ocor­rer cor­re­ta­men­te em ca­sa, de­vi­do a fa­to­res am­bi­en­tais, co­mo ca­lor. Além dis­so, al­guns ali­men­tos po­dem até mes­mo fa­zer mal à saú­de se con­su­mi­dos ain­da ver­des, ca­so da be­rin­je­la que tem al­to te­or de so­la­ni­na, subs­tân­cia que em ex­ces­so po­de pro­vo­car dis­túr­bio in­tes­ti­nais e até pro­ble­mas no sis­te­ma ner­vo­so. A higienização dos le­gu­mes e fru­tas po­de-se dar da mes­ma for­ma que a cou­ve: lo­go após a com­pra, fa­zer uma so­lu­ção com 1 co­lher (so­pa) de água sa­ni­tá­ria pa­ra ca­da li­tro de água e dei­xar os ali­men­tos de mo­lho por 15 mi­nu­tos. De­pois, é só en­xa­guar em água cor­ren­te, ten­do cui­da­do pa­ra não ma­chu­car a cas­ca. Te­nha uma bu­cha ex­clu­si­va pa­ra la­var as cas­cas dos ali­men­tos com su­jei­ras que não saí­ram du­ran­te o mo­lho, mas não use de­ter­gen­te. Um tru­que é evi­te ti­rar o ca­bo do ve­ge­tal, pois ele pre­ser­va a água do ali­men­to e im­pe­de pos­te­ri­o­res con­ta­mi­na­ções ou seu ama­du­re­ci­men­to rá­pi­do. Guar­de na ge­la­dei­ra até du­as se­ma­nas, em sa­cos plás­ti­cos com pe­que­nos fu­ros. Pa­ra ter os le­gu­mes e fru­tas por ain­da mais tem­po, bas­ta con­ge­lá-los. De­pois de fei­ta a higienização, as fru­tas po­dem ser con­ge­la­das em cu­bos ou em for­ma de pol­pa, ba­ti­das no con­ge­la­dor. É im­por­tan­te ti­rar o má­xi­mo de ar pos­sí­vel (exis­te bom­bi­nhas de vá­cuo en­con­tra­das em lo­jas de uti­li­da­des do­més­ti­cas) an­tes de le­var ao con­ge­la­dor. Já le­gu­mes de­vem pas­sar por um cho­que tér­mi­co an­tes de serem con­ge­la­dos. Em cu­bos, le­ve à água fer­ven­te por qua­tro mi­nu­tos. Em se­gui­da, mer­gu­lhe o le­gu­me em uma va­si­lha com água e cu­bos de ge­lo por oi­to mi­nu­tos. Es­cor­ra e en­xu­gue o ali­men­to por pa­pel-to­a­lha. Le­ve em uma va­si­lha aber­ta ao con­ge­la­dor ou fre­e­zer até que os pe­da­ços en­du­re­çam. De­pois, co­lo­que-os em um sa­co plás­ti­co sem ar. Não se es­que­ça de ano­tar nos sa­qui­nhos a da­ta de con­ge­la­men­to e pro­cu­re con­su­mir den­tro de 90 di­as. Na ho­ra de des­con­ge­lar, co­lo­que os cu­bos em água fer­ven­te com sal. As fru­tas po­dem ser usa­das di­re­to no li­qui­di­fi­ca­dor.

SEM DESPERDÍCIO

Com­pre só o que for usar den­tro de três ou qua­tro di­as, pa­ra não per­der os ali­men­tos. A cou­ve, por exem­plo, fi­ca ama­re­la ra­pi­da­men­te. Fa­ça as con­tas an­tes de ir às com­pras: por exem­plo, se vo­cê usa du­as folhas de cou­ve pa­ra ca­da co­po de suco (e be­be um co­po por dia), fi­que de olho em ma­ços que te­nham oi­to folhas. Ca­so com­pre a mais, apro­vei­te o res­tan­te em ou­tras re­cei­tas, co­mo re­fo­ga­dos, sa­la­das e so­pas.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.