AR­TI­CU­LA­ÇÕES PRE­JU­DI­CA­DAS

Sai­ba mais so­bre a artrite, do­en­ça reu­má­ti­ca que não pos­sui cu­ra, mas po­de ser tra­ta­da com su­ces­so

Coleção Almanaque da Saúde - - ÍNDICE - CON­SUL­TO­RIA Clau­dia Ve­las­co e Ta­ti­a­na Mo­li­nas Ha­se­gawa, reu­ma­to­lo­gis­tas FON­TE So­ci­e­da­de Bra­si­lei­ra de Reu­ma­to­lo­gia (SBR) FO­TOS Shutterstock Images

APE­SAR DE PO­DER AFE­TAR DI­VER­SOS ÓR­GÃOS DO COR­PO HU­MA­NO, A ARTRITE REU­MA­TOI­DE – OU SIM­PLES­MEN­TE ARTRITE - É BAS­TAN­TE LEMBRADA QUAN­DO O AS­SUN­TO SÃO AS AR­TI­CU­LA­ÇÕES. “Ela se ca­rac­te­ri­za por gran­de ede­ma ar­ti­cu­lar com o sin­to­ma de ri­gi­dez pe­la ma­nhã de mais de uma ho­ra e in­ca­pa­ci­da­de fí­si­ca”, ex­pli­ca a reu­ma­to­lo­gis­ta Clau­dia Ve­las­co. Con­si­de­ra­da uma do­en­ça au­toi­mu­ne, a artrite ocor­re por­que o sis­te­ma imu­no­ló­gi­co pas­sa a ata­car a si mes­mo, in­fla­man­do as jun­tas e, in­clu­si­ve, com­pro­me­ten­do a saú­de de ou­tras re­giões do or­ga­nis­mo.

O QUE É

De uma for­ma sim­ples, a artrite é con­si­de­ra­da uma de­sig­na­ção ge­né­ri­ca de vá­ri­as en­fer­mi­da­des que po­dem cau­sar dor e in­fla­ma­ção nas ar­ti­cu­la­ções. Des­sa for­ma, quan­do uma pes­soa re­cla­ma fre­quen­te­men­te de dor e de in­cha­ço nas par­tes do cor­po que cor­res­pon­dem às ar­ti­cu­la­ções – prin­ci­pal­men­te, nas mãos e nos pés –, é pos­sí­vel que seu di­ag­nós­ti­co se­ja de artrite. Em­bo­ra não te­nha uma cau­sa es­pe­cí­fi­ca, es­sa do­en­ça in­fla­ma­tó­ria po­de ser de­tec­ta­da a par­tir dos sin­to­mas apre­sen­ta­dos, os quais in­clu­em des­de fe­bre bai­xa e can­sa­ço até ema­gre­ci­men­to e inflamações nas jun­tas, co­mo jo­e­lho, co­to­ve­lo e tor­no­ze­lo. Um dos gran­des pro­ble­mas re­la­ci­o­na­dos à artrite é que ela po­de in­ca­pa­ci­tar o pa­ci­en­te, jus­ta­men­te por­que le­va à des­trui­ção das jun­tas, o que oca­si­o­na de­for­mi­da­des e li­mi­ta­ções pa­ra o tra­ba­lho e pa­ra as de­mais ati­vi­da­des do dia a dia, até mes­mo as mais sim­ples e cor­ri­quei­ras. Con­tu­do, não é pre­ci­so se de­ses­pe­rar, uma vez que o tra­ta­men­to ade­qua­do e re­a­li­za­do pre­co­ce­men­te po­de ame­ni­zar os sin­to­mas e me­lho­rar a qua­li­da­de de vi­da de quem tem a do­en­ça, ga­ran­tin­do mais bem-es­tar.

POR TRÁS DA DO­EN­ÇA

Em­bo­ra não fa­ça dis­tin­ção na ho­ra de se de­sen­vol­ver, pois atin­ge qual­quer fai­xa etá­ria e pes­so­as de am­bos os se­xos, a artrite é mais re­cor­ren­te em mu­lhe­res que têm, em mé­dia, 50 anos de ida­de. Pa­ra se ter uma ideia, de acor­do com in­for­ma­ções da So­ci­e­da­de Bra­si­lei­ra de Reu­ma­to­lo­gia (SBR), 75% dos pa­ci­en­tes são do se­xo fe­mi­ni­no, sen­do que a in­ci­dên­cia fi­ca mai­or aci­ma dos 40 anos de ida­de. Além dis­so, in­di­ví­du­os que apre­sen­tam al­gum grau de pa­ren­tes­co com pa­ci­en­tes que pos­su­em es­sa do­en­ça têm mais chan­ces de se­rem di­ag­nos­ti­ca­dos com o pro­ble­ma, in­di­can­do que uma das cau­sas pa­ra o seu sur­gi­men­to é a pró­pria ge­né­ti­ca. Exis­tem al­gu­mas do­en­ças que po­dem con­tri­buir com o sur­gi­men­to da artrite reu­ma­toi­de, co­mo a go­ta, em que pe­que­nos cris­tais se for­mam nas ar­ti­cu­la­ções (es­se pro­ble­ma afe­ta, nor­mal­men­te, a re­gião dos pés); o lú­pus, ou­tra en­fer­mi­da­de au­toi­mu­ne, na qual o sis­te­ma imu­no­ló­gi­co po­de da­ni­fi­car as ar­ti­cu­la­ções, o co­ra­ção e ou­tros ór­gãos; e a he­pa­ti­te vi­ral, na qual uma in­fec­ção do fí­ga­do po­de oca­si­o­nar a artrite.

DE OLHO NOS SI­NAIS

O iní­cio da artrite po­de ter co­mo ca­rac­te­rís­ti­ca ape­nas uma ou pou­cas ar­ti­cu­la­ções in­cha­das, quen­tes e do­lo­ro­sas, nor­mal­men­te acom­pa­nha­da de ri­gi­dez de mo­vi­men­tos. “O sin­to­ma prin­ci­pal é a dor e a di­mi­nui­ção da fun­ção ar­ti­cu­lar, ou se­ja, da mo­bi­li­da­de das jun­tas”, es­cla­re­ce a mé­di­ca reu­ma­to­lo­gis­ta Ta­ti­a­na Mo­li­nas Ha­se­gawa. Con­tu­do, tam­bém é fun­da­men­tal fi­car aten­to a ou­tros si­nais que po­dem

in­di­car o qua­dro de artrite, tais co­mo: can­sa­ço, per­da de pe­so, ane­mia e fe­bre bai­xa. Com o pas­sar do tem­po, ca­so o tra­ta­men­to se­ja fei­to de for­ma equi­vo­ca­da, é pos­sí­vel que di­ver­sas con­sequên­ci­as se­jam no­ta­das no cor­po. As­sim, a artrite po­de oca­si­o­nar al­te­ra­ções nas mais di­ver­sas es­tru­tu­ras das ar­ti­cu­la­ções, co­mo os­sos, car­ti­la­gens, cáp­su­las ar­ti­cu­la­res, ten­dões, li­ga­men­tos e mús­cu­los que são os res­pon­sá­veis pe­lo mo­vi­men­to ar­ti­cu­lar, além de com­pli­ca­ções em ou­tros ór­gãos e áre­as do or­ga­nis­mo. En­tre­tan­to, é im­pos­sí­vel pre­ver com exa­ti­dão a evo­lu­ção da artrite, já que ela va­ria de ca­so pa­ra ca­so, apre­sen­tan­do pa­drões di­fe­ren­tes. Des­sa for­ma, al­gu­mas pes­so­as po­dem so­frer com pro­ble­mas co­mo des­vio dos de­dos em di­re­ção opos­ta ao po­le­gar e de­for­mi­da­de nos pu­nhos, en­quan­to ou­tros pa­ci­en­tes so­frem com sin­to­mas dis­tin­tos.

CO­MO DI­AG­NOS­TI­CAR

Pa­ra que o mé­di­co con­si­ga de­ter­mi­nar um di­ag­nós­ti­co pre­ci­so, é ne­ces­sá­rio ha­ver uma aná­li­se da his­tó­ria clí­ni­ca do pa­ci­en­te, além de exa­mes fí­si­cos. Se­gun­do a So­ci­e­da­de Bra­si­lei­ra de Reu­ma­to­lo­gia, al­guns exa­mes com­ple­men­ta­res, co­mo de san­gue ou de ima­gem, po­dem ser úteis, in­cluin­do as pro­vas que me­dem a ati­vi­da­de in­fla­ma­tó­ria, o fa­tor reu­ma­toi­de, ra­di­o­gra­fi­as das ar­ti­cu­la­ções aco­me­ti­das e, even­tu­al­men­te, ul­tras­so­no­gra­fia ou res­so­nân­cia das jun­tas, em ca­so de exis­ti­rem dú­vi­das. A par­tir dos re­sul­ta­dos ob­ti­dos, o pro­fis­si­o­nal de­tec­ta o qua­dro que a pes­soa apre­sen­ta, mas, ge­ral­men­te, a iden­ti­fi­ca­ção da artrite é ca­rac­te­ri­za­da quan­do os cri­té­ri­os abai­xo ocor­rem com um frequên­cia de seis se­ma­nas: ri­gi­dez ar­ti­cu­lar lo­go pe­la ma­nhã, du­ran­do em tor­no de 1 ho­ra; ao me­nos uma ar­ti­cu­la­ção das mãos ou dos pu­nhos afe­ta­da pe­lo in­cha­ço; pre­sen­ça de nó­du­los reu­ma­toi­des ao re­dor da ar­ti­cu­la­ção; al­te­ra­ções ra­di­o­grá­fi­cas, co­mo des­cal­ci­fi­ca­ções lo­ca­li­za­das nas ar­ti­cu­la­ções com­pro­me­ti­das.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.