An­tes de be­ber

Con­fi­ra um pas­so a pas­so de co­mo ob­ter um su­co detox sau­dá­vel, sa­bo­ro­so e mui­to nu­tri­ti­vo

Coleção Almanaque da Saúde - - NEWS -

AO LON­GO DAS PÁGINAS DES­SA REVISTA, VO­CÊ IRÁ DESCOBRIR TU­DO DE BOM QUE OS SU­COS, EM SEUS MAIS VA­RI­A­DOS INGREDIENTES, TÊM PA­RA OFERECER. No en­tan­to, an­tes de ma­tar a sua se­de, é pre­ci­so sa­ber apro­vei­tar ao má­xi­mo os be­ne­fí­ci­os de ca­da co­po. Pa­ra um su­co de­vi­da­men­te re­fres­can­te, sa­bo­ro­so e sau­dá­vel, os cuidados co­me­çam pe­la com­pra dos ingredientes cer­tos, pas­sam pe­lo seu ar­ma­ze­na­men­to e ter­mi­nam no preparo. Sa­ben­do dis­so tu­do e se­guin­do as di­cas a se­guir, vo­cê irá des­fru­tar ain­da mais de ca­da go­le!

1 – ÀS COMPRAS

Na hora da es­co­lha das fru­tas que for in­cluir na receita, o se­gre­do é op­tar pe­los pro­du­tos que es­tão na sua de­ter­mi­na­da épo­ca. No ca­so da ace­ro­la, por exem­plo, as me­lho­res sa­fras ocor­rem en­tre os me­ses de se­tem­bro e de­zem­bro, sen­do que, en­tre ju­nho e agos­to, di­fi­cil­men­te os exem­pla­res en­con­tra­dos pa­ra co­mer­ci­a­li­za­ção es­ta­rão em bo­as con­di­ções. E não são ape­nas as fru­tas: as me­lho­res fo­lhas da cou­ve, mui­to usa­das pa­ra o su­co ver­de, são en­con­tra­das no pe­río­do que vai de maio a no­vem­bro. Na ta­be­la da pá­gi­na 9, vo­cê con­fe­re a épo­ca cer­ta de ca­da ali­men­to. Lem­bran­do que não se tra­ta de uma re­gra, mas, quan­do sair à pro­cu­ra de al­guns des­ses itens fo­ra de sua épo­ca, olhe com um pou­co mais de aten­ção, cer­to? E não é pre­ci­so lo­tar a ge­la­dei­ra. Com­pre o que for con­su­mir den­tro de qua­tro ou cin­co di­as pa­ra, além de ob­ter mais sa­bor, evi­tar des­per­dí­ci­os. Sem fa­lar que tam­bém é pos­sí­vel con­su­mir as fru­tas in na­tu­ra ou em ou­tras re­cei­tas (de sa­la­das, por exem­plo). O mes­mo va­le pa­ra ver­du­ras e le­gu­mes.

2 – HIGIENIZANDO

Al­gu­mas fru­tas e le­gu­mes em es­pe­ci­al, co­mo a maçã ou a berinjela, apre­sen­tam nu­tri­en­tes va­li­o­sos jus­ta­men­te na sua cas­ca, que mui­ta gen­te cos­tu­ma jo­gar fo­ra. A di­ca é in­ge­ri-los na ín­te­gra, em­bo­ra al­guns cuidados com a cas­ca se­jam ne­ces­sá­ri­os, uma vez que re­sí­du­os de agro­tó­xi­cos po­dem per­ma­ne­cer ali. Por­tan­to, la­ve-os bem em água po­tá­vel an­tes de co­mer. Pa­ra a cou­ve e al­gu­mas ver­du­ras ru­go­sas, pas­se os de­dos por sua su­per­fí­cie du­ran­te a lim­pe­za. Quan­do se tra­tar de ve­ge­tais em ge­ral, uma boa di­ca pa­ra eli­mi­nar mi­cro-or­ga­nis­mos in­vi­sí­veis a olho nu é dei­xar de mo­lho por meia-hora em uma mis­tu­ra fei­ta com 1 co­lher (so­pa) de água sa­ni­tá­ria pa­ra ca­da li­tro de água co­mum. De­pois, en­xa­gue em água cor­ren­te no­va­men­te.

3 – NA GE­LA­DEI­RA

De­pois da hi­gi­e­ni­za­ção, pro­cu­re guar­dar as fru­tas e le­gu­mes em sa­cos plás­ti­cos per­fu­ra­dos, na par­te de bai­xo da ge­la­dei­ra. O preparo dos su­cos é sim­ples e rá­pi­do. Mes­mo as­sim, há quem, na cor­re­ria do dia a dia, es­te­ja sem­pre com os mi­nu­tos con­ta­dos pa­ra sair de ca­sa – um pro­ble­ma, pois um ca­fé da ma­nhã sau­dá­vel faz mui­ta di­fe­ren­ça pa­ra en­ca­rar com o pi­que de­vi­do os afa­ze­res que vi­rão pe­la fren­te. “Dei­xe fru­tas, le­gu­mes e ver­du­ras la­va­dos e pron­tos pa­ra o con­su­mo. Maçã, pe­ra, ca­ram­bo­la e uva, por exem­plo, po­dem ser con­su­mi­das com a cas­ca mes­mo”, acon­se­lha a nu­tri­ci­o­nis­ta Fer­nan­da Gran­ja. Se vo­cê tem pou­co tem­po pa­ra ir ao su­per­mer­ca­do, exis­te tam­bém a al­ter­na­ti­va de com­prar de uma só vez uma quan­ti­da­de mai­or de itens e de­pois con­ge­lá-los. Ao che­gar em ca­sa, pri­mei­ro hi­gi­e­ni­ze tu­do de­vi­da­men­te. De­pois, pi­que os alimentos e co­lo­que-os em sa­cos plás­ti­cos, re­ti­ran­do todo o ar, an­tes de guar­dar no con­ge­la­dor. O me­lhor é que, em ca­da em­ba­la­gem, se con­ge­le pe­que­nas por­ções pa­ra se­rem usa­das de uma vez só. Daí, na hora do preparo, bas­ta ba­ter no li­qui­di­fi­ca­dor com al­gum lí­qui­do, co­mo água, su­co de la­ran­ja ou água de co­co.

4 – MÃOS À OBRA!

Che­gou a hora do preparo. O mais co­mum é usar um li­qui­di­fi­ca­dor, mas tam­bém exis­te a pos­si­bi­li­da­de de con­tar com uma cen­trí­fu­ga. Ca­so pre­fi­ra a se­gun­da op­ção, não é ne­ces­sá­rio o acrés­ci­mo de água: bas­ta co­lo­car to­dos os ingredientes, sem nem mes­mo des­cas­car. A des­van­ta­gem es­tá na per­da das fi­bras, que es­ta­ri­am pre­sen­tes no ba­ga­ço que so­bra, que o pró­prio apa­re­lho se en­car­re­ga de co­ar. No li­qui­di­fi­ca­dor, vo­cê po­de usar água ou al­gum ou­tro su­co ba­ti­do com no­vos ingredientes – ou até um chá, ca­so quei­ra ino­var (ve­ja al­gu­mas re­cei­tas na pá­gi­na 40). Co­mo um mai­or nú­me­ro de fi­bras são man­ti­das, é a al­ter­na­ti­va mais in­di­ca­da pa­ra quem so­fre de pri­são de ven­tre ou qu­er re­du­zir o co­les­te­rol, por exem­plo. Nes­se ca­so, dis­pen­se tam­bém a pe­nei­ra, ok?

5 – MATANDO A SE­DE

Sem­pre que pos­sí­vel, be­ba o su­co ime­di­a­ta­men­te após o preparo, pois as­sim vo­cê es­ta­rá apro­vei­tan­do de­vi­da­men­te os nu­tri­en­tes à dis­po­si­ção: “É im­por­tan­te res­sal­tar que todo ali­men­to, quan­do ex­pos­to a al­tas tem­pe­ra­tu­ras ou à luz, po­de so­frer per­da de mi­cro­nu­tri­en­tes co­mo a vi­ta­mi­na C, que é sen­sí­vel à luz e ao ca­lor. Ou­tras vi­ta­mi­nas ain­da po­dem so­frer oxi­da­ção”, ex­pli­ca Fer­nan­da. Mi­ne­rais e fi­bras, nes­se ca­so, se man­têm mes­mo com o su­co pron­to já há al­gum tem­po. Se for guar­dar, dei­xe-o na pra­te­lei­ra de ci­ma da ge­la­dei­ra e, mes­mo as­sim, be­ba-o ain­da no mes­mo dia.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.