Tre­ze são pre­sos por frau­des em ins­ti­tu­tos de pre­vi­dên­cia mu­ni­ci­pal

Correio da Bahia - - Mais -

Em se­te es­ta­dos, 13 pes­so­as fo­ram pre­sas, on­tem, pe­la PF na Ope­ra­ção En­ci­lha­men­to, que apu­rou frau­des que en­vol­vi­am apli­ca­ções de 28 ins­ti­tu­tos mu­ni­ci­pais de pre­vi­dên­cia em fun­dos de in­ves­ti­men­to que têm, en­tre seus ati­vos, de­bên­tu­res sem las­tro emi­ti­das por em­pre­sas de fa­cha­da.

Os man­da­dos de pri­são, bus­ca e apre­en­são fo­ram cum­pri­dos em Goiás, San­ta Ca­ta­ri­na, Ma­to Gros­so, Pa­ra­ná, Mi­nas Ge­rais, Rio de Ja­nei­ro e São Pau­lo.

O va­lor das de­bên­tu­res ul­tra­pas­sa R$ 1,3 bi­lhão. Um dos en­vol­vi­dos é o em­pre­sá­rio Arthur Má­rio Pinheiro, que tam­bém foi pre­so on­tem pe­la Ope­ra­ção Ri­zo­ma, no Rio de Ja­nei­ro.

Na En­ci­lha­men­to, fo­ram pre­sos ainda um ex-pre­fei­to de Uber­lân­dia (MG) e se­cre­tá­ri­os, em­pre­sá­ri­os, ges­to­res e di­re­to­res de ins­ti­tu­tos.

Tam­bém foi de­ti­da a con­ta­do­ra Mei­re Po­za, ex-fun­ci­o­ná­ria do do­lei­ro Al­ber­to Yous­sef, que fez delação pre­mi­a­da na Ope­ra­ção La­va Ja­to e apon­tou o elo do es­que­ma de pro­pi­nas na Pe­tro­bras com o nú­cleo po­lí­ti­co de­pu­ta­dos, se­na­do­res e go­ver­na­do­res.

Mei­re tra­ba­lha­va na GFD In­ves­ti­men­tos, uma das em­pre­sas de fa­cha­da do do­lei­ro, usa­da pa­ra la­var di­nhei­ro ilí­ci­to e en­ca­mi­nhar pro­pi­nas a po­lí­ti­cos. Mei­re não fez delação pre­mi­a­da, mas co­la­bo­rou com as in­ves­ti­ga­ções e se tor­nou tes­te­mu­nha im­por­tan­te da La­va Ja­to.

Os 28 ins­ti­tu­tos mu­ni­ci­pais de pre­vi­dên­cia al­vo da ope­ra­ção in­ves­ti­ram em fun­dos que, por sua vez, ad­qui­ri­ram de­bên­tu­res, que são tí­tu­los de dí­vi­da que ge­ram um cré­di­to ao in­ves­ti­dor. No en­tan­to, es­sas de­bên­tu­res não ti­nham las­tro.

Até o mo­men­to, in­for­mou a PF, 13 fun­dos de in­ves­ti­men­to es­tão sen­do di­re­ta­men­te in­ves­ti­ga­dos. Um des­ses fun­dos con­se­guiu au­to­ri­za­ção pa­ra emi­tir R$ 750 mi­lhões em de­bên­tu­res, ten­do ca­pi­tal so­ci­al de ape­nas R$ 500. Em ape­nas oi­to des­ses fun­dos foi cons­ta­ta­da a exis­tên­cia de R$ 827 mi­lhões, di­nhei­ro que se­ria des­ti­na­do ao pa­ga­men­to das apo­sen­ta­do­ri­as de ser­vi­do­res mu­ni­ci­pais.

“A ope­ra­ção des­ven­dou um gran­de es­que­ma en­vol­ven­do cor­re­to­ras de va­lo­res, em­pre­sas de fa­cha­da, con­sul­to­res de in­ves­ti­men­tos e vá­ri­os ins­ti­tu­tos de pre­vi­dên­cia li­ga­dos a pre­fei­tu­ras em São Pau­lo e ou­tros es­ta­dos. A or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa cau­sou um enor­me pre­juí­zo ao pa­trimô­nio des­ses ins­ti­tu­tos de pre­vi­dên­cia”, dis­se Vic­tor Hu­go Ro­dri­gues Al­ves, che­fe da De­le­ga­cia de Com­ba­te à Cor­rup­ção e de Cri­mes Fi­nan­cei­ros.

Um dos ca­sos mais gra­ves ob­ser­va­dos ocor­reu em Uber­lân­dia. Em 2013, o ins­ti­tu­to de pre­vi­dên­cia da ci­da­de mi­nei­ra ti­nha uma car­tei­ra de cer­ca de R$ 350 mi­lhões, re­fe­ren­tes à con­tri­bui­ção dos ser­vi­do­res mu­ni­ci­pais. Ao lon­go do tem­po, cer­ca de R$ 300 mi­lhões do ins­ti­tu­to fo­ram in­ves­ti­dos em fun­dos sus­pei­tos.

Os in­ves­ti­ga­dos na ope­ra­ção res­pon­de­rão por cri­mes con­tra o Sis­te­ma Fi­nan­cei­ro Na­ci­o­nal, frau­de à li­ci­ta­ção, cor­rup­ção ati­va e pas­si­va e la­va­gem de di­nhei­ro, com pe­nas pre­vis­tas de dois a 12 anos de pri­são.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.