AÇÕES E FUN­DOS DE AÇÕES

Correio da Bahia - - Esporte -

Ain­da de acor­do com Cas­seb, os fun­dos mul­ti­mer­ca­dos e de ren­da va­riá­vel aca­bam cri­an­do a cur­to e mé­dio pra­zos to­da es­ta “an­si­e­da­de”. Quan­to aos ju­ros, a Se­lic caiu tan­to que o ren­di­men­to dos ati­vos de ren­da fi­xa es­tão com ga­nhos mui­to pa­re­ci­dos.

“Do pon­to de vis­ta de re­tor­no a lon­go pra­zo, mi­nhas apos­tas são as Le­tras de Cré­di­to (LCIs e LCAs) por­que aí pe­sa o me­lhor cus­to be­ne­fí­cio de­vi­do à isen­ção do Im­pos­to de Ren­da". Pa­ra ele, o in­ves­ti­dor ain­da pre­ci­sa es­pe­rar um pou­co pa­ra dei­xar os pré-fi­xa­dos. “É ob­ser­var o ga­nho re­al e com­pa­rar as van­ta­gens. Ain­da exis­te mui­ta in­de­fi­ni­ção po­li­ti­ca”, com­ple­men­ta o eco­no­mis­ta. Pe­dro Hen­ri­que Ra­be­lo, pre­si­den­te da WM Ma­nhat­tan O Ín­di­ce Bo­ves­pa (IBOV) te­ve um de­sem­pe­nho ex­tra­or­di­ná­rio no 1º tri­mes­tre. Os fun­dos de ações se­guem na es­tei­ra des­se bom hu­mor na bol­sa de va­lo­res. Em fun­ção da re­cu­pe­ra­ção da eco­no­mia e da sequên­cia de cor­tes na ta­xa bá­si­ca de ju­ros, é de se es­pe­rar que a bol­sa si­ga na ten­dên­cia de al­ta aci­ma dos 80.000 pon­tos. Além da ques­tão elei­to­ral é ne­ces­sá­rio mo­ni­to­rar o acir­ra­men­to das ten­sões en­tre EUA e Chi­na com a pos­sí­vel eclo­são de uma guerra co­mer­ci­al. O in­ves­ti­dor de­ve tam­bém bus­car co­nhe­ci­men­to a fim de não to­mar ati­tu­des pre­ci­pi­ta­das e com­pro­me­ter o ris­co/re­tor­no de su­as ope­ra­ções.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.