Re­cu­sa em fa­zer tes­te do bafô­me­tro tam­bém ge­ra mul­ta

Correio da Bahia - - Mais -

No ano pas­sa­do, mais de 93% dos con­du­to­res abor­da­dos em blitz da Lei Se­ca pe­la Tran­sal­va­dor se re­cu­sa­ram a fa­zer o tes­te do bafô­me­tro. “E, mes­mo o con­du­tor se re­cu­san­do, ain­da po­de ser en­ca­mi­nha­do à de­le­ga­cia se apre­sen­tar ca­rac­te­rís­ti­cas de ca­pa­ci­da­de mo­to­ra afe­ta­da, co­mo de­se­qui­lí­brio, es­tar de­so­ri­en­ta­do, há­li­to etí­li­co... Ou se­ja, um con­jun­to de si­nais que de­mons­trem que ele não tem ca­pa­ci­da­de de es­tar con­du­zin­do um veí­cu­lo”, aler­ta o ca­pi­tão Már­cio San­tos, do De­tran.

Em ju­lho pas­sa­do, por exem­plo, um mo­to­ris­ta so­freu um gra­ve aci­den­te na Ave­ni­da Tan­cre­do Ne­ves, ao ten­tar fu­gir de uma blitz.

Foi nu­ma das abor­da­gens que a fi­si­o­te­ra­peu­ta Cris­ti­na*, 26 anos, foi au­tu­a­da. A pri­mei­ra vez foi em 2014, quan­do vol­ta­va de sua fes­ta de des­pe­di­da. Pas­sou um ano sem po­der di­ri­gir – coin­ci­diu com o tem­po em que mo­rou na In­gla­ter­ra.

“Não ti­nha be­bi­do mui­to. Só uns três co­pos, mas, na­que­la épo­ca, eu não dei­xa­va de di­ri­gir por­que es­ta­va be­ben­do. Só be­bia pou­co, até por­que acho que não ti­nha tan­ta blitz quan­to ho­je”.

De­pois, no ano se­guin­te, foi no­va­men­te abor­da­da no trân­si­to e au­tu­a­da. Co­mo era rein­ci­den­te, es­tá sem CNH des­de o ano pas­sa­do. “Vou ter que vol­tar pa­ra a au­to­es­co­la e fa­zer o pro­ces­so to­do de novo”, ad­mi­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.