Ho­ra de acor­dar

Correio da Bahia - - Esporte - Fernanda Va­re­la

Já são qua­tro jo­gos sem co­me­mo­rar. O Vi­tó­ria amar­ga uma sequên­cia de três der­ro­tas e um em­pa­te, em di­fe­ren­tes com­pe­ti­ções.

O iní­cio des­sa sequên­cia foi no Cam­pe­o­na­to Bai­a­no, quan­do o ru­bro-ne­gro per­deu os dois jo­gos da fi­nal pa­ra o Bahia, e, con­se­quen­te­men­te, dei­xou o tor­neio sem o ca­ne­co. Em se­gui­da, jo­gou a par­ti­da de ida pe­la quar­ta fa­se da Co­pa do Bra­sil, con­tra o In­ter­na­ci­o­nal, em Por­to Ale­gre, e viu o ti­me gaú­cho ven­cer por 2x1, após fa­lha do go­lei­ro Caí­que no fim do jo­go.

No sá­ba­do, pe­la es­treia no Cam­pe­o­na­to Bra­si­lei­ro, o ti­me do téc­ni­co Vag­ner Mancini au­men­tou o je­jum e fi­cou no em­pa­te em 2x2 com o Fla­men­go, no Bar­ra­dão.

Um dos mo­ti­vos pa­ra es­sa má fa­se, se­gun­do Rhay­ner, é a quan­ti­da­de de atle­tas que es­tão no de­par­ta­men­to mé­di­co - ho­je, es­tão por lá Neil­ton, Fil­li­pe Sout­to, Lu­an, Bryan, An­dré Li­ma e Clei­ton Xa­vi­er, ma­chu­ca­dos.

“Fa­lar de en­tro­sa­men­to nes­sa al­tu­ra é bem com­pli­ca­do. Além dos jo­ga­do­res ma­chu­ca­dos, ti­ve­mos as sus­pen­sões. Nes­ses úl­ti­mos dois me­ses, foi di­fí­cil jo­gar­mos com o ti­me com­ple­to. Nes­sa ho­ra, te­mos que mos­trar for­ça do elen­co, superação e per­so­na­li­da­de pa­ra sa­ber que (o subs­ti­tu­to) es­tá en­tran­do na fun­ção de al­guém que vi­nha bem e tem que de­sem­pe­nhar igual ou me­lhor. Sa­ber que os que es­tão lá são im­por­tan­tes, mas os que es­tão em cam­po são mais ain­da”, ava­li­ou o meia.

No es­ta­du­al, o Vi­tó­ria per­deu Rhay­ner, Ya­go, De­nil­son e Ka­nu, to­dos pu­ni­dos após en­vol­vi­men­tos na bri­ga do pri­mei­ro Ba-Vi do ano. Ape­sar do re­cen­te re­tros­pec­to ne­ga­ti­vo, o Leão tem bons nú­me­ros na tem­po­ra­da. São 25 jo­gos, com 15 triun­fos. O ti­me em­pa­tou ou­tros qua­tro e per­deu ape­nas seis. Fo­ram 52 gols mar­ca­dos e 30 so­fri­dos.

O Vi­tó­ria es­tá no mo­men­to ide­al pa­ra mos­trar o seu po­der de re­a­ção. Na quin­ta-fei­ra, o Leão faz um jo­go de­ci­si­vo con­tra o In­ter. A par­ti­da de vol­ta, que po­de ga­ran­tir va­ga nas oi­ta­vas de fi­nal da Co­pa do Bra­sil, se­rá às 19h15, no Bar­ra­dão. Pa­ra avan­çar, o ru­bro-ne­gro pre­ci­sa ven­cer por dois gols de di­fe­ren­ça - se ven­cer por ape­nas um, a dis­pu­ta vai pa­ra os pê­nal­tis. Qual­quer ou­tro re­sul­ta­do clas­si­fi­ca o Co­lo­ra­do.

A mis­são é di­fí­cil. Além de não po­der er­rar, o Vi­tó­ria se­gue sem con­tar com um dos seus prin­ci­pais atle­tas, o ata­can­te Neil­ton, que é ar­ti­lhei­ro do ti­me, com 13 gols. No en­tan­to, o Leão não tem tem­po pa­ra la­men­tar.

De vol­ta ao ti­me ti­tu­lar e com a bra­ça­dei­ra de ca­pi­tão re­cu­pe­ra­da, o vo­lan­te Wil­li­an Fa­ri­as pe­de um “jo­go per­fei­to” con­tra os gaú­chos. “Va­mos en­fren­tar uma gran­de equi­pe e pre­ci­sa­mos es­tar pre­pa­ra­dos. Te­mos que fa­zer um jo­go per­fei­to, sem er­ros. Te­mos que ter mui­ta in­ten­si­da­de pa­ra al­can­çar­mos o re­sul­ta­do que pre­ci­sa­mos”, ana­li­sou o atle­ta.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.