Opo­si­ção critica vo­ta­ção do re­a­jus­te

Correio da Bahia - - Mais -

An­tes mes­mo da vo­ta­ção acontecer, al­guns se­na­do­res já cri­ti­ca­vam a me­di­da. A se­na­do­ra Re­gi­na Sou­sa (PT-PI), por exem­plo, de­fen­deu que a ma­té­ria não en­tras­se em pau­ta. “Eu não acre­di­to que es­te Se­na­do vá vo­tar a fa­vor dis­so, por­que, ao mes­mo tem­po em que se quer vo­tar re­a­jus­te pa­ra quem es­tá no an­dar de ci­ma, no úl­ti­mo an­dar, há um pro­je­to pa­ra adi­ar o re­a­jus­te dos ser­vi­do­res pa­ra 2020. Que con­tra­di­ção é es­sa? Não tem pa­ra os ser­vi­do­res, não po­de ter pa­ra os magistrados tam­bém. Sem fa­lar no efei­to cas­ca­ta pa­ra os es­ta­dos”, afir­mou Re­gi­na.

A se­na­do­ra Glei­si Hoff­mann (PT-PR) des­ta­cou a fal­ta de trans­pa­rên­cia na ar­ti­cu­la­ção pa­ra a vo­ta­ção. “Is­so não foi dis­cu­ti­do com ne­nhum lí­der, em ne­nhum âm­bi­to de co­mis­sões. Sim­ples­men­te foi co­lo­ca­do na pau­ta”, dis­se a se­na­do­ra. “Sou con­tra o re­a­jus­te do Ju­di­ciá­rio. Não tem ca­bi­men­to e é ofen­si­vo à po­pu­la­ção, que so­fre com de­sem­pre­go e bai­xa ren­da”, acres­cen­tou.

O se­na­dor Mag­no Mal­ta (PR-ES), ali­a­do de Jair Bol­so­na­ro (PSL) e um dos co­ta­dos pa­ra fa­zer par­te do pri­mei­ro es­ca­lão mi­nis­te­ri­al, ques­ti­o­nou a sen­si­bi­li­da­de dos mi­nis­tros da Su­pre­ma Corte em men­sa­gem no Twit­ter. “O STF quer au­men­to sem ter a sen­si­bi­li­da­de de que o país tem 14 mi­lhões de de­sem­pre­ga­dos”, es­cre­veu.

O se­na­dor Ran­dol­fe Rodrigues (Re­de-AP) foi ou­tro que de­cla­rou o vo­to con­trá­rio. “Vo­ta­rei con­tra: se apro­va­do (o re­a­jus­te), au­men­ta­rá o rom­bo das con­tas pú­bli­cas e pres­si­o­na­rá ain­da mais a re­for­ma da Pre­vi­dên­cia dos tra­ba­lha­do­res mais po­bres”, ava­li­ou. Ao sair de um ca­fé da ma­nhã, on­tem, no Comando da Ae­ro­náu­ti­ca, o pre­si­den­te elei­to, Jair Bol­so­na­ro, dis­se que “ob­vi­a­men­te não é o mo­men­to” de se apro­var um au­men­to do sa­lá­rio dos ser­vi­do­res do Ju­di­ciá­rio, já que o país en­fren­ta um gran­de dé­fi­cit or­ça­men­tá­rio.

“Ve­jo com pre­o­cu­pa­ção es­sa ini­ci­a­ti­va”, dis­se o pre­si­den­te elei­to an­tes da vo­ta­ção. “Es­ta­mos em uma fa­se que ou to­do mun­do tem ou nin­guém tem. E o Ju­di­ciá­rio é o mais bem aqui­nho­a­do”, co­men­tou ao di­zer que o pre­si­den­te do Se­na­do, Eu­ní­cio Oli­vei­ra (MDB-CE), não lhe fa­lou da possibilidade de o re­a­jus­te ser co­lo­ca­do em pau­ta on­tem.

An­tes do seu en­con­tro, tam­bém on­tem, com o pre­si­den­te do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral, Di­as Tof­fo­li, Bol­so­na­ro dis­se que ia con­ver­sar com ele so­bre a ques­tão. “Es­ta­mos no mes­mo bar­co. Não exis­tem três po­de­res. É um po­der só e o que es­tá em jo­go é o fu­tu­ro do Bra­sil. Es­ta­mos em uma pro­fun­da cri­se éti­ca, mo­ral e econô­mi­ca e a res­pon­sa­bi­li­da­de tem de ser di­vi­di­da por to­dos. Não vai ser uma pes­soa que vai sal­var o Bra­sil e, nes­se con­jun­to, es­tão to­dos os in­te­gran­tes dos três po­de­res”, afir­mou. “Es­ta­mos en­cer­ran­do um ano com dé­fi­cit, va­mos entrar em ou­tro ano com dé­fi­cit”, acres­cen­tou.

No en­tan­do, se­gun­do o pre­si­den­te do STF, o re­a­jus­te não foi dis­cu­ti­do com Bol­so­na­ro du­ran­te o en­con­tro de on­tem . “Nós não to­ca­mos no as­sun­to”, dis­se Tof­fo­li a jor­na­lis­tas.

No iní­cio da con­ver­sa en­tre os dois, que pô­de ser acom­pa­nha­da pe­la im­pren­sa, o pre­si­den­te do Su­pre­mo de­fen­deu a re­for­ma da Pre­vi­dên­cia, res­pon­sa­bi­li­da­de fis­cal em ques­tões tri­bu­tá­ri­as e a aten­ção pa­ra a se­gu­ran­ça pú­bli­ca. “O ges­to de Bol­so­na­ro de res­pei­to às ins­ti­tui­ções e à Cons­ti­tui­ção re­no­va a democracia no Bra­sil. As elei­ções são um ba­tis­mo que re­no­va a Re­pú­bli­ca”, afir­mou Di­as Tof­fo­li. “A re­la­ção en­tre os po­de­res é de in­de­pen­dên­cia e te­mos o de­ver de har­mo­nia”, fri­sou.

Tof­fo­li tam­bém fa­lou que os po­de­res tra­ba­lha­rão jun­tos e em har­mo­nia. Ele rei­te­rou a de­fe­sa de um pac­to na­ci­o­nal re­pu­bli­ca­no pa­ra vi­a­bi­li­zar reformas e fa­zer o país sair da cri­se.

Ain­da on­tem, o mi­nis­tro Gil­mar Men­des afir­mou que o Su­pre­mo já ha­via apro­va­do o re­a­jus­te. “Foi uma de­li­be­ra­ção co­le­gi­a­da. Era ne­ces­sá­rio pe­las re­per­cus­sões or­ça­men­tá­ri­as. Es­pe­ra-se que o Con­gres­so fa­ça es­sa apro­va­ção, fa­zen­do o ajus­te”, dis­se o mi­nis­tro, após par­ti­ci­pa­ção em even­to co­me­mo­ra­ti­vo aos 30 anos da Cons­ti­tui­ção na se­de do Ins­ti­tu­to Bra­si­li­en­se de Di­rei­to Pú­bli­co (IDP).

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.