24h Fé das Bár­ba­ras

Correio da Bahia - - Front Page - NILSON MA­RI­NHO, COM CO­LA­BO­RA­ÇÃO DE LA­RIS­SA SIL­VA E MA­RI­NA ARAGÃO, IN­TE­GRAN­TES DA 13ª TUR­MA DO CORREIO DE FU­TU­RO, COM SU­PER­VI­SÃO DO CHEFE DE RE­POR­TA­GEM JOR­GE GAUTHIER

Os ven­tos úmi­dos que se apro­xi­ma­ram da costa da Bahia des­de o iní­cio do mês, cau­san­do chu­vas, ven­tos fortes e até tro­vões, são, pa­ra aqueles mais ape­ga­dos à fé, mui­to mais que in­tem­pé­rie. Por as­sim di­zer, o mau tem­po não po­de­ria ser, se­não, um si­nal. Um avi­so de que as de­ten­to­ras dos rai­os e tro­vões es­ta­vam a con­vi­dar seus fi­lhos pa­ra uma fes­ta com du­as an­fi­triãs: San­ta Bar­bá­ra e Ian­sã que fo­ram ho­me­na­ge­a­das on­tem no Cen­tro His­tó­ri­co de Sal­va­dor.

Sob um céu cin­zen­to, os de­vo­tos, ain­da tí­mi­dos, che­ga­vam à Igre­ja do Ro­sá­rio dos Pre­tos, no Pe­lou­ri­nho, pa­ra de­po­si­tar aos pés do an­dor seus pre­sen­tes. A mo­vi­men­ta­ção só co­me­çou a cres­cer qu­an­do os fo­gos de ar­ti­fí­cio re­for­ça­ram o con­vi­te aos fiéis pa­ra as­sis­tir à missa cam­pal pre­si­di­da pe­lo ca­pe­lão, pa­dre Lá­za­ro Mu­niz, ini­ci­a­da às 8h.

E, pa­ra mui­ta gen­te, não ti­nha chu­va que jus­ti­fi­cas­se a fal­ta - prin­ci­pal­men­te pa­ra aqueles que nas­ce­ram no dia 4 de de­zem­bro. Ou pa­ra quem viu a vi­da mu­dar jus­ta­men­te nes­se dia. atrás”, diz. Rosa é fru­to de uma ges­ta­ção com­pli­ca­da e te­ve di­fi­cul­da­des de vir ao mun­do. Sua mãe, no momento de mai­or de­ses­pe­ro, se ape­gou à fé, pe­din­do pro­te­ção pa­ra que a fi­lha vi­es­se ao mun­do com saú­de.

“Por is­so, eu iria me cha­mar Bár­ba­ra, mas meu pai não dei­xou”, ex­pli­ca. À san­ta, ela atri­bui a re­cu­pe­ra­ção de um aci­den­te que a dei­xou por dez di­as em co­ma.

Já a pau­lis­ta Gis­lai­ne Vi­ei­ra, 45, sem­pre so­nhou em vir a Sal­va­dor co­me­mo­rar o dia de San­ta Bár­ba­ra. De família ca­tó­li­ca, des­co­briu-se na um­ban­da co­mo fi­lha de Ian­sã. No ano pas­sa­do, pe­la primeira vez, con­se­guiu de­sem­bar­car na ca­pi­tal bai­a­na pa­ra re­a­li­zar o sonho.

Este ano, de novo, es­tá na ci­da­de ex­clu­si­va­men­te pa­ra agra­de­cer e pe­dir pro­te­ção. “É uma for­ça que im­pul­si­o­na tudo. Qu­an­do eu penso que vou fra­que­jar, é ela que me sus­ten­ta”, en­fa­ti­za.

Por fa­lar em fé, ela mo­bi­li­zou um quar­tel in­tei­ro. Ao to­do, 10 mil qui­a­bos fo­ram uti­li­za­dos no pre­pa­ro de cer­ca de mil pra­tos de ca­ru­ru ser­vi­dos na ma­nhã de on­tem, na se­de do Cor­po de Bom­bei­ros, na Bar­ro­qui­nha.

Por vol­ta das 11h, a imagem che­gou à se­de dos Bom­bei­ros de­pois de sair da Igre­ja do Ro­sá­rio dos Pre­tos. No pá­tio, um ca­mi­nhão, o pri­mei­ro ad­qui­ri­do pa­ra atu­a­ção no com­ba­te às chamas, es­pe­ra­va os fiéis pa­ra o ba­nho de água ben­ta.

O veí­cu­lo, de acor­do com o co­man­dan­te-ge­ral, Tel­les, é da dé­ca­da de 1920. Com ca­pa­ci­da­de pa­ra ar­ma­ze­nar 800 li­tros, o ca­mi­nhão jor­rou água ben­ta du­ran­te cin­co mi­nu­tos após a imagem de San­ta Bár­ba­ra ser pos­ta em um lo­cal co­ber­to.

“Todos os anos, fa­ze­mos es­sa gran­de fes­ta pa­ra man­ter vi­va a tra­di­ção. As pes­so­as cos­tu­mam per­gun­tar qual é a re­la­ção da san­ta com a nos­sa pro­fis­são. Em um momento da nos­sa história, o Cen­tro His­tó­ri­co pe­gou fo­go e al­guém mui­to re­li­gi­o­so se ape­gou à san­ta pe­din­do que os bom­bei­ros pu­des­sem, mes­mo com par­cos ma­te­ri­ais de com­ba­te, aca­bar com as chamas. As­sim acon­te­ceu”, con­ta.

Ver­me­lho to­mou con­ta das ru­as do Pe­lou­ri­nho

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.