Em defesa da re­for­ma tra­ba­lhis­ta mais am­pla

Correio da Bahia - - Mais - Jai­ro Costa Júnior e agências

Na primeira ro­da­da de reu­niões com ban­ca­das de par­ti­dos na Câ­ma­ra, o pre­si­den­te elei­to, Jair Bol­so­na­ro, de­fen­deu on­tem um apro­fun­da­men­to da re­for­ma tra­ba­lhis­ta. A pos­si­bi­li­da­de foi dis­cu­ti­da du­ran­te en­con­tro com de­pu­ta­dos fe­de­rais do MDB. Se­gun­do par­ti­ci­pan­tes do even­to fe­cha­do, Bol­so­na­ro dis­se que “é hor­rí­vel ser pa­trão” no país.

Con­tu­do, Bol­so­na­ro não deu de­ta­lhes de co­mo se da­ria a am­pli­a­ção dos me­ca­nis­mos da re­for­ma tra­ba­lhis­ta apro­va­da pe­lo go­ver­no Mi­chel Temer (MDB). Pre­fe­riu cen­trar sua fala em pe­di­dos de apoio pa­ra sua ad­mi­nis­tra­ção e dis­se que o fu­tu­ro mi­nis­tro da Economia, Pau­lo Guedes, não tem co­mo re­sol­ver tudo sem res­pal­do do Con­gres­so. “O Pau­lo Guedes não vai fa­zer mi­la­gre so­zi­nho”, afir­mou.

A ten­dên­cia do MDB é in­te­grar a ba­se ali­a­da do pre­si­den­te elei­to no Con­gres­so. “As ar­ti­cu­la­ções se­rão fun­da­men­tais pa­ra a apro­va­ção de pro­je­tos im­por­tan­tes em 2019”, re­su­miu o lí­der do par­ti­do na Câ­ma­ra, Ba­leia Ros­si (SP). Até ago­ra, a si­gla foi con­tem­pla­da apenas com o Mi­nis­té­rio da Ci­da­da­nia, que se­rá ocu­pa­do pe­lo deputado fe­de­ral Os­mar Terra (RS), tam­bém pre­sen­te à reu­nião de on­tem.

“Bol­so­na­ro dis­se que o go­ver­no se­rá re­for­mis­ta, des­re­gu­la­men­ta­dor, mo­der­no e que precisa do MDB”, co­men­tou o deputado fe­de­ral Dar­cí­sio Pe­ron­di (RS). Além do par­ti­do de Temer, Bol­so­na­ro te­ve en­con­tro tam­bém com o PRB, bra­ço po­lí­ti­co da Igre­ja Uni­ver­sal. Amanhã, se reú­ne com PR e PSDB, du­as le­gen­das fortes na Câ­ma­ra.

Na ro­da­da de con­ver­sas com as ban­ca­das do MDB e do PRB, Bol­so­na­ro pe­diu aos de­pu­ta­dos dos par­ti­dos pa­ra “jo­ga­rem” jun­tos com o novo go­ver­no tam­bém na vo­ta­ção das reformas pre­vi­den­ciá­ria e tra­ba­lhis­ta. O pre­si­den­te elei­to che­gou a fa­zer um ape­lo pa­ra evi­tar o que clas­si­fi­cou co­mo “tris­te­za” de uma pos­sí­vel vol­ta do PT ao poder, se­gun­do re­la­tos ob­ti­dos de par­ti­ci­pan­tes dos en­con­tros com mem­bros da ba­se de Temer .

“Se tudo der er­ra­do, os se­nho­res sa­bem quem vol­ta­rá de­pois de mim, vai ser mui­to tris­te pa­ra o Brasil, ape­sar dos pe­sa­res”, afir­mou o pre­si­den­te elei­to . “É um ape­lo, uma pa­la­vra de ami­za­de, va­mos jogar jun­tos”, emen­dou. Bol­so­na­ro su­ge­riu ain­da que, se o Le­gis­la­ti­vo atu­ar em par­ce­ria com o go­ver­no, os par­la­men­ta­res po­dem ter a mes­ma po­pu­la­ri­da­de que ele.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.