DEFORMADORES DA AMÉ­RI­CA

Correio da Bahia - - Esporte -

A Con­me­bol, a gen­te sa­be, é aque­la en­ti­da­de que to­ma con­ta do fu­te­bol sul-ame­ri­ca­no e es­tá do­mi­na­da pe­la cor­rup­ção de ci­ma pa­ra bai­xo, por den­tro e por fo­ra. Tro­cen­tos di­ri­gen­tes já fo­ram pre­sos e/ou são in­ves­ti­ga­dos, mas ob­vi­a­men­te na­da mu­dou.

Daí os sa­bi­dos que to­cam a con­fe­de­ra­ção, co­mo não vão me­xer nos pró­pri­os es­que­mas e pri­vi­lé­gi­os, fi­cam bus­can­do for­mas de me­xer na pai­xão da gen­te sul-ame­ri­ca­na pe­lo jo­go da bo­la. Des­sa for­ma, eles ge­ram no­tí­cia, ar­ran­jam no­vas ma­nei­ras de en­cher as bur­ras de di­nhei­ro e, por ta­be­la, vão eli­ti­zan­do ca­da vez mais os es­tá­di­os.

Ano pas­sa­do, sur­gi­ram com a his­tó­ria de fi­nal em jo­go úni­co já a par­tir de ago­ra, 2019, tan­to da Ta­ça Li­ber­ta­do­res qu­an­to da Co­pa Sul-Ame­ri­ca­na. Es­te é só o pri­mei­ro pas­so pa­ra, em bre­ve, man­dar a de­ci­são pa­ra fo­ra da Amé­ri­ca do Sul – co­mo aliás já acon­te­ceu “cir­cuns­tan­ci­al­men­te” com o jo­go de­ci­si­vo da Li­ber­ta­do­res de 2018.

Ago­ra, sur­gi­ram no­vas nor­mas de se­gu­ran­ça pa­ra as com­pe­ti­ções, que se­rão im­plan­ta­das a par­tir de 2021.

PROI­BI­ÇÕES

Pra co­me­çar, es­ta­rão proi­bi­dos ban­dei­ras e ban­dei­rões com mais de 1,5 m de com­pri­men­to e 1 m de lar­gu­ra. Ou se­ja, o má­xi­mo que os tor­ce­do­res po­de­rão tre­mu­lar, nu­ma par­ti­da de Li­ber­ta­do­res, é um pa­ni­nho ti­po to­a­lha de ros­to – não de­mo­ra sur­gem aque­les ca­che­cóis te­má­ti­cos por jo­go, que nem na Eu­ro­pa, que as pes­so­as vão po­der usar em ple­no Ve­rão do Brasil ou da Colôm­bia.

Es­tá pre­vis­to tam­bém que, da­qui a dois anos, os tor­ce­do­res se­rão obri­ga­dos a ver os jo­gos sen­ta­dos, o que é per­fei­ta­men­te con­di­zen­te com a tra­di­ção de es­tá­di­os co­mo o Ma­ra­ca­nã, a Bo­bo­ne­ra ou o Cen­te­ná­rio de Mon­te­vi­déu. Ava­lan­che hu­ma­na na ho­ra do gol? Po­de­rá ser vis­ta no Youtu­be.

Pe­las nor­mas, ca­da tor­ce­dor te­rá que emi­tir uma es­pé­cie de RG, o que abre uma óti­ma opor­tu­ni­da­de pra vo­cê, ca­ro lei­tor ou be­la lei­to­ra, ca­so se­ja do­no(a) de uma em­pre­sa que pro­duz es­te ti­po de do­cu­men­to e te­nha con­ta­tos quen­tes jun­to à má­fia da Con­me­bol pa­ra pe­gar es­sa boca.

Ah sim, ou­tra re­gra sur­gi­da é que os es­tá­di­os te­rão que ter wi-fi. A bem da ver­da­de, tal­vez es­ta se­ja a úni­ca nor­ma com al­gu­ma co­e­rên­cia. Afi­nal de con­tas, do jei­to que as coi­sas se de­se­nham, nin­guém vai pro es­tá­dio pra ver o jo­go. O im­por­tan­te mes­mo é pos­tar.

QU­E­RO É NO­VI­DA­DE

E por fa­lar em Con­me­bol, a en­ti­da­de co­me­çou a ven­der es­sa se­ma­na os in­gres­sos pa­ra a Co­pa Amé­ri­ca, que se­rá dis­pu­ta­da aqui no Brasil en­tre os me­ses de ju­nho e ju­lho.

Mui­ta gen­te deu plan­tão na fren­te do com­pu­ta­dor pra ga­ran­tir lo­go seu bi­lhe­te, mes­mo an­tes do sor­teio dos jo­gos. Mas aí, o que acon­te­ceu?

Co­mo já era de se es­pe­rar, o sis­te­ma deu tiu­ti, nin­guém con­se­guia fa­zer o ca­das­tro e em pouquís­si­mo tem­po já ha­via in­gres­sos es­go­ta­dos pa­ra de­ter­mi­na­dos se­to­res ou jo­gos, gra­ças a es­ses mis­té­ri­os que só a Con­me­bol po­de pro­por­ci­o­nar à tor­ci­da.

Al­gu­mas par­ti­das se­rão em Sal­va­dor e se vo­cê, ca­ro lei­tor ou be­la lei­to­ra, con­se­guiu já o seu bi­lhe­te, pos­so ape­nas te dar os pa­ra­béns pe­la per­se­ve­ran­ça.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.