De olho na ba­te­dei­ra!

Di­cas da Vo­vó Pal­mi­ri­nha pa­ra usar e cui­dar bem da sua ali­a­da pa­ra fa­zer bo­los gos­to­sos

Cozinha da Vovó Palmirinha - - ÍNDICE -

Existem vá­ri­os ti­pos de ba­te­dei­ras. Ca­da um com sua in­di­ca­ção es­pe­cí­fi­ca. Co­nhe­ça as ca­rac­te­rís­ti­cas de ca­da mo­de­lo de equi­pa­men­to pa­ra es­co­lher e uti­li­zar da me­lhor for­ma:

As fi­xas são ide­ais pa­ra ba­ter mas­sas mais pe­sa­das e in­gre­di­en­tes em mai­or quan­ti­da­de. Elas não des­mon­tam e con­tam com mo­tor e com­po­nen­tes mai­o­res.

As por­tá­teis ou de mão são mais le­ves e con­tam com ba­te­do­res eje­tá­veis. São ide­ais pa­ra ba­ter mas­sas le­ves, co­mo cla­ras em ne­ve, mus­se e ou­tros ali­men­tos que não exi­jam mui­to es­for­ço da ba­te­dei­ra. Não são in­di­ca­das pa­ra se­rem usa­das com tan­ta frequên­cia.

As ma­nu­ais têm ba­te­do­res que se mo­vi­men­tam ape­nas no cen­tro da ti­ge­la. Por is­so, vo­cê precisa gi­rar a ti­ge­la ma­nu­al­men­te pa­ra mis­tu­rar também os in­gre­di­en­tes que fi­cam nas bor­das.

Na or­bi­tal, os ba­te­do­res fa­zem mo­vi­men­tos cir­cu­la­res, que po­dem gi­rar no pró­prio ei­xo e ao re­dor da va­si­lha, for­man­do uma mis­tu­ra uni­for­me. É boa pa­ra quem não precisa de um ele­tro­do­més­ti­co mui­to avan­ça­do, mas com po­tên­cia me­di­a­na.

As pla­ne­tá­ri­as cos­tu­mam ser mais ca­ras, pois têm mo­tor mais po­ten­te e os ba­te­do­res se mo­vem ao re­dor da ti­ge­la, per­mi­tin­do que a mis­tu­ra fi­que mais ho­mo­gê­nea. Elas têm al­ta po­tên­cia e ve­lo­ci­da­de, em re­la­ção aos ou­tros ti­pos de ba­te­dei­ras, além de ser pou­co mai­or e mais pe­sa­das que os ou­tros mo­de­los. A pla­ne­tá­ria é boa pa­ra quem irá uti­li­zá-la pa­ra fun­ções mais pro­fis­si­o­nais, co­mo o pre­pa­ro de mas­sas bem mais pe­sa­das e es­pes­sas. Vem com vá­ri­os ti­pos de ba­te­do­res.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.