GE­NÉ­TI­CA NA BA­SE

Co­mo o uso do sê­men po­de de­mo­cra­ti­zar o me­lho­ra­men­to na ba­se dos plan­teis

Dinheiro Rural - - NO MUNDO DOS LEILÕES -

Os di­ri­gen­tes do se­tor acre­di­tam que a tec­no­lo­gia tam­bém é uma for­ma de le­var a ge­né­ti­ca à ba­se da pro­du­ção, in­de­pen­den­te­men­te de ser nu­ma gran­de fa­zen­da ou nu­ma pe­que­na pro­pri­e­da­de. É pos­sí­vel de­mo­cra­ti­zar es­sa ge­né­ti­ca com a uti­li­za­ção de sê­men, em­briões, in­se­mi­na­ção ar­ti­fi­ci­al e ou­tras bi­o­tec­no­lo­gi­as.

É a con­di­ção pa­ra atin­gir re­sul­ta­do de uma for­ma mais efi­ci­en­te. Um bom exem­plo são os fi­nan­ci­a­men­tos de ban­cos pú­bli­cos, que per­mi­ti­ram aos pe­que­nos pro­du­to­res com­prar tou­ros pu­ros e me­lho­ra­do­res. O mer­ca­do de in­se­mi­na­ção ar­ti­fi­ci­al no Bra­sil cres­ceu 10% em 2018. A Al­ta Ge­né­ti­ca, em­pre­sa res­pon­sá­vel por 34% da ven­da na­ci­o­nal, es­pe­ra fe­char o ano com co­mer­ci­a­li­za­ção de 5 mi­lhões de do­ses, qu sig­ni­fi­ca um cres­ci­men­to 20% su­pe­ri­or ao do mer­ca­do.

Mas se o as­sun­to é me­lho­ra­men­to ge­né­ti­co, ain­da há mui­to a fa­zer. Se­gun­do He­ve­rar­do Car­va­lho, pre­si­den­te da em­pre­sa, 90% das fê­me­as em ida­de re­pro­du­ti­va não são in­se­mi­na­das. “Ape­sar de ser mais ba­ra­to e dar um re­tor­no pro­gra­ma­do ao pe­cu­a­ris­ta, ain­da te­mos um gran­de mer­ca­do a ser des­bra­va­do, ain­da fal­ta mui­ta in­for­ma­ção”, diz ele. Ho­je, o in­ves­ti­men­to em in­se­mi­na­ção es­tá 70% em ga­do de cor­te e 30% em ga­do de lei­te. “As ex­por­ta­ções aju­dam a im­pul­si­o­nar o mer­ca­do, am­pli­ou e abriu no­vas pers­pec­ti­vas, com o po­si­ci­o­na­men­to de car­nes de qua­li­da­de su­pe­ri­or”, afir­ma Car­va­lho. “As me­tas são de­sa­fi­a­do­ras, mas as pers­pec­ti­vas são mui­to bo­as, tan­to pa­ra qu­em com­pra sê­men co­mo pa­ra qu­em ven­de a car­ne”, des­ta­ca.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.