Mar­ke­ting

Empresario Digital - - Carta Ao Leitor - Por An­der­son Be­net­ti*

En­tre­gas atra­sa­das, de­vo­lu­ção de mer­ca­do­ri­as, o que fa­ço com a lo­gís­ti­ca da mi­nha em­pre­sa? Se vo­cê se iden­ti­fi­cou em al­gum des­tes ce­ná­ri­os, não se pre­o­cu­pe, vo­cê não é o úni­co e es­ses são ape­nas dois dos gran­des de­sa­fi­os de lo­gís­ti­ca nas em­pre­sas

É mui­to co­mum ou­vir­mos fa­lar so­bre mu­dan­ça de com­por­ta­men­to do con­su­mi­dor e trans­for­ma­ção di­gi­tal, eu mes­mo já fiz ar­ti­gos es­pe­cí­fi­cos tra­tan­do so­bre o as­sun­to. A ver­da­de é que nós con­su­mi­do­res es­ta­mos mais exi­gen­tes e te­mos de­ze­nas de op­ções de com­pra do mes­mo pro­du­to nas nos­sas mãos. Ava­li­a­ções, co­men­tá­ri­os ou ví­de­os de con­su­mi­do­res so­bre ex­pe­ri­ên­ci­as ne­ga­ti­vas de com­pra po­dem des­truir em mi­nu­tos a re­pu­ta­ção que em­pre­sas le­va­ram dé­ca­das pa­ra cons­truir. Quer mais? Além de to­dos es­ses pon­tos, sim, nós te­mos pres­sa! Mui­ta pres­sa!

Mas on­de en­tra a lo­gís­ti­ca nes­sa his­tó­ria? A lo­gís­ti­ca pa­ra de­ter­mi­na­dos seg­men­tos é pe­ça cha­ve pa­ra uma ex­ce­len­te ex­pe­ri­ên­cia de com­pra, co­mo é o ca­so dos seg­men­tos de va­re­jo e e-com­mer­ce. Qu­an­tas ve­zes vo­cê pen­sou e re­pen­sou uma com­pra após ver o pra­zo de en­tre­ga, pre­ço do fre­te ou por ler um co­men­tá­rio de uma ava­li­a­ção ruim?

A ver­da­de é que as em­pre­sas se­du­zem seus cli­en­tes atra­vés de es­tra­té­gi­as in­te­li­gen­tes de mar­ke­ting e pro­mo­ções, e con­du­zem o cli­en­te até o ato da com­pra. Até en­tão na­da de er­ra­do, faz par­te do jo­go e é is­so mes­mo. Mas o pro­ces­so não aca­ba aí, es­te foi só o pri­mei­ro pas­so de um tra­ba­lho in­fi­ni­to – a ex­pe­ri­ên­cia de com­pra, o pós com­pra, o re­la­ci­o­na­men­to, etc.

Di­an­te des­ta re­a­li­da­de – qu­em nem po­de­mos mais cha­mar de no­va – ter um cli­en­te que com­prou e não ter es­to­que dis­po­ní­vel pa­ra aten­der é uma gran­de bo­la fo­ra, mais do que is­so, é des­per­di­çar to­do in­ves­ti­men­to re­a­li­za­do no mar­ke­ting. Bom, pa­ra evi­tar que a rup­tu­ra no in­ven­tá­rio do es­to­que fa­ça sua equi­pe e o seu ne­gó­cio

des­per­di­ça­rem es­tra­té­gi­as e, prin­ci­pal­men­te, di­nhei­ro, é fun­da­men­tal re­ver o pro­ces­so lo­gís­ti­co.

Nes­te mo­men­to a mi­nha ori­en­ta­ção é que sua em­pre­sa fa­ça um in­ven­tá­rio do seu es­to­que co­me­çan­do pe­la cur­va ABC de ven­das, co­brin­do pri­mei­ra­men­te os pro­du­tos que têm mai­or gi­ro. O se­gun­do mo­men­to é tra­ba­lhar os pro­du­tos de me­nor gi­ro e, quan­do es­ses dois pri­mei­ros es­ti­ve­rem fi­na­li­za­dos, é ho­ra de im­ple­men­tar es­tra­té­gi­as de in­ven­tá­rio cí­cli­co pa­ra man­ter seus es­to­ques com o má­xi­mo de acu­ra­ci­da­de, até vo­cê não pre­ci­sar mais fa­zer in­ven­tá­rio de es­to­ques. Nes­ta fa­se a tec­no­lo­gia po­de aju­dar de for­ma sig­ni­fi­ca­ti­va, sen­do um di­fe­ren­ci­al do pro­ces­so, in­clu­si­ve.

A rup­tu­ra de es­to­ques foi ape­nas um exem­plo pa­ra des­per­tar o olhar das em­pre­sas pa­ra a sua ope­ra­ção lo­gís­ti­ca, sem dú­vi­da mui­tas es­tão per­den­do ou dei­xan­do de ga­nhar di­nhei­ro e mer­ca­do por não fa­ze­rem os in­ves­ti­men­tos ne­ces­sá­ri­os nes­sa área.

A ges­tão de es­to­ques em cen­tros de dis­tri­bui­ção po­de ser me­lho­ra­da com a im­plan­ta­ção de um sis­te­ma de WMS – Wa­rehou­se Ma­na­ge­ment Sys­tem. A im­plan­ta­ção po­de le­var de 3 a 6 me­ses de acor­do com o ta­ma­nho e com­ple­xi­da­de de sua ope­ra­ção. Os cus­tos tam­bém são va­riá­veis, mas os ga­nhos são con­tí­nu­os e es­ca­lá­veis à me­di­da que sua ope­ra­ção ama­du­re­ce e evo­lui com o uso do sis­te­ma.

Se ain­da não es­ti­ver con­ven­ci­do da ne­ces­si­da­de de in­ves­ti­men­to da lo­gís­ti­ca, mi­nha su­ges­tão é ava­li­ar o cus­to de aqui­si­ção de um cli­en­te x o in­ves­ti­men­to em lo­gís­ti­ca pa­ra me­lho­rar a sua ex­pe­ri­en­cia de com­pra e au­men­tar a ta­xa de fi­de­li­za­ção do mes­mo. *An­der­son Be­net­ti é He­ad de Pro­du­to WMS na Se­ni­or. Pos­sui mais de 15 anos de ex­pe­ri­ên­cia na área de TI, atu­an­do di­re­ta­men­te nos seg­men­tos de Trans­por­te e Ar­ma­ze­na­gem. É gra­du­a­do em Ges­tão da Tec­no­lo­gia da In­for­ma­ção, Pós-Gra­du­a­do em Ge­ren­ci­a­men­to de Pro­je­tos pe­la Uni­ver­si­da­de do Sul de San­ta Ca­ta­ri­a­na (UNISUL) e com MBA em Lo­gís­ti­ca e Sup­ply Chain pe­lo Ins­ti­tu­to Bra­si­lei­ro de Sup­ply Chain (INBRASC). Atu­al­men­te é Ge­ren­te de Pro­du­to das so­lu­ções de Ges­tão de Ar­ma­ze­na­gem e Transporte­s da Se­ni­or Sis­te­mas.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.