Jul­ga­men­tos de con­tas es­tão atra­sa­dos nos mai­o­res mu­ni­cí­pi­os

Em al­gu­mas das prin­ci­pais ci­da­des do Es­ta­do, a aná­li­se es­tá len­ta; em Lon­dri­na, con­tas da ges­tão Ki­re­eff ain­da não fo­ram jul­ga­das

Folha de Londrina Domingo - - PRIMEIRA PÁGINA - Lo­ri­a­ne Co­me­li Re­por­ta­gem Lo­cal

Le­van­ta­men­to fei­to pe­la FOLHA nas dez mai­o­res ci­da­des do Pa­ra­ná apon­ta que ape­nas as con­tas das pre­fei­tu­ras de Ma­rin­gá e Cas­ca­vel es­tão com os jul­ga­men­tos mais adi­an­ta­dos no Tri­bu­nal de Con­tas do Es­ta­do. Em Lon­dri­na, fal­ta ser ana­li­sa­do to­do o man­da­to do ex-pre­fei­to Ale­xan­dre Ki­re­eff. Pa­ra o Ob­ser­va­tó­rio de Ges­tão Pú­bli­ca, de­mo­ra traz pre­juí­zos à po­pu­la­ção.

Além das crí­ti­cas de que nem sem­pre age de for­ma téc­ni­ca, o Tri­bu­nal de Con­tas do Pa­ra­ná vem so­fren­do com a fal­ta de agi­li­da­de no jul­ga­men­to das con­tas mu­ni­ci­pais. A de­mo­ra – que é ad­mi­ti­da pe­lo TC – po­de ser cons­ta­ta­da pe­la aná­li­se dos da­dos dis­po­ni­bi­li­za­dos no si­te do tri­bu­nal.

Con­for­me le­van­ta­men­to fei­to pe­la FOLHA, en­tre os dez mai­o­res mu­ni­cí­pi­os do Pa­ra­ná ape­nas as con­tas de Ma­rin­gá e Cas­ca­vel es­tão com os jul­ga­men­tos adi­an­ta­dos: nes­tas du­as ci­da­des fal­ta ape­nas a aná­li­se das pres­ta­ções de con­tas de 2016. Em Lon­dri­na, por exem­plo, fal­ta to­do o úl­ti­mo man­da­to, do ex-pre­fei­to Ale­xan­dre Ki­re­eff (Po­de­mos), pa­ra ser jul­ga­do. Re­la­ti­va­men­te a Cu­ri­ti­ba e Pa­ra­na­guá, a si­tu­a­ção é ain­da pi­or, já que dos dez anos dis­po­ní­veis da ba­se de da­dos do TC, ape­nas qua­tro anos fo­ram jul­ga­dos. Nes­ta sex­ta­fei­ra (16), os da­dos de Pon­ta Gros­sa não es­ta­vam dis­po­ní­veis em ra­zão de um pro­ble­ma téc­ni­co, se­gun­do jus­ti­fi­ca­ti­va da Di­re­to­ria de Co­mu- ni­ca­ção So­ci­al.

O Tri­bu­nal afir­ma que es­tá re­a­de­quan­do to­da sua es­tru­tu­ra de fis­ca­li­za­ção ad­mi­nis­tra­ti­va pa­ra tor­nar os pro­ces­sos mais cé­le­res e que nos mu­ni­cí­pi­os mai­o­res a aná­li­se po­de se tor­nar mais com­ple­xa, de­vi­do ao ta­ma­nho da es­tru­tu­ra ad­mi­nis­tra­ti­va.

O ban­co de da­dos do TC in­cluiu as con­tas des­de 2007 até 2016 (as de 2017 ain­da não fo­ram pres­ta­das) de to­das as au­tar­qui­as e en­ti­da­des mu­ni­ci­pais, co­mo em­pre­sas pú­bli­cas e com­pa­nhi­as. O le­van­ta­men­to fei­to pe­la FOLHA le­vou em con­si­de­ra­ção ape­nas a pres­ta­ção de con­tas de res­pon­sa­bi­li­da­de di­re­ta dos pre­fei­tos, ou se­ja, da ad- mi­nis­tra­ção di­re­ta de ca­da mu­ni­cí­pio.

En­tre os dez mai­o­res mu­ni­cí­pi­os do Nor­te e Nor­te Pi­o­nei­ro do Pa­ra­ná, os pro­ces­sos mais adi­an­ta­dos são de Apu­ca­ra­na e Ban­dei­ran­tes, nas quais fal­ta ape­nas a aná­li­se das con­tas de 2016. A pi­or si­tu­a­ção é a de Cam­bé, com aná­li­se de ape­nas cin­co anos, se­gui­da de Ro­lân­dia, San­to Antô­nio da Pla­ti­na e Ja­ca­re­zi­nho, on­de fal­ta o jul­ga­men­to de qua­tro exer­cí­ci­os fi­nan­cei­ros.

PRE­JUÍ­ZOS

O pre­si­den­te do Ob­ser­va­tó­rio de Ges­tão Pú­bli­ca de Lon­dri­na, Ro­ger Tri­guei­ros, dis­se que o tra­ba­lho da en­ti­da­de de fis­ca­li­zar o po­der pú­bli­co, es­pe­ci­al­men­te no acom­pa­nha­men­to das com­pras, não de­pen­de da agi­li­da­de no TC no jul­ga­men­to das con­tas pú­bli­cas, mas res­sal­tou que a de­mo­ra cau­sa pre­juí­zos à po­pu­la­ção. “Cer­ta­men­te, a mai­o­ria da po­pu­la­ção não co­nhe­ce oT­ri­bu­nal de Con­tas do Es­ta­do ou da União, mas o pre­juí­zo exis­te à me­di­da em que há atri­bui­ções le­gais e gas­to de di­nhei­ro pú­bli­co pa­ra que de­sen­vol­vam sua ati­vi­da­de num pra­zo ra­zoá­vel e is­to não es­tá ocor­ren­do.”

Quan­to às con­tas do go­ver­na­dor, o TC já as jul­gou até 2016. Tan­to no ca­so do go­ver­na­dor quan­to dos pre­fei­tos, o pa­re­cer do TC é sem­pre sub­me­ti­do à vo­ta­ção da As­sem­bleia Le­gis­la­ti­va e das Câ­ma­ras Mu­ni­ci­pais e os che­fes do Exe­cu­ti­vo so­men­te se­rão con­si­de­ra­dos ine­le­gí­veis se os par­la­men­ta­res es­ta­du­ais e mu­ni­ci­pais man­ti­ve­rem even­tu­al in­di­ca­ção do tri­bu­nal pe­la ir­re­gu­la­ri­da­de das con­tas.

En­tre­tan­to, não é mui­to co­mum o pa­re­cer pe­la re­pro­va­ção das con­tas. No ca­so das 20 ci­da­des pes­qui­sa­das, há 11 de­ci­sões do TC pe­la ir­re­gu­la­ri­da­de das con­tas, ou se­ja, dos 126 jul­ga­men­tos ape­nas 9% fo­ram pe­la re­pro­va­ção. Na lei­tu­ra dos acór­dãos, não é in­co­mum a si­tu­a­ção em que a Di­re­to­ria de Con­tas Mu­ni­ci­pais e o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co de Con­tas que atua jun­to ao TC te­nham da­do ex­ten­sos pa­re­ce­res pe­la re­pro­va­ção das con­tas, mas, no jul­ga­men­to, os se­te con­se­lhei­ros aca­bam en­ten­do pe­la re­gu­la­ri­da­de das con­tas, às ve­zes, fa­zen­do res­sal­vas.

Wag­ner Araú­jo/TCE-PR

Tan­to no ca­so do go­ver­na­dor quan­to dos pre­fei­tos, o pa­re­cer do Tri­bu­nal de Con­tas é sem­pre sub­me­ti­do à vo­ta­ção da AL e das Câ­ma­ras Mu­ni­ci­pais

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.