Sem atin­gir de­sem­pe­nho, Re­de ques­ti­o­na pra­zos e quer ou­vir TSE

Par­ti­do en­ten­de que na emen­da cons­ti­tu­ci­o­nal cons­ta que a re­gra só pas­sa­ria a va­ler na le­gis­la­tu­ra se­guin­te às elei­ções de 2018

Folha de Londrina - - Política - Ma­ri­a­na Fran­co Ra­mos Re­por­ta­gem Lo­cal

Cu­ri­ti­ba - Um dos 14 par­ti­dos atin­gi­dos pe­la cláu­su­la de barreira, a Re­de So­li­da­ri­e­da­de, da ex-se­na­do­ra e ex-mi­nis­tra Ma­ri­na Sil­va, de­ve ju­di­ci­a­li­zar a ques­tão. De acor­do com o can­di­da­to der­ro­ta­do ao go­ver­no do Pa­ra­ná Jor­ge Ber­nar­di, a si­gla tem um en­ten­di­men­to di­fe­ren­te quan­to à va­li­da­de das no­vas re­gras. “Es­ta­mos en­tran­do com um ques­ti­o­na­men­to no TSE (Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral) pa­ra es­cla­re­cer, por­que a emen­da cons­ti­tu­ci­o­nal diz que se­rá afe­ri­da na le­gis­la­tu­ra se­guin­te às elei­ções de 2018. Ora, a elei­ção que vai de­fi­nir is­so vai ser a elei­ção de 2022”, afir­mou.

No do­cu­men­to, que se­rá en­de­re­ça­do à mi­nis­tra Ro­sa We­ber, os ad­vo­ga­dos Ro­o­se­velt Ar­ra­es e Luiz Gus­ta­vo de An­dra­de sus­ten­tam que o le­gis­la­dor uti­li­zou dois con­cei­tos ju­rí­di­cos dis­tin­tos pa­ra afe­rir o mo­men­to do de­sem­pe­nho elei­to­ral dos par­ti­dos. “Num pri­mei­ro mo­men­to, de­fi­niu-se as ‘elei­ções de 2018’. No mo­men­to se­guin­te, o le­gis­la­dor mo­di­fi­cou a re­da­ção da PEC pa­ra fa­zer cons­tar ‘le­gis­la­tu­ra se­guin­te às elei­ções de 2018’. Os ter­mos não são equi­va­len­tes e re­pre­sen­tam sig­ni­fi­ca­ti­va di­fe­ren­ça in­ter­pre­ta­ti­va”, pon­de­ra­ram.

Em en­tre­vis­ta por te­le­fo­ne à FO­LHA, Ar­ra­es con­tou que aguar­da ape­nas o OK do di­re­tó­rio na­ci­o­nal pa­ra en­vi­ar o tex­to. “Se­rá pro­to­co­la­do nos pró­xi­mos di­as. O que acon­te­ce: a re­da­ção cons­ti­tu­ci­o­nal que al­te­rou o ar­ti­go 17 ini­ci­al­men­te di­zia que va­le­ria pa­ra 2018, mas no meio do pro­ces­so le­gis­la­ti­vo, quan­do es­ta­vam dis­cu­tin­do a emen­da, al­te­ra­ram e co­lo­ca­ram que o de­sem­pe­nho se­ria afe­ri­do na elei­ção que ocor­re­rá na le­gis­la­tu­ra pos­te­ri­or a 2018, que ini­cia ago­ra em 2019 e vai atá 2022. A re­gra an­te­ri­or, que pos­si­bi­li­ta­va a dis­tri­bui­ção do fun­do e da pro­pa­gan­da, es­tá va­len­do. Es­se é o nos­so en­ten­di­men­to”.

FU­SÃO?

A pos­si­bi­li­da­de de fu­são com o PV e o PPS che­gou a ser le­van­ta­da. Ber­nar­di lem­brou, po­rém, que a Re­de não po­de­ria se in­cor­po­rar a ou­tra le­gen­da, uma vez que pos­sui me­nos de cin­co anos de fun­da­ção. “Vai ter um con­gres­so ago­ra em Bra­sí­lia pa­ra de­fi­nir. Em­bo­ra não te­nha­mos atin­gi­do a cláu­su­la, é uma gran­de con­tra­di­ção, por­que ele­ge­mos cin­co se­na­do­res . É a se­gun­da ou a ter­cei­ra mai­or ban­ca­da”, pros­se­guiu.

“Sou pro­fes­sor de pro­ces­so le­gis­la­ti­vo, te­nho um li­vro so­bre is­so, e ali não é uma ques­tão de in­ter­pre­ta­ção. É mui­to cla­ra, por­que elei­ção é uma coi­sa e le­gis­la­tu­ra é ou­tra. O TSE até ho­je não se ma­ni­fes­tou. O que exis­te é a im­pren­sa afir­man­do que se apli­cou, e o si­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos. É uma ques­tão cons­ti­tu­ci­o­nal que vai ter de ser de­ci­di­da no Su­pre­mo”, acres­cen­tou. Por en­quan­to, ele dis­se que es­pe­ra o de­sen­ro­lar dos acon­te­ci­men­tos. “Os três par­ti­dos que com­pu­nham a mi­nha co­li­ga­ção - PPL, Re­de e DC não atin­gi­ram . Es­ta­mos re­fle­tin­do e va­mos aguar­dar a de­ci­são do TSE”.

Elei­ção é uma coi­sa e le­gis­la­tu­ra é ou­tra. O TSE até ho­je não se ma­ni­fes­tou”

Theo Mar­ques/7-10-2018

O pa­ra­na­en­se Flá­vio Arns é um dos cin­co se­na­do­res elei­tos pe­la Re­de em ou­tu­bro; ban­ca­da se­rá uma das mai­o­res no Se­na­do

Comments

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.