Clu­be re­duz par­ce­ri­as com ou­tras mo­da­li­da­des

Folha de Londrina - - Esporte -

Des­de a sua ori­gem, o Lon­dri­na nun­ca foi um clu­be de apoi­ar ou­tras mo­da­li­da­des es­por­ti­vas. O no­me ori­gi­nal, Lon­dri­na Fu­te­bol Clu­be, já dei­xa­va cla­ro o pro­pó­si­to da no­va agre­mi­a­ção - o Lon­dri­na só se tor­na­ria Es­por­te Clu­be em 1970. Ape­sar do no­me abrir es­pa­ço pa­ra ou­tros es­por­tes, o LEC qua­se sem­pre se re­su­miu ao fu­te­bol.

Du­ran­te a ges­tão do pre­si­den­te Fe­li­pe Pro­chet (201416), o LEC che­gou a ser par­cei­ro de oi­to mo­da­li­da­des: bas­que­te, be­a­ch soc­cer, fu­te­bol de me­sa, rúg­bi, BMX, ta­ekwon­do, kick­bo­xing e Fór­mu­la Truck. Es­te nú­me­ro foi re­du­zi­do a par­tir do ano pas­sa­do e atu­al­men­te o clu­be apoia ape­nas o bas­que­te, o kick­bo­xing e os e-sports.

O pre­si­den­te Clau­dio Ca­nu­to ex­pli­cou que a re­du­ção das par­ce­ri­as a par­tir de 2017 foi uma re­co­men­da­ção do de­par­ta­men­to ju­rí­di­co do clu­be, pa­ra evi­tar pos­sí­veis de­man­das tra­ba­lhis­tas e ad­mi­nis­tra­ti­vas no fu­tu­ro. “Com ex­ce­ção do bas­que­te, que o con­se­lho (de re­pre­sen­tan­tes) op­tou por re­no­var a par­ce­ria, nos ou­tros ca­sos en­tra­mos co­mo pa­tro­ci­na­do­res ape­nas e não mais co­mo par­cei­ros”, afir­mou. “E são va­lo­res que não são tão ele­va­dos.”

Em ou­tu­bro, o LEC apoi­ou dois atle­tas na dis­pu­ta do Cam­pe­o­na­to Pan-Ame­ri­ca­no de Kick­bo­xing, no Mé­xi­co. Vi­tó­ria Ga­bri­e­la da Sil­va, a Tóia, de 16 anos, te­ve a opor­tu­ni­da­de de par­ti­ci­par da sua pri­mei­ra com­pe­ti­ção in­ter­na­ci­o­nal e vol­tou com a me­da­lha de ou­ro na mo­da­li­da­de Light Con­tact sub-17 até 50 qui­los. Mo­ra­do­ra do jar­dim No­va Es­pe­ran­ça, Tóia co­nhe­ceu as ar­tes mar­ci­ais em um pro­je­to so­ci­al da Igre­ja Me­to­dis­ta no con­jun­to União da Vi­tó­ria, tam­bém na zo­na sul de Lon­dri­na.

“Des­de pe­que­na, sem­pre gos­tei de es­por­tes e me iden­ti­fi­quei com as lu­tas. Quan­do abriu es­te pro­je­to, eu ti­nha

13 anos e no pri­mei­ro dia eu já es­ta­va lá pa­ra trei­nar”, re­cor­dou. Com o fim do pro­je­to, por fal­ta de re­cur­sos, e sem apoio, a me­ni­na dei­xou de par­ti­ci­par de vá­ri­as com­pe­ti­ções e che­gou a aban­do­nar os trei­nos. “Se não fos­se o LEC e a SM Sports, não te­ria con­di­ções de vi­a­jar pa­ra o Mé­xi­co”, con­tou a ado­les­cen­te, que tam­bém pra­ti­ca o mu­ay thai.

O Lon­dri­na dis­po­ni­bi­li­za ho­je o trans­por­te pa­ra que a atle­ta pos­sa trei­nar to­dos os di­as na aca­de­mia Ju­ni­or Vi­dal. “Es­pe­ro po­der con­ti­nu­ar trei­nan­do e mos­trar o meu po­ten­ci­al. O meu so­nho é um dia che­gar ao UFC, or­ga­ni­za­ção que re­a­li­za even­tos de lu­tas de MMA (Ar­tes Mar­ci­ais Mis­tas)”, apon­tou a lu­ta­do­ra, fã da pa­ra­na­en­se Cris Cy­borg, cam­peã da ca­te­go­ria pe­na do UFC. Gui­lher­me Be­lar­mi­no, 36, é bi­cam­peão pan-ame­ri­ca­no de kick­bo­xing e nos úl­ti­mos anos tem re­ce­bi­do in­cen­ti­vos por par­te do LEC, por is­so re­pre­sen­ta o clu­be em com­pe­ti­ções na­ci­o­nais e in­ter­na­ci­o­nais. “Es­ta aju­da é mui­to im­por­tan­te. O Lon­dri­na tem um no­me mui­to gran­de e is­so abre por­tas tam­bém na bus­ca por ou­tros pa­tro­ci­na­do­res”, afir­mou. Clau­dio Ca­nu­to des­car­tou o apoio a no­vas mo­da­li­da­des e afir­mou que a prin­cí­pio o clu­be não tem o ob­je­ti­vo de pa­tro­ci­nar ou­tros es­por­tes. (L.F.C.)

De­par­ta­men­to ju­rí­di­co fez aler­ta pa­ra evi­tar de­man­das tra­ba­lhis­tas

Anderson Co­e­lho

Vi­tó­ria Ga­bri­e­la da Sil­va é atle­ta de kick­bo­xing, um dos pou­cos es­por­tes além do fu­te­bol ain­da vin­cu­la­dos ao LEC

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.