Um to­ma­te pa­ra ge­rir o tem­po

Folha de Londrina - - Folha Mais - ÉRIKA GONÇALVES RE­POR­TA­GEM LO­CAL

Há vá­ri­as fer­ra­men­tas de ges­tão do tem­po e uma de­las é a Po­mo­do­ro. De­sen­vol­vi­da pe­lo ita­li­a­no Fran­ces­co Ci­ril­lo ela faz a di­vi­são do tem­po em blo­cos de 25 mi­nu­tos, se­gui­dos de 3 a 5 mi­nu­tos de pau­sa. De­pois de qua­tro blo­cos de 25 mi­nu­tos a pau­sa de­ve ser de 15 a 30 mi­nu­tos. O ob­je­ti­vo é tra­ba­lhar com con­cen­tra­ção in­ten­sa, de for­ma a me­lho­rar a agi­li­da­de do cé­re­bro e es­ti­mu­lar o foco.

Pa­ra co­lo­car a téc­ni­ca em prá­ti­ca é pre­ci­so um cronô­me­tro ou ti­mer, mas é pos­sí­vel usar si­tes e apli­ca­ti­vos co­mo To­ma­to Ti­me, Po­mo­do­ro Ti­me en­tre ou­tros. Ci­ril­lo usa­va um ti­mer em for­ma de to­ma­te - po­mo­do­ro em ita­li­a­no, por is­so o no­me da téc­ni­ca.

No iní­cio do dia fa­ça uma lis­ta das ta­re­fas a se­rem de­sen­vol­vi­das. Co­me­ce a de­sem­pe­nhar as ta­re­fas até o ti­mer to­car ao fim dos 25 mi­nu­tos. Ti­que o que es­ti­ver con­cluí­do ou ano­te o quan­to o tra­ba­lho já foi de­sen­vol­vi­do. Fa­ça um in­ter­va­lo de 5 mi­nu­tos pa­ra ir ao ba­nhei­ro, to­mar um ca­fé, fa­zer um alon­ga­men­to. Dê iní­cio a um no­vo po­mo­do­ro ou ci­clo de 25 mi­nu­tos. De­pois de fi­na­li­za­da a ta­re­fa, ela é ris­ca­da da lis­ta e se ini­cia ou­tra.

Exis­tem vá­ri­as re­gras co­mo nun­ca in­ter­rom­per um po­mo­do­ro, a me­nos que se­ja al­go ur­gen­te; nun­ca fa­zer mais de uma ati­vi­da­de den­tro do mes­mo po­mo­do­ro (use o tem­po res­tan­te pa­ra re­vi­sar a ta­re­fa); se o po­mo­do­ro for in­ter­rom­pi­do por uma li­ga­ção, por exem­plo, de­ve ser con­si­de­ra­do nu­lo; en­tre ou­tras.

Ao fim do dia é pos­sí­vel ob­ser­var quan­tos po­mo­do­ros fo­ram uti­li­za­dos pa­ra ca­da ta­re­fa. A su­ges­tão é que es­ses re­la­tó­ri­os se­jam ar­qui­va­dos, de ma­nei­ra que as pes­so­as pos­sam acom­pa­nhar seu ren­di­men­to.

En­tre os ob­je­ti­vos da téc­ni­ca es­tão au­men­tar a con­cen­tra­ção e a pro­du­ti­vi­da­de, ver quan­to tem­po se le­va pa­ra de­sen­vol­ver ca­da ati­vi­da­de, di­mi­nuir in­ter­rup­ções e ali­vi­ar a an­si­e­da­de.

O ob­je­ti­vo é tra­ba­lhar com con­cen­tra­ção in­ten­sa, de for­ma a me­lho­rar a agi­li­da­de do cé­re­bro e es­ti­mu­lar o foco

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.