Ia­par tra­rá pu­bli­ca­ção com ma­té­ria mé­di­ca das plan­tas

Folha de Londrina - - Rural - 10 E 11 DE NO­VEM­BRO DE 2018

O Ia­par (Ins­ti­tu­to Agronô­mi­co do Pa­ra­ná) há 15 anos traz um pro­je­to de ho­me­o­pa­tia ve­ge­tal, com in­tui­to de tra­zer so­lu­ções prá­ti­cas uti­li­zan­do a ci­ên­cia em di­ver­sas cul­tu­ras, co­mo fei­jão, so­ja, mi­lho, tri­go e to­ma­te. O tra­ba­lho co­me­çou em 2003 com a pes­qui­sa­do­ra So­lan­ge Gomes Car­nei­ro, en­ge­nhei­ra agrô­no­ma com dou­to­ra­do em fi­to­pa­to­lo­gia, que tra­ta exa­ta­men­te so­bre do­en­ças de plan­tas.

Ela re­la­ta que quan­do saiu do dou­to­ra­do, no ano 2000, co­mo se tra­ta­va com ho­me­o­pa­tia, foi bus­car re­fe­rên­ci­as de pes­so­as que po­di­am le­vá­la a pes­qui­sas li­ga­das ao rei­no ve­ge­tal. “Fiz uma ca­pa­ci­ta­ção de 2003 a 2005 com a mé­di­ca Ro­sa­na Ne­char, que fez o pri­mei­ro cur­so de ho­me­o­pa­tia na ci­da­de de Lon­dri­na. Jun­to com mé­di­cos, far­ma­cêu­ti­cos e ve­te­ri­ná­ri­os, eu era a úni­ca en­ge­nhei­ra agrô­no­ma”, re­lem­bra.

No mun­do da ho­me­o­pa­tia em se­res hu­ma­no, as­sim co­mo nas plan­tas e ani­mais, a ci­ên­cia é ba­se­a­da em ex­pe­ri­men­ta­ção no in­di­ví­duo. A des­cri­ção dos sin­to­mas pro­vo­ca­do por ca­da subs­tân­cia na pes­soa sa­dia é cha­ma­da de ma­té­ria mé­di­ca. É com ba­se ne­la que se es­co­lhe o me­di­ca­men­to pa­ra tra­tar o do­en­te, pe­la se­me­lhan­ça dos sin­to­mas. “Nas plan­tas, fo­mos pe­la li­nha de de­sen­vol­ver uma ex­pe­ri­men­ta­ção pa­to­ge­né­ti­ca e aí fa­zer a ma­té­ria mé­di­ca de­las, com ba­se nos sin­to­mas que as plan­tas sa­di­as de­sen­vol­ve­ram ao se­rem co­lo­ca­das em con­ta­to com as subs­tân­ci­as.”

Des­sa for­ma, o pro­je­to es­tá sen­do fi­na­li­za­do e em bre­ve de­ve ser pu­bli­ca­do os da­dos es­tru­tu­ra­dos de ma­té­ria mé­di­ca das plan­tas, uma com­pi­la­ção de in­for­ma­ções que en­glo­ba­rá di­ver­sas cul­tu­ras. “Fi­ze­mos um tra­ba­lho em con­jun­to com a UEM em que o óleo de eu­ca­lip­to di­na­mi­za­do au­xi­li­ou na re­du­ção da man­cha an­gu­lar do fei­jão”, ex­pli­ca a pes­qui­sa­do­ra.

Pa­ra­le­lo a es­se tra­ba­lho, ela ex­pli­ca que exis­tem os me­di­ca­men­tos bi­o­te­rá­pi­cos. Atra­vés do pa­tó­ge­no ou te­ci­do do­en­te, por exem­plo, é pro­du­zi­do um me­di­ca­men­to ho­me­o­pá­ti­co. “Nós apli­ca­mos a mes­ma ideia com as plan­tas e pro­du­zi­mos bi­o­te­rá­pi­cos usan­do fun­gos que cau­sam do­en­ças ne­las. Tes­ta­mos e ti­ve­mos bons re­sul­ta­dos, ani­ma­do­res. Fi­ze­mos is­so com um fun­go que cau­sa a pin­ta pre­ta no to­ma­tei­ro e con­se­gui­mos di­mi­nuir a se­ve­ri­da­de da do­en­ça.”

Co­mo acon­te­ce nos hu­ma­nos, um dos de­sa­fi­os da ho­me­o­pa­tia ve­ge­tal, se­gun­do a pes­qui­sa­do­ra, é o “obs­tá­cu­lo da cu­ra”. De for­ma sim­ples, is­so sig­ni­fi­ca um ata­que em di­fe­ren­tes fren­tes, por exem­plo: uma pes­soa não po­de cu­rar uma bron­qui­te se não pa­rar de fu­mar. “Se na saú­de é pre­ci­so es­sa vi­são in­te­gra­ti­va, nas plan­tas a ho­me­o­pa­tia pre­ci­sa es­tar as­so­ci­a­da as bo­as prá­ti­cas agrí­co­las, de ma­ne­jo, e só as­sim apa­re­ce­rão os re­sul­ta­dos. Na re­gião Oes­te, es­ta­mos ten­do bons re­sul­ta­dos com a agroecologia.” ( V.L.)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.