Jus­ti­ça de­ter­mi­na pri­são do em­pre­sá­rio Car­los Aza­ri­as acu­sa­do de frau­de no IPTU

Folha de Londrina - - Política - Gui­lher­me Mar­co­ni Re­por­ta­gem Lo­cal

O juiz Dél­cio Mi­ran­da da Rocha, 2ª Va­ra Cri­mi­nal de Lon­dri­na, de­ter­mi­nou a pri­são pre­ven­ti­va do em­pre­sá­rio Car­los Aza­ri­as, pai da ex-es­ta­giá­ria da Se­cre­ta­ria Mu­ni­ci­pal de Fa­zen­da, Ca­mi­la Aza­ri­as. Pai e fi­lha es­tão en­tre as 28 réus em ação pe­nal por su­pos­ta­men­te par­ti­ci­par de uma or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa es­ta­be­le­ci­da en­tre 2015 e 2017 no De­par­ta­men­to de Ca­das­tro Imo­bi­liá­rio. Pre­so nes­ta ma­nhã de sex­ta-fei­ra (7), o em­pre­sá­rio foi en­ca­mi­nha­do pa­ra o cen­tro de tri­a­gem do De­pen (De­par­ta­men­to Pe­ni­ten­ciá­rio).

Se­gun­do o pro­mo­tor do Ga­e­co (Gru­po Es­pe­ci­al de Com­ba­te ao Cri­me Or­ga­ni­za­do), Le­an­dro An­tu­nes, o pe­di­do de pri­são de Aza­ri­as foi fei­to em ou­tu­bro no mes­mo dia do ofe­re­ci­men­to da de­nún­cia. “Ele é con­si­de­ra­do o prin­ci­pal in­te­gran­te do es­que­ma. O pe­di­do foi exi­gi­do pe­la rei­te­ra­ção da prá­ti­ca cri­mi­no­sa”, dis­se An­tu­nes à FO­LHA. O MP (Mi­nis­té­rio Pú­bli­co) acu­sa a fi­lha de ter en­vol­vi­men­to na adul­te­ra­ção de dé­bi­tos do IPTU do pai.

Se­gun­do o MP, os fun­ci­o­ná­ri­os re­a­li­za­vam can­ce­la­men­tos de dé­bi­tos de IPTU (Im­pos­to Pre­di­al e Ter­ri­to­ri­al Ur­ba­no) e mo­di­fi­ca­ções nas ca­rac­te­rís­ti­cas de imó­veis ur­ba­nos, com o fim de di­mi­nuir ou su­pri­mir tri­bu­tos. O pre­juí­zo aos co­fres mu­ni­ci­pais é su­pe­ri­or a R$ 1 mi­lhão.

Na quar­ta-fei­ra (5), o ma­gis­tra­do ha­via aca­ta­do a de­nún­cia da Pas­sword. Os réus têm pra­zo de dez di­as pa­ra apre­sen­tar de­fe­sa pré­via à Jus­ti­ça.

O ad­vo­ga­do Car­los La­me­ra­to, que atua na de­fe­sa de Aza­ri­as, in­for­mou que es­tá de­fi­nin­do a es­tra­té­gia pa­ra re­ver­ter a de­ci­são na Jus­ti­ça. Se­gun­do La­me­ra­to, não há mo­ti­vo pa­ra a pri­são pre­ven­ti­va. “En­ten­de­mos que foi uma de­ci­são equi­vo­ca­da. Em to­dos os mo­men­tos Aza­ri­as con­tri­buiu com as in­ves­ti­ga­ções e não foi não tem em­pe­ci­lho. Foi um ato to­tal­men­te des­ne­ces­sá­rio. No nos­so en­ten­di­men­to não há ne­nhum fa­to afe­rí­vel que de­mons­tre qual­quer con­du­ta ilí­ci­ta de­le des­de o iní­cio das in­ves­ti­ga­ções.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.