Inqué­ri­to apu­ra frau­de em ISS na pre­fei­tu­ra de Lon­dri­na

Pro­ce­di­men­to do MP foi ins­tau­ra­do no úl­ti­mo dia 27 e in­ves­ti­ga su­pos­tas ir­re­gu­la­ri­da­des na exe­cu­ção da co­bran­ça de dí­vi­da ati­va

Folha de Londrina - - Política - Vitor Struck Re­por­ta­gem Lo­cal

Oco­or­de­na­dor do Ga­e­co (Gru­po de Atu­a­ção Es­pe­ci­al no Com­ba­te ao Cri­me Or­ga­ni­za­do) em Lon­dri­na, o pro­mo­tor Jor­ge Bar­re­to da Cos­ta, con­fir­mou na tar­de des­ta sex­ta-fei­ra (7) que a 21ª Pro­mo­to­ria abriu um inqué­ri­to cri­mi­nal pa­ra in­ves­ti­gar su­pos­tas frau­des na exe­cu­ção da co­bran­ça de dí­vi­das com ISS (Im­pos­to So­bre Ser­vi­ços). O pro­ce­di­men­to foi aber­to no dia 27 de no­vem­bro e o no­me do pre­fei­to Marcelo Be­li­na­ti (PP) cons­ta co­mo re­pre­sen­tan­te, ou se­ja, au­tor da de­nún­cia ao MP. Par­ti­ram tam­bém da atu­al ges­tão as de­nún­ci­as so­bre ir­re­gu­la­ri­da­des na co­bran­ça do IPTU, que mais tar­de vi­e­ram à to­na na Ope­ra­ção Pas­sword.

Mes­mo com as in­ves­ti­ga­ções ain­da em fa­se ini­ci­al, Bar­re­to res­sal­ta que a for­ma com que as su­pos­tas frau­des te­ri­am ocor­ri­do é pa­re­ci­da com as ir­re­gu­la­ri­da­des que fo­ram re­ve­la­das pe­la Pas­sword, cu­ja de­nún­cia à Jus­ti­ça foi aca­ta­da nes­ta quin­ta-fei­ra (6) e cul­mi­nou na pri­são pre­ven­ti­va de um dos réus nes­ta sex­ta.

“De­pen­den­do das si­tu­a­ções, o ISS não era qui­ta­do e, con­se­quen­te­men­te, co­mo re­sul­ta­do do pro­ce­di­men­to de não qui­ta­ção do pro­ces­so ad­mi­nis­tra­ti­vo, emi­tia-se cer­ti­dões que per­mi­ti­am que o mu­ni­cí­pio exe­cu­tas­se es­ses dé­bi­tos. O pro­ble­ma é que es­sas cer­ti­dões não es­ta­vam sen­do emi­ti­das”, ex­pli­cou Bar­re­to.

PRO­CU­RA­DO­RIA JÁ FA­ZIA ‘PENTE FI­NO’

De acor­do com a PGM (Pro­cu­ra­do­ria Ge­ral do Mu­ni­cí­pio) em ju­nho des­te ano fo­ram iden­ti­fi­ca­dos apro­xi­ma­da­men­te 400 pro­ces­sos de dí­vi­das ati­vas re­la­ci­o­na­das ao pe­río­do en­tre 1995 e 2010, mas que não ti­ve­ram exe­cu­ções fis­cais con­cluí­das.

Se­gun­do o pro­cu­ra­dor João Luiz Es­te­ves es­ti­ma-se que a Pre­fei­tu­ra dei­xou de ar­re­ca­dar R$ 8 milhões em tri­bu­tos nes­te pe­río­do. Des­sas dí­vi­das 93% eram com ISS. Os ca­sos iden­ti­fi­ca­dos re­ve­lam que 111 con­tri­buin­tes (sen­do 41 pes­so­as ju­rí­di­cas) fo­ram be­ne­fi­ci­a­dos com a não exe­cu­ção ju­di­ci­al e exis­tem si­tu­a­ções co­mo a de uma em­pre­sa do se­tor de re­cre­a­ção não ter a dí­vi­da exe­cu­ta­da por se­te anos con­se­cu­ti­vos.

São as cha­ma­das dí­vi­das “per­di­das”, onde al­guns pro­ces­sos já pres­cre­ve­ram.

Na Cor­re­ge­do­ria Ge­ral do mu­ni­cí­pio um pro­ce­di­men­to tam­bém já foi ins­tau­ra­do e, de acor­do com o cor­re­ge­dor Ale­xan­dre Tran­nin, o ór­gão tem 180 di­as pa­ra apu­rar os fa­tos. “Nós ti­ve­mos um pe­río­do de di­li­gên­ci­as pré­vi­as, mas com o gran­de nú­me­ro de de­nún­ci­as que nós te­mos ins­tau­rei in­clu­si­ve nes­ta se­ma­na ago­ra uma sin­di­cân­cia pa­ra apu­rar es­sa su­pos­ta ir­re­gu­la­ri­da­de”, afir­mou.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.