Onyx aban­do­na co­le­ti­va após per­gun­tas so­bre cai­xa 2 e Co­af

Folha de Londrina - - Política - Das agências

São Paulo

- Al­vo de uma in­ves­ti­ga­ção de cai­xa dois pe­la PGE (Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da República), o fu­tu­ro mi­nis­tro­che­fe da Ca­sa Ci­vil, Onyx Lo­ren­zo­ni, pe­diu tré­gua à im­pren­sa, se ir­ri­tou com per­gun­tas dos jor­na­lis­tas e aban­do­nou uma en­tre­vis­ta co­le­ti­va após par­ti­ci­par de um al­mo­ço com em­pre­sá­ri­os do Li­de (Gru­po de Lí­de­res Em­pre­sa­ri­ais) nes­sa sex­ta-fei­ra (7), na ca­pi­tal pau­lis­ta.

O coordenador da tran­si­ção ir­ri­tou-se com uma per­gun­ta so­bre o re­la­tó­rio do Co­af (Con­se­lho de Con­tro­le de Ati­vi­da­des Fi­nan­cei­ras) que mos­tra mo­vi­men­ta­ções fi­nan­cei­ras sus­pei­tas de um ex­mo­to­ris­ta do se­na­dor elei­to Flá­vio Bol­so­na­ro (PSL-RJ), fi­lho do pre­si­den­te elei­to.

A “tré­gua” de Onyx foi pe­di­da no fim do dis­cur­so. “Qu­e­ro pe­dir pa­ra a im­pren­sa que nos acom­pa­nha, por fa­vor, uma tré­gua, em no­me do Bra­sil”, dis­se Onyx. Os em­pre­sá­ri­os aplau­di­ram a fa­la. Na en­tre­vis­ta co­le­ti­va após o al­mo­ço, o fu­tu­ro che­fe da Ca­sa Ci­vil foi qu­es­ti­o­na­do por jor­na­lis­tas so­bre qual co­mo se­ria a tré­gua.

“Al­gu­mas áre­as da im­pren­sa bra­si­lei­ra abri­ram fran­ca­men­te um ter­cei­ro tur­no. Te­mos nos­sas li­mi­ta­ções, nos­sas di­fi­cul­da­des. Va­mos fa­zer um gran­de pac­to. Não ga­nha­mos car­ta em bran­co. Sa­be­mos que te­mos opo­si­ção. Te­mos ti­do to­do res­pei­to do pon­to de vis­ta do fu­tu­ro do nos­so País. A par­tir do dia 1° de ja­nei­ro, quan­do o go­ver­no as­su­mir e ti­ver di­re­triz, aí sim, se es­ti­ver er­ra­do, cri­ti­ca”.

Em se­gui­da, Onyx foi per­gun­ta­do so­bre o inqué­ri­to aber­to a pe­di­do da PGR pa­ra in­ves­ti­gar o su­pos­to uso de cai­xa 2 em su­as cam­pa­nhas. “Se tem um ca­ra que é tran­qui­lo sou eu. Vim com Deus. Ago­ra com in­ves­ti­ga­ção autô­no­ma, vou po­der es­cla­re­cer. Nun­ca ti­ve cor­rup­ção. Não po­de ser hi­pó­cri­ta de que­rer mis­tu­rar fi­nan­ci­a­men­to e não re­gis­tro de re­ce­bi­men­to de ami­go. Es­se er­ro eu co­me­ti. Sou o úni­co que te­nho a co­ra­gem de as­su­mir”, afir­mou

Onyx se es­qui­vou da per­gun­ta afir­man­do que “se­to­res ten­tam des­truir a re­pu­ta­ção de Bol­so­na­ro” e che­gou a ata­car o Co­af ques­ti­o­nan­do onde o con­se­lho es­ta­va du­ran­te os pro­ces­sos do men­sa­lão e do pe­tró­leo. “Foi fei­ta uma ali­an­ça ide­o­ló­gi­ca que faz com que vo­cês quei­ram mis­tu­rar um go­ver­no ho­nes­to com as lam­ban­ças do PT dos úl­ti­mos 14 anos”, dis­se.

Em se­gui­da, di­an­te da in­sis­tên­cia dos jor­na­lis­tas em pe­dir uma declaração so­bre o ca­so do fi­lho de Bol­so­na­ro, Onyx per­gun­tou a um dos re­pór­te­res quanto ha­via caí­do na sua con­ta nes­te mês, lo­go an­tes de aban­do­nar a co­le­ti­va.

“HIS­TÓ­RIA PLAU­SÍ­VEL”

O de­pu­ta­do es­ta­du­al e se­na­dor elei­to pe­lo Rio Flá­vio Bol­so­na­ro (PSL), fi­lho do pre­si­den­te elei­to, Jair Bol­so­na­ro, afir­mou nes­ta sex­ta (7) que man­tém a con­fi­an­ça no exas­ses­sor Fa­brí­cio José Car­los de Qu­ei­roz, ci­ta­do em re­la­tó­rio do Co­af por mo­vi­men­ta­ção sus­pei­ta de R$ 1,2 mi­lhão.

Flá­vio Bol­so­na­ro dis­se que foi co­brar ex­pli­ca­ções do ex­mo­to­ris­ta. “Ho­je o Fa­brí­cio Qu­ei­roz con­ver­sou co­mi­go. Ele me re­la­tou uma his­tó­ria bas­tan­te plau­sí­vel e me ga­ran­tiu que não te­ria ne­nhu­ma ile­ga­li­da­de nas su­as mo­vi­men­ta­ções”, dis­se o de­pu­ta­do, na ca­sa da fa­mí­lia na Bar­ra, zo­na oes­te do Rio. “As­sim que ele for cha­ma­do ao Mi­nis­té­rio Pú­bli­co, vai dar os de­vi­dos es­cla­re­ci­men­tos”.

O fi­lho do pre­si­den­te elei­to dis­se que não po­de­ria dar de­ta­lhes da ex­pli­ca­ção da­da pe­lo ex-as­ses­sor, que, se­gun­do ele, o acom­pa­nhou por mais de dez anos.

A in­for­ma­ção do re­la­tó­rio do Co­af, em des­do­bra­men­to da Ope­ra­ção La­va Ja­to no Rio, foi re­ve­la­da pe­lo jor­nal O Es­ta­do de S. Paulo. O ex-as­ses­sor par­la­men­tar e po­li­ci­al mi­li­tar mo­vi­men­tou R$ 1,2 mi­lhão en­tre ja­nei­ro de 2016 e ja­nei­ro de 2017, de acor­do com o re­la­tó­rio do ór­gão.

Uma das tran­sa­ções ci­ta­das é um che­que de R$ 24 mil des­ti­na­do

à futura pri­mei­ra-da­ma, Mi­chel­le Bol­so­na­ro. Se­gun­do o UOL, em en­tre­vis­ta ao si­te O An­ta­go­nis­ta nes­ta

sex­ta, Bol­so­na­ro dis­se que o de­pó­si­to é re­fe­ren­te a uma dí­vi­da que o ex-as­ses­sor ti­nha com ele no va­lor de R$ 40 mil.

Valter Campanato/Agência Bra­sil

Onyx Lo­ren­zo­ni, fu­tu­ro che­fe da Ca­sa Ci­vil: “se­to­res ten­tam des­truir a re­pu­ta­ção de Bol­so­na­ro”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.