Ia­par: em de­fe­sa de um bem pú­bli­co

Folha de Londrina - - Opinião -

O Ia­par (Ins­ti­tu­to Agronô­mi­co do Pa­ra­ná) foi ins­ti­tuí­do em 1972 sen­do sua se­de prin­ci­pal em Lon­dri­na. A ideia de fun­dar um cen­tro de pes­qui­sa sur­giu de uma ne­ces­si­da­de prá­ti­ca - a fra­gi­li­da­de da economia pa­ra­na­en­se na­que­la épo­ca, sus­ten­ta­da ba­si­ca­men­te na ca­fei­cul­tu­ra. E foi im­pul­si­o­na­da pe­lo es­for­ço de téc­ni­cos, pro­du­to­res e li­de­ran­ças po­lí­ti­cas e em­pre­sa­ri­ais li­ga­das à agri­cul­tu­ra, co­mo a So­ci­e­da­de Ru­ral do Pa­ra­ná, As­so­ci­a­ção dos En­ge­nhei­ros Agrô­no­mos, Fo­lha Ru­ral e per­so­na­li­da­des co­mo Cel­so Gar­cia Cid, João Mi­la­nez e Fran­cis­co Sci­ar­ra, en­tre ou­tros.

Foi com mui­to alí­vio e sa­tis­fa­ção que re­ce­be­mos a boa no­tí­cia da sen­si­bi­li­za­ção por par­te do go­ver­na­dor Ra­ti­nho Jú­ni­or na ques­tão da não trans­fe­rên­cia da se­de do ins­ti­tu­to pa­ra Cu­ri­ti­ba. Dois as­pec­tos têm que ser res­sal­ta­dos nes­te epi­só­dio. Pri­mei­ro a rá­pi­da ar­ti­cu­la­ção de seg­men­tos im­por­tan­tes da so­ci­e­da­de lon­dri­nen­se, quer se­jam em­pre­sá­ri­os, po­lí­ti­cos ou re­pre­sen­tan­tes de en­ti­da­des vi­tais de nos­sa ci­da­de e re­gião. O se­gun­do foi a aber­tu­ra de um es­pa­ço pa­ra diá­lo­go por par­te do go­ver­no de Es­ta­do. Tal ati­tu­de mos­tra ma­tu­ri­da­de po­lí­ti­ca e es­pí­ri­to pú­bli­co, sem ne­nhum viés de au­to­ri­ta­ris­mo. Mais im­por­tan­te ain­da foi o es­ta­be­le­ci­men­to de um ca­nal de co­mu­ni­ca­ção que, es­pe­ra­mos, tor­ne-se ro­ti­nei­ro no dia-a-dia po­lí­ti­co e ad­mi­nis­tra­ti­vo pa­ra com Lon­dri­na.

Em­bo­ra te­nha-se no­ti­ci­a­do que a fu­são do Ia­par com ou­tros ór­gãos - Ema­ter (Ins­ti­tu­to Pa­ra­na­en­se de As­sis­tên­cia Téc­ni­ca e Ex­ten­são Ru­ral), Co­sa­par (Com­pa­nhia de De­sen­vol­vi­men­to do Pa­ra­ná) e, ain­da, o CPRA (Cen­tro Pa­ra­na­en­se de Re­fe­rên­cia em Agro­e­co­lo­gia) -, a ver­da­de é que não sa­be­mos até que pon­to is­to po­de­rá ser me­lhor pa­ra o agro­ne­gó­cio em nos­so Es­ta­do. Ob­vi­a­men­te que todos nós sa­be­mos da ne­ces­si­da­de em se mo­der­ni­zar mé­to­dos e pro­ce­di­men­tos pa­ra dar mai­or agi­li­da­de e efi­ci­ên­cia à má­qui­na pú­bli­ca. En­tre­tan­to, os qua­se 47 anos de ex­ce­len­tes ser­vi­ços pres­ta­dos pe­lo ins­ti­tu­to à so­ci­e­da­de pa­ra­na­en­se não po­dem ser re­su­mi­dos na fri­e­za de nú­me­ros.

A pu­jan­ça agrí­co­la e pe­cuá­ria do Pa­ra­ná são tam­bém de­cor­ren­tes do es­for­ço e com­pe­tên­cia dos pes­qui­sa­do­res e funcionários do Ia­par, bem co­mo a par­ce­ria em mui­tos pro­je­tos com a UEL (Uni­ver­si­da­de Es­ta­du­al de Lon­dri­na) e ou­tras ins­ti­tui­ções pú­bli­cas e pri­va­das de en­si­no su­pe­ri­or. Além dis­so, a par­ti­ci­pa­ção do ins­ti­tu­to jun­to ao ecos­sis­te­ma de ino­va­ção de Lon­dri­na pe­la go­ver­nan­ça do agro­ne­gó­cio es­tá mui­to bem es­ta­be­le­ci­da.

Por fim, gos­ta­ría­mos de res­sal­tar que tor­ce­mos por uma ges­tão ple­na de su­ces­so por par­te do go­ver­na­dor e equi­pe. Mas nós, rei­tor, vi­ce-rei­tor e pre­si­den­te da So­ci­e­da­de Ru­ral do Pa­ra­ná não po­de­mos nos fur­tar de um po­si­ci­o­na­men­to cla­ro e fir­me na­qui­lo que acre­di­ta­mos. O Ia­par foi, é e de­ve con­ti­nu­ar a ser um ór­gão in­de­pen­den­te pa­ra se­guir co­mo um ba­lu­ar­te do agro­ne­gó­cio pa­ra­na­en­se. E Lon­dri­na, sua se­de.

O Ia­par foi, é e de­ve con­ti­nu­ar a ser um ór­gão in­de­pen­den­te pa­ra se­guir co­mo um ba­lu­ar­te do agro­ne­gó­cio pa­ra­na­en­se. E Lon­dri­na, sua se­de”

Sérgio Car­los de Car­va­lho, Dé­cio Sab­ba­ti­ni Bar­bo­sa, Antô­nio de Oliveira Sam­paio,

e

rei­tor da UEL; vi­ce-rei­tor da UEL; pre­si­den­te da So­ci­e­da­de Ru­ral do Pa­ra­ná.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.