Nos­sa in­fla­ção

Folha de Londrina - - Entrevista -

Se­gun­do o IBGE, a in­fla­ção em Cu­ri­ti­ba che­gou a 3,38%, bem abai­xo, por­tan­to, do in­di­ca­dor na­ci­o­nal, que foi de 3,75%, quan­do o pa­râ­me­tro fi­xa­do era de 4,5%. No ano pas­sa­do a ca­pi­tal já se de­ra bem com o re­gis­tro de 3,42%. Vamos bem, de um mo­do ge­ral, no con­fron­to de in­di­ca­do­res. Per­de­mos no ran­king da ren­da interna o quar­to pos­to que ocu­pá­va­mos pa­ra o Rio Gran­de do Sul, com o qual por ve­zes re­ve­sa­mos. Mas es­se pe­so da economia, tan­to dos gaú­chos co­mo de ca­ri­o­cas e mi­nei­ros, mos­tra que há uma distância enor­me en­tre a si­tu­a­ção fis­cal dos res­pec­ti­vos es­ta­dos, afi­nal tec­ni­ca­men­te que­bra­dos co­mo uni­da­de fe­de­ra­ti­va, e o mer­ca­do con­si­de­ra­do em seu to­do.

De ou­tro la­do, ta­xa in­fla­ci­o­ná­ria é um dos fa­to­res de sus­ten­ta­ção de que es­ta­mos no li­mi­ar de um no­vo ci­clo de de­sen­vol­vi­men­to, su­pe­ra­das as se­que­las do pro­ces­so re­ces­si­vo 2016-2017.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.