Cus­to­sa mo­bi­li­da­de

Im­pac­tos econô­mi­cos e am­bi­en­tais do trans­por­te in­di­vi­du­al re­co­men­dam de­sin­cen­ti­vo ao au­to­mó­vel

Folha de S.Paulo - - Primeira Página -

So­bre ne­ces­si­da­de de de­sin­cen­ti­vo ao uso do car­ro.

O trá­fe­go in­ten­so e os lon­gos des­lo­ca­men­tos ne­ces­sá­ri­os em di­ver­sas ci­da­des bra­si­lei­ras to­mam, além de tem­po, ca­da vez mais re­cur­sos dos usuá­ri­os e da so­ci­e­da­de.

Estudo da As­so­ci­a­ção Na­ci­o­nal de Trans­por­tes Pú­bli­cos (ANTP) es­ti­mou os cus­tos so­ci­o­e­conô­mi­cos da mo­bi­li­da­de ur­ba­na em na­da me­nos de R$ 483,3 bi­lhões anu­ais, co­mo mos­trou o 3º Se­mi­ná­rio de Mo­bi­li­da­de e Ino­va­ção or­ga­ni­za­do por es­ta Fo­lha. O va­lor é 7% mai­or que o do le­van­ta­men­to an­te­ri­or.

En­tre os as­pec­tos con­si­de­ra­dos es­tão os gas­tos in­di­vi­du­ais de usuá­ri­os de trans­por­te e de em­pre­ga­do­res, os re­cur­sos do po­der pú­bli­co pa­ra man­ter o sis­te­ma em fun­ci­o­na­men­to e os im­pac­tos so­ci­ais da mo­vi­men­ta­ção dos ha­bi­tan­tes, co­mo os de emis­são de po­lu­en­tes e aci­den­tes de trânsito.

No pla­no in­di­vi­du­al, o ônus do trans­por­te tam­bém vem au­men­tan­do. Na Pes­qui­sa de Or­ça­men­tos Fa­mi­li­a­res 2017-2018 do IBGE, as des­pe­sas dos bra­si­lei­ros com trans­por­te su­pe­ra­ram pe­la pri­mei­ra vez as des­ti­na­das à ali­men­ta­ção —es­tas so­mam 17,5% do gas­to do­més­ti­co, e aque­las, 18,1%. Car­ros e mo­tos são os itens que mais pe­sam nes­sa ba­lan­ça, em­bo­ra res­pon­dam por ape­nas um ter­ço das vi­a­gens.

Além de cus­tar mais e be­ne­fi­ci­ar uma par­ce­la me­nor da po­pu­la­ção, o trans­por­te in­di­vi­du­al con­so­me qua­se o do­bro de ener­gia e po­lui du­as ve­zes mais que o pú­bli­co.

Pa­ra evi­tar o agra­va­men­to de uma si­tu­a­ção já dra­má­ti­ca, go­ver­nan­tes, em par­ti­cu­lar os das me­tró­po­les, de­vem pro­mo­ver po­lí­ti­cas de de­sin­cen­ti­vo ao uso de car­ros.

Uma al­ter­na­ti­va é a cri­a­ção de pe­dá­gi­os ur­ba­nos, a res­trin­gir a cir­cu­la­ção de veí­cu­los em de­ter­mi­na­das áre­as, co­mo já se fez em ci­da­des co­mo Sin­ga­pu­ra, Es­to­col­mo, Mi­lão e Lon­dres. No­va York en­tra­rá nes­se rol até o fim de 2020.

Com os re­cur­sos an­ga­ri­a­dos pe­la co­bran­ça, mu­ni­cí­pi­os po­de­ri­am in­ves­tir mais em seus sis­te­mas de trans­por­te pú­bli­co —op­ção pa­ra aque­les que não de­se­jam ti­rar seus au­to­mó­veis da ga­ra­gem.

Ações do gê­ne­ro, re­co­nhe­ça-se, são po­li­ti­ca­men­te di­fí­ceis, so­bre­tu­do num país que his­to­ri­ca­men­te pri­vi­le­gi­ou o trans­por­te in­di­vi­du­al.

Não se tra­ta, con­tu­do, de di­fi­cul­da­de in­trans­po­ní­vel. Pes­qui­sa re­cen­te do Ins­ti­tu­to Ip­sos mos­trou que 30% dos pau­lis­ta­nos pro­pri­e­tá­ri­os de car­ro acei­ta­ri­am abrir mão do veí­cu­lo em fa­vor de ou­tro meio de trans­por­te. Há boa mar­gem, pois, pa­ra o avan­ço des­sa agen­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.