Au­di­to­ria vê co­ne­xão en­tre PSL e se­gu­ra­do­ra do DPVAT

Par­ti­do te­ria re­ce­bi­do re­cur­sos de con­sor­ci­a­dos da Lí­der; pre­si­den­te da si­gla ne­ga

Folha de S.Paulo - - Primeira Página - Bru­na Nar­ci­zo, Di­e­go Gar­cia, Ni­co­la Pam­plo­na e Ca­tia Se­a­bra

Au­di­to­ria nas con­tas da Se­gu­ra­do­ra Lí­der, res­pon­sá­vel pe­lo DPVAT, de­ta­lha re­la­ci­o­na­men­tos que li­ga­vam a em­pre­sa ao di­re­tó­rio na­ci­o­nal do PSL de 2008 a 2017. A aná­li­se do pe­río­do, con­tra­ta­da pe­la atu­al ges­to­ra, mos­tra for­ne­ce­do­res e con­sor­ci­a­dos que abas­te­ce­ri­am fi­nan­cei­ra­men­te o par­ti­do.

En­tre as conexões des­ta­ca­das es­tão a Com­pa­nhia Ex­cel­si­or de Se­gu­ros, con­sor­ci­a­da da Lí­der que tem co­mo aci­o­nis­ta Lu­ci­a­no Bi­var, pre­si­den­te do PSL, es­cri­tó­rio de ad­vo­ca­cia cu­jo um dos só­ci­os é Antô­nio Ru­e­da, seu vi­ce, e a Sau­deSeg Sis­te­mas de Se­gu­ros, com cin­co aci­o­nis­tas no di­re­tó­rio da si­gla.

O do­cu­men­to re­la­ta que a Lí­der trans­fe­riu pa­ra es­sas em­pre­sas R$ 94 mi­lhões de 2009 a 2016. Re­gis­tra tam­bém men­sa­gens de ce­lu­la­res de di­re­to­res da se­gu­ra­do­ra e con­ta­tos com po­lí­ti­cos du­ran­te a CPI do DPVAT, cri­a­da em ju­lho de 2016 e en­cer­ra­da em ja­nei­ro de 2019 sem emi­tir ne­nhum pa­re­cer.

Bi­var dis­se que não tem re­la­ci­o­na­men­to com an­ti­gos gestores da Lí­der; Ru­e­da, que ja­mais atu­ou pa­ra im­pe­dir a CPI; a Lí­der, que a atu­al ges­tão ado­tou bo­as prá­ti­cas de go­ver­nan­ça.

são pau­lo e rio de ja­nei­ro A au­di­to­ria da KPMG nas con­tas da Se­gu­ra­do­ra Lí­der, res­pon­sá­vel pe­la ges­tão do se­gu­ro DPVAT, traz con­ver­sas de WhatsApp, tro­cas de emails e re­ci­bos de pa­ga­men­tos que mos­tram a pro­xi­mi­da­de de an­ti­gos gestores da em­pre­sa com po­lí­ti­cos ou pes­so­as pró­xi­mas a eles.

Tem des­ta­que, em especial, o de­ta­lha­men­to de uma ca­deia de re­la­ci­o­na­men­tos que li­ga­va a Lí­der ao di­re­tó­rio na­ci­o­nal do PSL no pe­río­do ana­li­sa­do. A au­di­to­ria foi con­tra­ta­da pe­la atu­al di­re­ção pa­ra ava­li­ar ges­tões an­te­ri­o­res, de 2008 a 2017.

O PSL foi a si­gla com a qual o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro se ele­geu. Bol­so­na­ro foi fi­li­a­do ao par­ti­do de mar­ço de 2018 a no­vem­bro de 2019. O fi­lho e de­pu­ta­do Edu­ar­do Bol­so­na­ro con­ti­nua fi­li­a­do à le­gen­da.

Os elos com o PSL iden­ti­fi­ca­dos pe­la au­di­to­ria en­vol­vem tan­tos in­te­gran­tes em di­fe­ren­tes ne­gó­ci­os que a KPMG in­cluiu no re­la­tó­rio fi­nal um de­se­nho es­que­má­ti­co pa­ra de­ta­lhar as conexões.

Ne­le, a Lí­der, al­guns de seus for­ne­ce­do­res e con­sor­ci­a­dos apa­re­cem co­mo par­te de uma re­de de con­ta­tos li­ga­da di­re­ta­men­te ao di­re­tó­rio na­ci­o­nal do PSL.

En­tre as conexões des­ta­ca­das no di­a­gra­ma es­tão a Com­pa­nhia Ex­cel­si­or de Se­gu­ros, con­sor­ci­a­da da Lí­der que tem co­mo aci­o­nis­ta Lu­ci­a­no Bi­var, pre­si­den­te do PSL, o es­cri­tó­rio Ru­e­da & Ru­e­da Ad­vo­ga­dos, que tem co­mo só­cio Antô­nio Ru­e­da, vi­ce-pre­si­den­te do PSL, e a Sau­deSeg Sis­te­ma de Se­gu­ros, que tem cin­co aci­o­nis­tas atu­an­do no di­re­tó­rio na­ci­o­nal PSL.

Flu­xo­gra­mas fi­nan­cei­ros tra­ça­dos pe­la KPMG mos­tram a Lí­der trans­fe­rin­do, de 2009 a 2016, R$ 94 mi­lhões pa­ra em­pre­sas do di­a­gra­ma. Des­se to­tal, a Sau­deSeg fi­cou com R$ 72 mi­lhões, va­lo­res re­pas­sa­dos de 2012 a 2016.

Em pa­ra­le­lo, po­lí­ti­cos lis­ta­dos no di­a­gra­ma re­ce­be­ram, pa­ra cam­pa­nhas elei­to­rais, R$ 330 mil em 2014 e R$ 75 mil em2016em­do­a­ções­de­pes­so­as e em­pre­sas que têm al­gu­ma li­ga­ção com a Lí­der. Os va­lo­res não es­tão cor­ri­gi­dos.

En­tre os aci­o­nis­tas da Sau­deSeg, a au­di­to­ria des­ta­cou Ro­dri­go Go­mes Fur­ta­do, com 40% de par­ti­ci­pa­ção. Fur­ta­do apa­re­ce no re­la­tó­rio co­mo só­cio da Nox En­tre­te­ni­men­to, que tam­bém ti­nha en­tre os só­ci­os Cris­ti­a­no Pe­tri­bu Bi­var, fi­lho de Lu­ci­a­no Bi­var.

O ou­tro aci­o­nis­ta men­ci­o­na­do, com 39% das ações da Sau­deSeg, foi Ri­car­do Mot­ta Lo­bo, apon­ta­do no re­la­tó­rio co­mo te­sou­rei­ro do PSL.

Um ele­men­to im­por­tan­te pa­ra a cons­tru­ção do di­a­gra­ma foi o re­gis­tro de men­sa­gens de ce­lu­la­res que mos­tra­vam con­ta­tos en­tre a Lí­der e po­lí­ti­cos du­ran­te a CPI (Co­mis­são Par­la­men­tar de Inqué­ri­to) do DPVAT.

A CPI ini­ci­ou os tra­ba­lhos em ju­lho de 2016 e te­ve sua úl­ti­ma reu­nião em se­tem­bro do mes­mo ano. Sem emi­tir pa­re­cer, foi ofi­ci­al­men­te en­cer­ra­da em ja­nei­ro de 2019.

Ao lon­go de seu le­van­ta­men­to, a KPMG te­ve aces­so aos ce­lu­la­res de di­re­to­res da Lí­der. Cha­mou a aten­ção dos au­di­to­res uma sé­rie de ar­qui­vos de ima­gens que es­ta­vam no ce­lu­lar do ex-di­re­tor ju­rí­di­co da Lí­der Mar­ce­lo Da­vo­li. Eram cap­tu­ras de te­la (prints) de con­ver­sas fa­vo­rá­veis à se­gu­ra­do­ra em meio à CPI do DPVAT —guar­da­das co­mo es­pé­ci­es de ar­qui­vos.

Pe­las ava­li­a­ções da KPMG, as men­sa­gens de ce­lu­lar tra­zem ci­ta­ções li­ga­das ao an­da­men­to da CPI e sua pos­sí­vel sus­pen­são en­vol­ven­do par­la­men­ta­res do PSB e do PSL.

Nos re­gis­tros lo­ca­li­za­dos no ce­lu­lar há tro­cas de men­sa­gens com uma pes­soa iden­ti­fi­ca­da co­mo “Sen. Fer­nan­do Be­zer­ra”.

Es­sa pes­soa afir­ma que ali­nhou o te­ma com o PSB e que a CPI do DPVAT não se­ria pror­ro­ga­da. Acres­cen­ta que o par­ti­do se­ria con­tra, ca­so o te­ma che­gas­se ao ple­ná­rio.

A ava­li­a­ção da con­sul­to­ria é que se tra­ta do se­na­dor Fer­nan­do Be­zer­ra (PSB-PE). O in­ter­lo­cu­tor des­sa con­ver­sa é iden­ti­fi­ca­do co­mo “Ru­e­da”.

“Ru­e­da”, se­gun­do a KPMG, pe­las in­di­ca­ções, tra­ta­va-se de Antô­nio Ru­e­da, o vi­ce-pre­si­den­te do PSL, só­cio do Ru­e­da & Ru­e­da Ad­vo­ga­dos. Se­gun­do a au­di­to­ria, en­tre 2014 e 2017, o es­cri­tó­rio re­ce­beu qua­se R$ 30 mi­lhões de pa­ga­men­tos da Lí­der. Na po­lí­ti­ca, Ru­e­da é con­si­de­ra­do o ho­mem for­te do pre­si­den­te do par­ti­do, Lu­ci­a­no Bi­var.

Em reu­nião em no­vem­bro de 2016, o con­se­lho de ad­mi­nis­tra­ção da Lí­der re­co­men­dou um au­men­to sig­ni­fi­ca­ti­vo dos va­lo­res pa­gos ao Ru­e­da e Ru­e­da. A par­tir des­sa de­ci­são, os pa­ga­men­tos pa­ra o es­cri­tó­rio fo­ram ele­va­dos de R$ 1,5 mi­lhão em 2014 pa­ra R$ 13,4 mi­lhões em 2016.

Em pa­ra­le­lo, a CPI do DPVAT es­tan­cou. Após uma reu­nião em se­tem­bro da­que­le ano, foi des­mo­bi­li­za­da, sem emi­tir ne­nhum pa­re­cer até o seu ar­qui­va­men­to, em 2019.

Em ou­tra men­sa­gem guar­da­da no mes­mo ce­lu­lar do di­re­tor ju­rí­di­co, o te­ma da con­ver­sa era o con­vi­te da CPI pa­ra que mem­bros do con­se­lho de ad­mi­nis­tra­ção da Lí­der pres­tas­sem es­cla­re­ci­men­tos na co­mis­são.

O in­ter­lo­cu­tor afir­ma que is­so “não é um in­di­ca­ti­vo fa­vo­rá­vel” e per­gun­ta se é pos­sí­vel re­ver­ter a si­tu­a­ção. Em res­pos­ta, re­ce­be um “ok, ami­go, com­bi­na­do” da pes­soa de no­me Mar­cos Ro­gé­rio.

A KPMG des­ta­ca que um par­la­men­tar cha­ma­do Mar­cos Ro­gé­rio (DEM-RO) re­pre­sen­tou seu par­ti­do na CPI.

Diz o tex­to do re­la­tó­rio: “Não foi pos­sí­vel iden­ti­fi­car de­ta­lhes so­bre os in­ter­lo­cu­to­res da con­ver­sa, po­rém foi cons­ta­ta­do que um par­la­men­tar com car­go de de­pu­ta­do fe­de­ral pe­lo DEM-RO re­pre­sen­ta seu par­ti­do na CPI do DPVAT e tem o no­me de sr. Mar­cos Ro­gé­rio”.

Em mais uma con­ver­sa, uma pes­soa com o mes­mo no­me do de­pu­ta­do Da­ni­el Co­e­lho (PSDB-PE), re­pre­sen­tan­te de seu par­ti­do na CPI co­mo su­plen­te, diz que o PSDB es­tá com po­si­ção fe­cha­da con­tra a pror­ro­ga­ção da in­ves­ti­ga­ção no DPVAT.

A KPMG afir­ma que a ima­gem in­di­ca que o po­lí­ti­co atu­ou con­tra a con­ti­nui­da­de da co­mis­são.

Há um do­cu­men­to no si­te da CPI que de­mons­tra in­sa­tis­fa­ção de um gru­po de par­la­men­ta­res com o cur­so dos tra­ba­lhos. Um ma­ni­fes­to as­si­na­do por oi­to de­pu­ta­dos afir­ma: “Os tra­ba­lhos da CPI têm si­do di­fi­cul­ta­dos por for­ças ocul­tas e po­de­ro­sas, exis­tin­do a sen­sa­ção, por par­te dos que subs­cre­vem es­te ma­ni­fes­to, de que a con­clu­são dos tra­ba­lhos não aten­de­rá aos re­cla­mes da so­ci­e­da­de bra­si­lei­ra”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.