Do­ria cos­tu­ra agen­das em vo­os pa­gos pe­lo go­ver­no

A ca­da 3 di­as fo­ra do pa­lá­cio, tu­ca­no pe­gou ae­ro­na­ves em 2, e com­pro­mis­sos in­clu­em PSDB e Li­de; es­ta­do ci­ta se­gu­ran­ça

Folha de S.Paulo - - Primeira Página - Joelmir Ta­va­res e Ca­ro­li­na Linhares

Go­ver­na­dor de São Pau­lo fez 435 des­lo­ca­men­tos em ae­ro­na­ves que per­ten­cem ao es­ta­do ou fo­ram lo­ca­das com re­cur­sos pú­bli­cos em 2019. Den­tre as vi­a­gens, há agen­das ca­sa­das com even­tos par­ti­cu­la­res, par­ti­dá­ri­os e do Li­de, gru­po pri­va­do que fun­dou e do qual se afas­tou em 2016.

O go­ver­no diz que eco­no­mi­zou e ci­ta ris­cos ao tu­ca­no após trans­fe­rên­cia de lí­de­res do PCC.

são pau­lo O go­ver­na­dor de

São Pau­lo, João Do­ria (PSDB), fez 435 des­lo­ca­men­tos em ae­ro­na­ves que per­ten­cem ao es­ta­do ou fo­ram lo­ca­das com re­cur­sos pú­bli­cos em 2019. De ca­da três di­as com agen­das fo­ra do Pa­lá­cio dos Ban­dei­ran­tes, em dois elas fo­ram fei­tas em aviões e he­li­cóp­te­ros.

Den­tre as vi­a­gens re­a­li­za­das pe­lo tu­ca­no e pe­la pri­mei­ra­da­ma, Bia Do­ria, em ae­ro­na­ves cus­te­a­das pe­los co­fres es­ta­du­ais há agen­das ca­sa­das com even­tos par­ti­cu­la­res, par­ti­dá­ri­os e tam­bém do Li­de, gru­po pri­va­do que fun­dou e do qual se afas­tou em 2016. Na lis­ta de pas­sa­gei­ros, ali­a­dos e ami­gos sem re­la­ção di­re­ta co­ma atu­a­ção no Exe­cu­ti­vo pau­lis­ta.

Os da­dos so­bre os vo­os de Do­ria fo­ram ob­ti­dos pe­la Folha, via LAI (Lei de Aces­so à In­for­ma­ção), na Ca­sa Mi­li­tar, ór­gão es­ta­du­al res­pon­sá­vel pe­la se­gu­ran­ça di­re­ta do go­ver­na­dor e da pri­mei­ra-da­ma.

O tu­ca­no afir­ma que ra­zões de se­gu­ran­ça— e ações go­ver­na­men­tais con­tra a fac­ção cri­mi­no­sa PCC—jus­ti­fi­cam des­lo­ca­men­tos aé­re­os de­le e da fa­mí­lia e diz não ha­ver ile­ga­li­da­des.

As vi­a­gens têm em­ba­sa­men­to em de­cre­to es­ta­du­al de 2004, pe­lo qual elas de­vem ser fei­tas“com ên­fa­se na eco­no­mi­ci­da­de ena se­gu­ran­ça ”.

A au­sên­cia de uma re­gu­la­men­ta­ção mais de­ta­lha­da pa­ra a uti­li­za­ção das ae­ro­na­ves, no en­tan­to, di­fi­cul­ta ações de con­tro­le. Ex-go­ver­na­do­res co­mo Ge­ral­do Alck­min (PSDB) e Már­cio Fran­ça( PS B) já en­fren­ta­ram crí­ti­cas por re­cor­re­ra vo­os do es­ta­do em com­pro­mis­sos ti­dos co­mo pri­va­dos.

O Ban­dei­ran­tes não re­ve­lou os gas­tos to­tais com as ae­ro­na­ves pa­ra es­ses des­lo­ca­men­tos, mas, a par­tir de con­tra­tos de lo­ca­ção, a es­ti­ma­ti­va é que te­nha si­do gas­to em tor­no de R$ 1,34 mi­lhão com alu­guel de he­li­cóp­te­ros e ae­ro­na­ves pa­ra vo­os de Do­ria e Bia em 2019.

Em 2 de de­zem­bro, por exem­plo, D ori agas­to uR $95 mil em vo­os lo­ca­dos pa­ra inau­gu­rar um pre­sí­dio em Caiuá (SP).

A pri­mei­ra-da­ma, que tam­bém é pre­si­den­te do Fun­do So­ci­al de São Pau­lo (bra­ço do go­ver­no pa­ra as­sis­tên­cia so­ci­al), tem di­rei­to ao trans­por­te aé­reo —fo­ram 22 tra­je­tos pa­ra aten­dê-la, sem con­tar os ca­sos em que em­bar­cou co­mo acom­pa­nhan­te do ma­ri­do.

Em dois dos tras­la­dos fei­tos em seu no­me, Bia le­vou jun­to uma ir­mã. As du­as pe­ga­ram he­li­cóp­te­ro do go­ver­no pa­ra che­gar ao ae­ro­por­to e to­mar voo de car­rei­ra pa­ra vi­si­tar pa­ren­tes.

Al­me­jan­do uma can­di­da­tu­ra à Pre­si­dên­cia em 2022, Do­ria ado­tou um rit­mo in­ten­so de apa­ri­ções em so­lo pau­lis­ta e vi­a­jou a ou­tros es­ta­dos em seu pri­mei­ro ano à fren­te do Ban­dei­ran­tes. A re­la­ção ob­ti­da pe­la Folha não abran­ge su­as se­te mis­sões in­ter­na­ci­o­nais, fei­tas em vo­os de car­rei­ra.

O tu­ca­no tem à sua dis­po­si­ção um he­li­cóp­te­ro do es­ta­do re­ser­va­do pa­ra trans­por­te do go­ver­na­dor, além dos cer­ca de 30 he­li­cóp­te­ros Águia da Po­lí­cia Mi­li­tar e de um avião com ca­pa­ci­da­de pa­ra no­ve pes­so­as.

O go­ver­no ain­da fre­tou ae­ro­na­ves pa­ra a lo­co­mo­ção de Do­ria, que na mai­o­ria das ve­zes te­ve a com­pa­nhia de se­cre­tá­ri­os es­ta­du­ais e as­ses­so­res, cu­jo trans­por­te aé­reo es­tá pre­vis­to na re­gu­la­men­ta­ção.

Em 2019, a agen­da pú­bli­ca do go­ver­na­dor exi­biu com­pro­mis­sos de­le no ter­ri­tó­rio bra­si­lei­ro em 264 di­as. Des­se to­tal, em 70 di­as ele te­ve ati­vi­da­des só den­tro do pa­lá­cio. Dos 194 di­as em que saiu, uti­li­zou ae­ro­na­ves pa­ra che­gar até os des­ti­nos em 63,4% das ve­zes.

Em 31 de maio, por exem­plo, sua agen­da re­gis­trou a ida a Bra­sí­lia pa­ra a con­ven­ção na­ci­o­nal do PSDB. Pa­ra che­gar ao ae­ro­por­to de Con­go­nhas (zo­na sul), on­de em­bar­cou em ja­to lo­ca­do, ele uti­li­zou um Águia. No re­tor­no, ou­tro he­li­cóp­te­ro da PM le­vou Do­ria do ter­mi­nal pa­ra ca­sa.

Pa­ra bus­car o tu­ca­no e a pri­mei­ra-da­ma em ca­sa e le­vá-los de vol­ta, os he­li­cóp­te­ros usam co­mo ba­se um he­li­pon­to do edi­fí­cio on­de fi­ca a se­de do Li­de, na ave­ni­da Fa­ria Li­ma. Do­ria e Bia re­si­dem a cer­ca de 800 m do pré­dio, na rua Itá­lia, nos Jar­dins (zo­na oes­te de SP).

De­pois do en­con­tro par­ti­dá­rio em Bra­sí­lia, o go­ver­na­dor te­ve al­mo­ço em Bra­sí­lia com o chan­ce­ler Er­nes­to Araú­jo e du­as en­tre­vis­tas a jor­na­lis­tas.

O tre­cho de ida e vol­ta até a ca­pi­tal fe­de­ral cus­tou, se­gun­do va­lo­res de mer­ca­do, R$ 49.200. A ta­be­la do go­ver­no in­di­ca que Do­ria aco­mo­dou no voo o de­pu­ta­do fe­de­ral Car­los Sam­paio (PSDB-SP), mas o par­la­men­tar ne­ga es­sa in­for­ma­ção.

Em 22 de abril, o ex-de­pu­ta­do Bru­no Araú­jo —que no mês se­guin­te se­ria elei­to pre­si­den­te na­ci­o­nal do PSDB— acom­pa­nhou o go­ver­na­dor em ou­tra vi­a­gem de São Pau­lo a Bra­sí­lia. O alu­guel da ae­ro­na­ve foi es­ti­ma­do em R$ 51.900.

Do­ria tam­bém usou tras­la­dos pa­gos pe­lo es­ta­do pa­ra ira even­tos do Li­de, que faz par­te do Gru­po Do­ria, cu­jo co­man­do aci­o­ná­rio ele pas­sou aos fi­lhos em 2016, às vés­pe­ras da elei­ção mu­ni­ci­pal.

Par­te das agen­das do Li­de foi na ca­pi­tal pau­lis­ta —co­mo um se­mi­ná­rio com o pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-RJ), e um “al­mo­ço-de­ba­te” com o pre­si­den­te do Su­pre­mo, Di­as Tof­fo­li, e ou­tro, com o mi­nis­tro da Se­cre­ta­ria de Go­ver­no da Pre­si­dên­cia, Luiz Edu­ar­do Ra­mos.

Além dis­so, o go­ver­na­dor foi a even­to do Li­de em Cam­pos do Jor­dão, ci­da­de on­de pos­suiu ma­cas a com he­li pon­to, a Vil la Do ria, cu­jo ter­re­no ocu­pa um quar­tei­rão in­tei­ro.

Em 4 de abril, o tu­ca­no em­bar­cou em um he­li­cóp­te­ro alu­ga­do pe­lo es­ta­do (cus­to es­ti­ma­do de R$ 18 mil) ru­mo à vi­la. Sua agen­da pa­ra aque­le dia na ci­da­de pre­via a as­si­na­tu­ra de dois atos.

De­pois des­sa ce­rimô­nia, que trans­cor­reu das 17h às 17h30, seu com­pro­mis­so era com­pa­re­cer, co­mo con­vi­da­do, ao jan­tar de aber­tu­ra do 18º Fó­rum Em­pre­sa­ri­al Li­de.

Co­mo não há re­gis­tro de que ele te­nha vol­ta­do pa­ra a ca­pi­tal após o jan­tar, é pos­sí­vel su­por que Do­ria per­noi­tou em Cam­pos, já que no dia se­guin­te, às 8h30, ele fez a aber­tu­ra oficial do fó­rum.

No re­tor­no, o he­li­cóp­te­ro fre­ta­do pe­lo go­ver­no deu ca­ro­na à pre­si­den­te do Ins­ti­tu­to Ayr­ton Sen­na, Vi­vi­a­ne Sen­na, uma das pa­les­tran­tes da con­fe­rên­cia do Li­de.

Em 12 de fe­ve­rei­ro, o go­ver­na­dor no­va­men­te com­bi­nou agen­da ins­ti­tu­ci­o­nal e em­pre­sa­ri­al ao pro­gra­mar uma vi­a­gem pa­ra Be­lo Ho­ri­zon­te. Ele saiu do Ban­dei­ran­tes em he­li­cóp­te­ro do es­ta­do e foi pa­ra Con­go­nhas, on­de em­bar­cou em um ja­to fre­ta­do com des­ti­no à BH (cus­to es­ti­ma­do em R$ 25 mil).

O ci­rur­gião plás­ti­co Alexandre Sen­ra, que diz ter Do­ria co­mo um de seus pa­ci­en­tes e ser ami­go do po­lí­ti­co, foi um dos pas­sa­gei­ros do avião. De­pois de pou­sar no ae­ro­por­to da Pam­pu­lha, o go­ver­na­dor vi­a­jou em he­li­cóp­te­ro pri­va­do ru­mo a No­va Li­ma, na Gran­de BH.

Lá ele par­ti­ci­pou de al­mo­ço com em­pre­sá­ri­os pro­mo­vi­do pe­lo Gru­po VB Co­mu­ni­ca­ção, par­cei­ro lo­cal do Li­de, e vol­tou ao he­li­cóp­te­ro pa­ra ira uma reu­nião co­mo go­ver­na­dor Ro­meu Z ema( No­vo ).

A ae­ro­na­ve par­ti­cu­lar é ope­ra­da pe­la Via Jap Co­mér­cio de Veí­cu­los Lt­da., que dis­se ter fei­to o voo de gra­ça.

A pre­sen­ça de Do­ria nes­sas ati­vi­da­des foi pu­bli­ca­da no si­te do go­ver­no. A aná­li­se iso­la­da da ta­be­la de vo­os per­mi­te ver, po­rém, que em ao me­nos qua­tro oca­siões o tu­ca­no fez vo­os cus­te­a­dos pe­lo es­ta­do pa­ra com­pro­mis­sos que não cons­tam na agen­da.

Al­guns ca­sos fo­ram mo­ti­va­dos por emer­gên­ci­as, co­mo o massacre na es­co­la Raul Bra­sil, em Su­za­no, e o ve­ló­rio do ban­quei­ro Lá­za­ro Bran­dão — no re­tor­no do funeral, o he­li­cóp­te­ro deu ca­ro­na ao mé­di­co Clau­dio Lot­ten­berg, do hos­pi­tal Al­bert Eins­tein e do Uni­tedHe­alth Group Bra­sil.

Do­ria fez ain­da dois pou­sos não pro­gra­ma­dos no hos­pi­tal Sí­rio-Li­ba­nês, on­de seu cor­re­li­gi­o­ná­rio Bru­no Co­vas es­ta­va in­ter­na­do pa­ra tra­ta­men­to de câncer, em 24 e 28 de ou­tu­bro.

Os vo­os que aten­de­ram à pri­mei­ra-da­ma fo­ram to­dos jus­ti­fi­ca­dos e têm re­la­ção com cam­pa­nhas e pro­gra­mas do Fun­do So­ci­al.

Os que des­to­am são os des­lo­ca­men­tos em que deu ca­ro­na à ir­mã Ro­sa­ni Bet­ta­nin Sa­la­ni­tri com des­ti­no ao ae­ro­por­to de Vi­ra­co­pos, em Cam­pi­nas. As du­as des­ce­ram do Águia e em­bar­ca­ram em voo da com­pa­nhia Azul ru­mo a Cha­pe­có (SC), que fi­ca a cer­ca de 60 km da ci­da­de na­tal de­las, Pi­nhal­zi­nho (SC).

Um si­te lo­cal afir­mou que ela foi “re­ver seus fa­mi­li­a­res”.

Se­gun­do o de­cre­to de 2014 que re­ge os des­lo­ca­men­tos aé­re­os, ca­be à Ca­sa Mi­li­tar ze­lar pe­la se­gu­ran­ça do go­ver­na­dor, da pri­mei­ra-da­ma e de seus res­pec­ti­vos fa­mi­li­a­res. O meio de trans­por­te usa­do pe­lo che­fe do Exe­cu­ti­vo é de­ter­mi­na­do pe­lo ór­gão.

O an­te­ces­sor de Do­ria, Már­cio Fran­ça (abril a de­zem­bro de 2018), foi in­ves­ti­ga­do pe­lo Mi­nis­té­rio Pú­bli­co sob sus­pei­ta de uso in­de­vi­do de he­li­cóp­te­ros Águia pa­ra atos de cam­pa­nha elei­to­ral e com­pro­mis­sos par­ti­cu­la­res.

Em ou­tu­bro de 2019, o ór­gão de­ci­diu ar­qui­var o inqué­ri­to a pe­di­do do pro­mo­tor do ca­so, que con­cluiu não ter ha­vi­do ir­re­gu­la­ri­da­de.

Alck­min tam­bém foi qu­es­ti­o­na­do em 2012 por­que ele e a pri­mei­ra-da­ma, Lu, usa­ram um he­li­cóp­te­ro do go­ver­no pa­ra bus­car o fi­lho, a no­ra e os dois ne­tos no ae­ro­por­to de Gu­a­ru­lhos.

Cer­ca de du­as se­ma­nas an­tes de mor­rer, em 2001, o ex-go­ver­na­dor Má­rio Co­vas (PSDB) pas­sou mal e che­gou a ser le­va­do, em he­li­cóp­te­ro do go­ver­no, da ca­sa da fa­mí­lia em Ber­ti­o­ga pa­ra o In­cor (Ins­ti­tu­to do Co­ra­ção).

A lis­ta de vo­os for­ne­ci­da pe­lo es­ta­do não in­clui tra­je­tos fei­tos em he­li­cóp­te­ro par­ti­cu­lar do go­ver­na­dor. Se­gun­do o go­ver­no, o tu­ca­no usa seu he­li­cóp­te­ro em agen­das pes­so­ais em fins de se­ma­na.

Ca­du Ro­lim - 16.dez.2019/Fo­to­a­re­na/Fo­lha­press

Do­ria de­sem­bar­ca em São Ro­que (SP) do he­li­cóp­te­ro PR-GSP, que é do go­ver­no

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.