MI­RAN­TES

Dez lu­ga­res pa­ra co­nhe­cer São Pau­lo do al­to

Folha de S.Paulo - Saopaulo - - #374/Índice - Thai­za Pau­lu­ze

O ho­ri­zon­te pau­lis­ta­no po­de pa­re­cer ape­nas um aglo­me­ra­do de ar­ra­nha-céus. Mas, a par­tir de um dos mi­ran­tes da ci­da­de, é pos­sí­vel ver que São Pau­lo guar­da va­les, ser­ras, ri­os, flo­res­tas, pré­di­os his­tó­ri­cos e to­do o ti­po de sur­pre­sa. Ver a ci­da­de de um pon­to ele­va­do é a chan­ce de apre­en­der so­bre ela, diz Mau­ro Cal­li­a­ri, pes­qui­sa­dor da Fa­cul­da­de de Ar­qui­te­tu­ra e Ur­ba­nis­mo da USP e au­tor do li­vro “Es­pa­ço Pú­bli­co e Ur­ba­ni­da­de em São Pau­lo” (BEI, 2016). “Ao su­bir, vo­cê se lo­ca­li­za e se sen­te par­te da ci­da­de.” En­tre tra­di­ci­o­nais e clás­si­cos, co­nhe­ça dez mi­ran­tes pa­ra vi­si­tar.

9 DE JULHO

Atrás do Masp es­tá o Mi­ran­te No­ve de Julho, re­vi­ta­li­za­do em 2015. Com vis­ta pa­ra a ave­ni­da homô­ni­ma, o lu­gar, an­tes aban­do­na­do, ago­ra fun­ci­o­na co­mo es­pa­ço cul­tu­ral. A pro­gra­ma­ção in­clui shows, ses­sões de ci­ne­ma, fei­ras in­de­pen­den­tes e ex­po­si­ções de ar­te —além de ter um ca­fé e um res­tau­ran­te →R. Car­los Co­me­na­le, s/nº, Be­la Vis­ta, tel. 31116342. Ter. a dom.: 10h às 22h. Grá­tis

VÃO DO MASP

Nu­ma das áre­as mais al­tas da ci­da­de, o Masp pre­ser­va um vão-li­vre que dá vis­ta pa­ra o cen­tro da ci­da­de e a ser­ra da Can­ta­rei­ra. Ho­je, o lo­cal pro­je­ta­do pe­la ar­qui­te­ta Li­na Bo Bar­di é ocu­pa­do por ati­vi­da­des cul­tu­rais co­mo apre­sen­ta­ções de mú­si­ca, ar­tes e dan­ça, ma­ni­fes­ta­ções, fei­ras li­vres e exi­bi­ções de fil­mes

→Av. Pau­lis­ta, 1.578, Be­la Vis­ta. Grá­tis

VIADUTO DO CHÁ

Inau­gu­ra­do em 1892, foi o pri­mei­ro viaduto a ser cons­truí­do na ci­da­de. Seu no­me tem ori­gem nas plan­ta­ções de chá que ha­via por ali. São du­as vis­tas. De um la­do, há o Va­le do Anhan­ga­baú, o viaduto San­ta Ifi­gê­nia e o edi­fí­cio Mi­ran­te do Va­le —o mais al­to da ca­pi­tal. Do ou­tro, a praça da Ban­dei­ra e o Ma­ta­raz­zo. No fun­do, o The­a­tro Mu­ni­ci­pal

→Viaduto do Chá, Cen­tro. Grá­tis.

PE­DRA GRAN­DE

A 1.010 me­tros aci­ma do ní­vel do mar, a for­ma­ção ro­cho­sa de gra­ni­to per­mi­te vi­são da me­tró­po­le, de par­te de Gu­a­ru­lhos e da ser­ra do Mar, a par­tir de uma das mai­o­res áre­as de re­ser­va flo­res­tal ur­ba­na: o Par­que Es­ta­du­al da Can­ta­rei­ra. A tri­lha tem 9,6 km (ida e vol­ta) e con­ta com a pre­sen­ça de ma­ca­cos bu­gi­os e de qua­tis, além de di­ver­sas es­pé­ci­es da ma­ta atlân­ti­ca /R. do Hor­to, 1.799, Hor­to Flo­res­tal, tel. 2203-0115. Sáb., dom e fe­ri­a­dos: 8h às 17h. R$ 7 a R$ 14

FAROL SANTANDER

O Al­ti­no Aran­tes, co­nhe­ci­do co­mo Ba­nes­pão, é ho­je o ter­cei­ro pré­dio mais al­to de São Pau­lo. Com 161 me­tros de al­tu­ra, o edi­fí­cio foi re­a­ber­to pa­ra vi­si­ta­ção em ja­nei­ro des­te ano com o no­me de Farol Santander, após fi­car dois anos fe­cha­do. Do seu mi­ran­te, po­de-se ver a ca­te­dral da Sé, o Mos­tei­ro São Ben­to e o Mer­ca­do Mu­ni­ci­pal /R. João Brí­co­la, 24, Cen­tro, tel. 2196-3730. Ter. a sáb.: 9h às 19h. Dom.: 9h às 17h. R$ 7,50 a R$ 20

PRAÇA DO PÔR-DO-SOL

A Praça Co­ro­nel Cus­tó­dio Fer­nan­des, no Al­to de Pi­nhei­ros, re­ce­be di­a­ri­a­men­te jo­vens só pa­ra ver o pôr do sol. Não à toa: o céu mis­tu­ra co­res co­mo ro­sa e la­ran­ja no fim da tar­de. Os bair­ros que ro­dei­am o lo­cal e a Ci­da­de Uni­ver­si­tá­ria com­põem o ce­ná­rio /En­tre a rua De­sem­bar­ga­dor Fer­rei­ra Fran­ça e a rua dos Ma­cu­nis, Al­to de Pi­nhei­ros. Grá­tis

COPAN

Com for­ma de “S” e pro­je­ta­do por Os­car Ni­e­meyer, com a co­la­bo­ra­ção de Car­los Le­mos, o pré­dio foi inau­gu­ra­do em 1966. Seus 115 me­tros de al­tu­ra são di­vi­di­dos em 35 an­da­res e 1.160 apar­ta­men­tos, en­tre uni­da­des re­si­den­ci­ais e me­tros co­mer­ci­ais.

289 Da co­ber­tu­ra, é pos­sí­vel ver to­da a re­gião cen­tral e iden­ti­fi­car o Edi­fí­cio Itá­lia, o pré­dio do an­ti­go ho­tel Hil­ton, a Con­so­la­ção, a Mar­gi­nal Ti­e­tê e a Pau­lis­ta /Av. Ipi­ran­ga, 200, Blo­co F, Re­pú­bli­ca, tel. 3257-6169. Seg. a sex.: 10h15 e 15h15; du­ra­ção de 20 mi­nu­tos. Grá­tis

EDI­FÍ­CIO ITÁ­LIA

O Cir­co­lo Ita­li­a­no, ou Edi­fí­cio Itá­lia, é o se­gun­do mai­or edi­fí­cio da ci­da­de, com 46 an­da­res e 165 me­tros de al­tu­ra. Inau­gu­ra­do em 1965, tem no to­po o tra­di­ci­o­nal res­tau­ran­te Ter­ra­ço Itá­lia, que per­mi­te a vi­si­ta­ção ao seu ter­ra­ço pa­no­râ­mi­co. De lá, é pos­sí­vel ver o cen­tro, a ser­ra da Can­ta­rei­ra e o Copan, com a Pau­lis­ta ao fun­do /Av. Ipi­ran­ga, 344, 41º an­dar, Re­pú­bli­ca, tel. 2189-2929. Seg. a sex.: 16h às 19h. R$ 30

MAC IBIRAPUERA

O Mu­seu de Ar­te Con­tem­po­râ­nea da Uni­ver­si­da­de de São Pau­lo é mais uma das cons­tru­ções de Os­car Ni­e­meyer. O pro­je­to foi con­cluí­do em 1953 e ho­je ofe­re­ce, além do con­jun­to de obras de ar­te, um ter­ra­ço de aces­so li­vre —lá em ci­ma fun­ci­o­na tam­bém o ca­fé e o res­tau­ran­te Vis­ta. Do al­to, é pos­sí­vel ver a ave­ni­da 23 de Maio e o par­que Ibirapuera /Av. Pe­dro Ál­va­res Ca­bral, 1.301, Ibirapuera, tel. 3152-6130. Ter.: 10h às 21h. Qua. a dom.: 10h às 18h. Grá­tis

PICO DO JARAGUÁ

É o pon­to mais al­to da ci­da­de, com 1.135 me­tros de al­ti­tu­de. A seu re­dor es­tá o Par­que Es­ta­du­al do Jaraguá, com re­ser­va de ma­ta atlân­ti­ca de­cla­ra­da pa­trimô­nio na­tu­ral da hu­ma­ni­da­de pe­la Unes­co em 1994. No pon­to mais al­to, aces­sí­vel após uma ho­ra de tri­lha, tem-se uma vi­são com­ple­ta da ca­pi­tal, num raio de 55 km /R. Antô­nio Car­do­so No­guei­ra, 539, Vi­la Chi­ca Lui­sa, tel. 3941-2162. Seg. a dom.: 7h às 17h. Grá­tis

EDUARDO KNAPP/FO­LHA­PRESS

DARIO OLIVEIRA/FO­LHA­PRESS

DIVULGAÇÃO

FABIO BRAGA/FO­LHA­PRESS

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.