Me­mó­ri­as in­ven­ta­das

Folha de S.Paulo - Saopaulo - - Teatro -

Um dos no­mes de mai­or re­le­vân­cia da ce­na te­a­tral con­tem­po­râ­nea, Ro­bert Le­pa­ge fi­cou co­nhe­ci­do por en­ce­na­ções im­pac­tan­tes, mistura de fá­bu­la e má­gi­ca vi­su­al. O mer­gu­lho fa­bu­lar é um tan­to mais pro­fun­do em “887”, es­pe­tá­cu­lo que o diretor fran­co-ca­na­den­se apre­sen­ta em São Paulo no fim des­te mês.

Tra­ta-se de uma in­cur­são nas me­mó­ri­as de in­fân­cia do diretor. Mas o his­tó­ri­co de Le­pa­ge ser­ve ape­nas de tram­po­lim para se dis­cu­tir a re­le­vân­cia de cer­tas lem­bran­ças, por que al­gu­mas per­sis­tem enquanto ou­tras de­sa­pa­re­cem e o que é a me­mó­ria co­le­ti­va.

É o diretor quem atua no es­pe­tá­cu­lo, tra­fe­gan­do numa in­ter­pre­ta­ção entre o teatro e a pa­les­tra. Ele dá cor­po a um ator que, com cer­to so­fri­men­to, de­ve lem­brar não ape­nas do tex­to da pe­ça, mas tam­bém do seu passado e da re­a­li­da­de his­tó­ri­ca que o cer­ca. /Sesc Pi­nhei­ros $

Aman­da Acos­ta vi­ve Car­men Mi­ran­da

Ro­bert Le­pa­ge em ‘887’

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.