Raio-X re­sis­ten­te a in­tem­pé­ri­es quer aju­dar paí­ses emer­gen­tes

Folha De S.Paulo - - Ciência+saúde - CÉCILE DENAYROUSE BERTRAND BEAUTÉ

Se­gun­do a Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al da Saú­de (OMS), dois ter­ços da po­pu­la­ção mun­di­al não têm aces­so a ser­vi­ços de di­ag­nós­ti­co por ima­gem. Uma start-up de Lau­san­ne, na Suí­ça, quer mudar es­se pa­no­ra­ma com um no­vo apa­re­lho pro­je­ta­do es­pe­ci­fi­ca­men­te pa­ra paí­ses em de­sen­vol­vi­men­to.

Um aci­den­te de trân­si­to, uma pneu­mo­nia e uma fra­tu­ra na per­na re­que­rem sis­te­mas de di­ag­nós­ti­co por ima­gem, mas no con­ti­nen­te afri­ca­no o aces­so a um apa­re­lho des­ses nem sem­pre é fá­cil. Na África sub­sa­a­ri­a­na, até 70% do equi­pa­men­to mé­di­co atu­al­men­te ins­ta­la­do es­tá fo­ra de ope­ra­ção.

Pa­ra en­fren­tar es­se pro­ble­ma, Bertrand Klai­ber, fun­da­dor da Pris­tem, quer pro­du­zir uma má­qui­na de raio-X ro­bus­ta e ba­ra­ta pa­ra os mer­ca­dos emer­gen­tes.

O re­sul­ta­do do tra­ba­lho é a má­qui­na de raio-X Glo­balDi­ag­nos­tiX, que su­por­ta tem­pe­ra­tu­ras de até 45°C, umi­da­de de 98% e vo­lu­mes ele­va­dos de po­ei­ra. Os mo­to­res elé­tri­cos fo­ram subs­ti­tuí­dos por um sis­te­ma me­câ­ni­co, e a tec­no­lo­gia di­gi­tal subs­ti­tuiu os fil­mes ra­di­o­ló­gi­cos pa­ra re­du­zir cus­tos.

“Na África a pri­o­ri­da­de é aten­der às ne­ces­si­da­des bá­si­cas. Um pa­ci­en­te no hos­pi­tal de Ya­oun­dé, nos Ca­ma­rões, não pre­ci­sa da tec­no­lo­gia mais re­cen­te. O que eles pre­ci­sam, é de equi­pa­men­to que fun­ci­o­ne”, diz Klai­ber.

A start-up suí­ça pre­ci­sa de US$ 10 mi­lhões pa­ra co­lo­car seu pro­du­to no mer­ca­do —e já ob­te­ve me­ta­de do ca­pi­tal ne­ces­sá­rio. PAU­LO MIGLIACCI

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.