O es­pí­ri­to da in­cer­te­za

Folha De S.Paulo - - Opinião -

SÃO PAULO - A pes­qui­sa Da­ta­fo­lha su­ge­re que a elei­ção pre­si­den­ci­al des­te ano de­ve­rá ser mais im­pre­vi­sí­vel até do que a de 1989. Se na­que­le plei­to os can­di­da­tos bri­ga­vam pa­ra ver quem dis­pu­ta­ria o se­gun­do tur­no con­tra Fer­nan­do Col­lor de Mello, que em abril li­de­ra­va com 17% das in­ten­ções de vo­to, ago­ra não há ne­nhum pos­tu­lan­te que pa­re­ça ter pas­sa­gem as­se­gu­ra­da pa­ra o se­gun­do es­cru­tí­nio.

Lu­la, que ex­ce­de os 30%, es­tá fo­ra. Mes­mo que ve­nha a ser sol­to, es­tá im­pe­di­do de con­cor­rer pe­la Lei da Fi­cha Lim­pa. Jair Bol­so­na­ro atin­ge os 17%, mas há in­dí­ci­os de que es­se se­ja seu te­to. Um se­gun­do pe­lo­tão com­pos­to por Ma­ri­na Sil­va, Jo­a­quim Bar­bo­sa, Ci­ro Go­mes e Ge­ral­do Alck­min mar­ca en­tre 7% e 16%. Em prin­cí­pio qual­quer um tem con­di­ções de pas­sar pa­ra o se­gun­do tur­no.

Não de­ve­mos, con­tu­do, dei­xar que o es­pí­ri­to da in­cer­te­za nos le­ve pa­ra o ter­ri­tó­rio dos de­lí­ri­os. Em­bo­ra es­te­ja­mos di­an­te de uma elei­ção es­pe­ci­al­men­te im­pre­vi­sí­vel, ain­da li­da­mos com um pro­ces­so de es­co­lha le­va­do a ca­bo por se­res hu­ma­nos no pla­ne­ta Ter­ra, o que bas­ta pa­ra es­ta­be­le­cer pa­drões e ten­dên­ci­as.

O con­jun­to dos elei­to­res, na mai­o­ria das si­tu­a­ções, re­jei­ta ra­di­ca­lis­mos. Is­so faz de Bol­so­na­ro o can­di­da­to que to­dos que­rem en­fren­tar no se­gun­do tur­no. Quem quer que dis­pu­te con­tra ele tem enor­me pro­ba­bi­li­da­de de se ele­ger.

Ró­tu­los ide­o­ló­gi­cos im­por­tam. Is­so sig­ni­fi­ca que o pos­tu­lan­te que con­se­guir ves­tir-se co­mo mais viá­vel re­pre­sen­tan­te da es­quer­da ten­de­rá a abo­ca­nhar par­te do es­pó­lio de Lu­la e ve­rá au­men­ta­da sua chan­ce de che­gar ao se­gun­do tur­no. Ci­ro pa­re­ce o can­di­da­to na­tu­ral, mas Ma­ri­na, Bar­bo­sa e al­gum pe­tis­ta ain­da não de­fi­ni­do não es­tão fo­ra do pá­reo.

Es­tru­tu­ra par­ti­dá­ria e tem­po de TV tam­bém são re­le­van­tes. Quem con­se­guir uma ali­an­ça com o MDB fi­ca­rá em boa po­si­ção. Alck­min, se so­bre­vi­ver à La­va Ja­to e à cris­ti­a­ni­za­ção, tam­bém ga­nha­rá pon­tos na re­ta fi­nal. helio@uol.com.br

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.