Em fla­gran­te

Abusos de po­der e ar­ti­ma­nhas têm aco­me­ti­do inú­me­ros pro­ces­sos da La­va Ja­to

Folha de S.Paulo - - Eleições 2018 - Ja­nio de Frei­tas Jornalista e mem­bro do Con­se­lho Editorial da Fo­lha

A úl­ti­ma de­ci­são do mi­nis­tro Dias Tof­fo­li an­tes de as­su­mir a pre­si­dên­cia do Su­pre­mo é um fla­gran­te, ex­pos­to com cla­re­za ra­ra, dos abusos de po­der e ar­ti­ma­nhas que têm aco­me­ti­do inú­me­ros pro­ces­sos da La­va Ja­to. Des­ta vez não ca­be­rá a ale­ga­ção de “mais um rom­pan­te de Gil­mar Men­des con­tra a La­va Ja­to”.

Mas não é me­nos cor­tan­te a serena ca­rac­te­ri­za­ção de Tof­fo­li para o ato de Ser­gio Mo­ro, que “ten­tou bur­lar o en­ten­di­men­to [do Su­pre­mo] fi­xa­do em acór­dão”. Bur­lar é uma con­du­ta que recebe de Ser­gio Mo­ro fre­quen­tes con­de­na­ções.

A ten­ta­ti­va des­ven­da­da con­sis­tiu, por par­te de Mo­ro e nas pa­la­vras de Tof­fo­li, em en­ca­mi­nhar “sob a rou­pa­gem de corrupção pas­si­va os mesmos fa­tos que o STF en­ten­deu que po­de­ri­am cons­ti­tuir crime elei­to­ral”. Tra­ta-se da de­nún­cia de que Gui­do Man­te­ga re­ce­beu “doações eleitorais [para o PT] por meio de cai­xa dois”, es­tan­do já de­fi­ni­do pe­lo Su­pre­mo que ca­sos as­sim são per­ti­nen­tes à Jus­ti­ça Elei­to­ral. Cum­prir es­sa de­ter­mi­na­ção, já apli­ca­da a ou­tros pro­ces­sos, ti­ra­ria de Mo­ro o do­mí­nio do ca­so e a pos­si­bi­li­da­de de con­de­nar o ex-mi­nis­tro.

A pro­pen­são a con­de­nar Man­te­ga, não ex­pli­ci­ta­da, es­tá im­plí­ci­ta no re­cur­so até mes­mo à ir­re­gu­la­ri­da­de. No que, a ri­gor, a no­vi­da­de não es­tá no re­cur­so, mas na sua ca­rac­te­ri­za­ção por Dias Tof­fo­li, sem pre­ce­den­te ape­sar das tan­tas si­tu­a­ções se­me­lhan­tes.

Por fa­lar em La­va Ja­to, o pe­di­do de ve­ri­fi­ca­ção dos prazos nos inqué­ri­tos em re­cen­tes de­nún­ci­as con­tra Alck­min, Had­dad e Be­to Ri­cha leva os pro­cu­ra­do­res do gru­po de Cu­ri­ti­ba à re­a­ção de sem­pre: é “mor­da­ça”, é sub­me­tê-los a “cons­tran­gi­men­to”. Ou, mais atu­a­li­za­do, é as­sé­dio. A con­fir­ma­ção es­ta­ria no au­tor do pe­di­do à cor­re­ge­do­ria do Con­se­lho Na­ci­o­nal do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co: foi o seu integrante que representa o Se­na­do. Por uma vez, a in­si­nu­a­ção dos pro­cu­ra­do­res acer­ta.

Foi mes­mo por vir do Se­na­do que Luiz Ban­dei­ra de Mel­lo le­van­tou a sus­pei­ta de ma­ni­pu­la­ção de prazos, com in­ter­fe­rên­cia nas elei­ções, por três pro­cu­ra­do­res. Nenhum dos oi­to pro­cu­ra­do­res que in­te­gram o Con­se­lho te­ve al­gu­ma iniciativa di­an­te da coin­ci­dên­cia dos ines­pe­ra­dos atos de seus co­le­gas. Ain­da mais, Alck­min e Had­dad são acu­sa­dos de cai­xa dois em campanhas pas­sa­das. Ca­sos, co­mo de­ci­diu o STF, que vão para a Jus­ti­ça Elei­to­ral. Be­to Ri­cha é acu­sa­do de corrupção.

Alck­min pode des­con­fi­ar de que entrou nas de­nún­ci­as apres­sa­das para en­fra­que­cer acu­sa­ções de per­se­gui­ção ao en­fim can­di­da­to do PT.

Entre eles

Com a inun­da­ção da pro­pa­gan­da de Alck­min em duas se­ma­nas de TV, além de ou­tras apa­ri­ções, seu imo­bi­lis­mo ul­tra­pas­sa as pre­vi­sões mais ne­ga­ti­vas que mo­ti­vou. Por ora se con­fir­ma que o acor­do com os de­mais par­ti­dos do cen­trão foi tão inú­til qu­an­to cus­to­so, va­len­do só —se tan­to— para as cú­pu­las par­ti­dá­ri­as. Nas ba­ses, quem se me­xe tra­ba­lha para ou­tro can­di­da­to ou só para si mes­mo.

Ma­ri­na, por sua vez, nem tem­po de TV tem para se­gu­rar-se um pou­co mais, à es­pe­ra da sor­te. A al­ter­na­ti­va, uma cam­pa­nha mo­vi­men­ta­da e in­te­res­san­te nas idei­as, é in­com­pa­tí­vel com sua len­ti­dão, se não apa­tia. Mas não pre­ci­sa­va antecipar tan­to o pre­vi­sí­vel.

É ce­do para ha­ver in­di­ca­ções mais apro­vei­tá­veis so­bre Had­dad. A expectativa nes­ta se­ma­na re­cai em Ci­ro. Entre o pe­núl­ti­mo e o re­cen­te Da­ta­fo­lha, ele se mo­veu bas­tan­te na cam­pa­nha e na­da na pes­qui­sa. Sa­ber o que is­so sig­ni­fi­ca é a ques­tão do mo­men­to.

Bol­so­na­ro con­ti­nua entre a iro­nia da violência e a violência da iro­nia.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.