Chefe da OEA diz que avalia até in­ter­ven­ção mi­li­tar na Venezuela

Folha de S.Paulo - - Mundo -

O secretário-ge­ral da OEA (Or­ga­ni­za­ção dos Es­ta­dos Ame­ri­ca­nos), Luis Al­ma­gro, dis­se que não de­ve ser des­car­ta­da uma “in­ter­ven­ção mi­li­tar” na Venezuela para “der­ru­bar” o go­ver­no do di­ta­dor Ni­co­las Ma­du­ro.

A de­cla­ra­ção do uru­guaio ocor­reu na Colôm­bia, no mo­men­to em que tra­ta­va da mi­gra­ção em massa de ve­ne­zu­e­la­nos. Para ele, a Venezuela tem co­me­ti­do “vi­o­la­ção dos di­rei­tos hu­ma­nos” e “crimes con­tra a hu­ma­ni­da­de”.

“O so­fri­men­to do po­vo co­lo­ca as ações di­plo­má­ti­cas em pri­mei­ro lu­gar, mas não de­ve­mos des­car­tar ne­nhu­ma ação. Qu­an­to à in­ter­ven­ção mi­li­tar para der­ru­bar o re­gi­me de Ni­co­las Ma­du­ro, eu acho que não de­ve­mos des­car­tar ne­nhu­ma opção.”

A vi­ce-presidente ve­ne­zu­e­la­na, Delcy Ro­drí­guez, res­pon­deu que Ca­ra­cas de­nun­ci­a­rá Al­ma­gro an­te a ONU “por pro­mo­ver in­ter­ven­ção mi­li­tar” na Venezuela. “Al­ma­gro pre­ten­de res­sus­ci­tar os pi­o­res ca­sos de in­ter­ven­ção mi­li­tar im­pe­ri­a­lis­ta em nos­sa re­gião, cu­ja estabilidade es­tá se­ri­a­men­te ame­a­ça­da pe­lo com­por­ta­men­to in­sa­no da pes­soa que abu­sa da se­cre­ta­ria-ge­ral da OEA”, dis­se ela.

Em no­ta, o Gru­po de Li­ma - for­ma­do pe­lo Bra­sil e mais 11 paí­ses - re­cha­çou a de­fe­sa de in­ter­ven­ção mi­li­tar fei­ta por Al­ma­gro, sem ci­tá-lo no­mi­nal­men­te. “(Os paí­ses) ex­pres­sam sua pre­o­cu­pa­ção e seu re­cha­ço a qual­quer ação ou de­cla­ra­ção que im­pli­que uma in­ter­ven­ção mi­li­tar na Venezuela.”

Não é a pri­mei­ra vez que Al­ma­gro cri­ti­ca Ma­du­ro. E, ape­sar de fa­lar em uso mi­li­tar, a OEA não tem tro­pas nem man­da­to para tal. Qual­quer de­ci­são da en­ti­da­de, além dis­so, pre­ci­sa­ria ser to­ma­da de for­ma co­le­gi­a­da, com a anuên­cia dos membros —entre eles Ca­ra­cas e seus aliados.

Na vi­si­ta à Colôm­bia, Al­ma­gro li­de­rou um gru­po da OEA que pre­pa­ra­rá re­la­tó­rio so­bre os migrantes. “Nun­ca vi­mos um go­ver­no tão imo­ral, que não ad­mi­te ajuda humanitária qu­an­do es­tá em uma crise humanitária.” Para ele, a co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal não pode “per­mi­tir uma di­ta­du­ra na Venezuela”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.