Co­rinthi­ans tem ri­val ide­al para en­cer­rar se­ca

Folha de S.Paulo - - Esporte - Luciano Trin­da­de

CO­RINTHI­ANS SPORT

19h, Ita­que­rão

Na TV: SporTV (me­nos SP)

Di­an­te da se­ca vi­vi­da pe­lo ataque do Co­rinthi­ans, que não faz gol há dois jo­gos, desde que o téc­ni­co Jair Ven­tu­ra che­gou, o ti­me não po­de­ria ter um ad­ver­sá­rio me­lhor para en­fren­tar nes­te do­min­go (16) do que o Sport.

Na úl­ti­ma dé­ca­da, sem­pre que re­ce­beu a equi­pe per­nam­bu­ca­na em São Paulo, o al­vi­ne­gro não só ga­nhou co­mo fez pe­lo me­nos três gols.

Foram se­te par­ti­das, com 23 gols mar­ca­dos, uma mé­dia de 3,2 por jo­go. Nes­ses mesmos du­e­los, a equi­pe so­freu oi­to gols, mé­dia de 1,1 por em­ba­te.

O Ita­que­rão, pal­co do du­e­lo des­ta noi­te, às 19h, re­ce­beu qu­a­tro des­sas par­ti­das. A mais re­cen­te, em 2017, te­ve vi­tó­ria co­rin­ti­a­na por 3 a 1.

Nes­te Bra­si­lei­ro, a equi­pe per­nam­bu­ca­na não vem mos­tran­do mais for­ça de­fen­si­va. Ocu­pan­do a 18ª po­si­ção, o ti­me tem a se­gun­da pi­or de­fe­sa, com 36 gols so­fri­dos.

Es­se his­tó­ri­co ser­ve para ali­men­tar a es­pe­ran­ça da tor­ci­da al­vi­ne­gra, que anda in­sa­tis­fei­ta com o de­sem­pe­nho ofen­si­vo do ti­me. Con­tra Pal­mei­ras e Fla­men­go, a equi­pe não acer­tou nenhum chu­te no gol.

O téc­ni­co Jair Ven­tu­ra, que fez sua pri­mei­ra par­ti­da pe­lo ti­me al­vi­ne­gro no clás­si­co, re­co­nhe­ce que pre­ci­sa fa­zer o ataque ren­der mais, mas ar­gu­men­ta que pre­fe­re co­me­çar seu tra­ba­lho dan­do con­sis­tên­cia à de­fe­sa.

“Gos­to de tra­ba­lhar de trás para fren­te, va­mos ar­ru­mar nos­sa de­fe­sa e gra­da­ti­va­men­te tra­ba­lhar os ou­tros terços para a gen­te cri­ar mais”, dis­se.

Co­mo o Co­rinthi­ans ini­ci­ou es­ta ro­da­da na dé­ci­ma po­si­ção, com 30 pon­tos, mais perto do Vas­co, que es­tá na zo­na de re­bai­xa­men­to, do que do Atlé­ti­co-MG, o pri­mei­ro com va­ga na Li­ber­ta­do­res, os pró­pri­os jo­ga­do­res en­fa­ti­zam que o ob­je­ti­vo ago­ra é não tomar gols, mes­mo que o de­sem­pe­nho ofen­si­vo não se­ja o ide­al.

“Não é ho­ra de jo­gar bo­ni­to. É re­co­nhe­cer as li­mi­ta­ções e ven­cer os jo­gos”, afir­mou o ata­can­te Clay­son, que ga­nhou a va­ga de Pe­dri­nho e pas­sou a ser ti­tu­lar com Jair Ven­tu­ra.

De fa­to, os jo­gos do Co­rinthi­ans não têm si­do bo­ni­tos. O ti­me al­vi­ne­gro é o que me­nos fi­na­li­za no Bra­si­lei­ro, com mé­dia de 3,4 chu­tes a gol por jo­go.

Com ape­nas o dé­ci­mo me­lhor ataque, com 25 gols, só con­se­guiu fa­zer mais de um no mes­mo jo­go em 5 das 24 ro­da­das que foram dis­pu­ta­das.

Por is­so Os­mar Loss caiu na 23ª ro­da­da, qu­an­do Co­rinthi­ans perdeu para o Ce­a­rá, por 2 a 1, em For­ta­le­za.

Nes­te do­min­go, Jair Ven­tu­ra vai com­ple­tar o seu ter­cei­ro jo­go à fren­te do Co­rinthi­ans e fa­rá sua estreia em Ita­que­ra.

Desde que a are­na co­rin­ti­a­na foi inau­gu­ra­da, seis trei­na­do­res di­ri­gi­ram o clu­be no es­tá­dio. Dois de­les, Ma­no Me­ne­zes e Os­mar Loss, es­tre­a­ram com der­ro­tas. Ti­te, Cris­tó­vão Bor­ges, Oswal­do de Oli­vei­ra e Fá­bio Ca­ril­le ven­ce­ram seu pri­mei­ro jo­go. O fi­lho de Jair­zi­nho, cla­ro, de­se­ja fa­zer par­te do se­gun­do gru­po.

A pro­vá­vel escalação do Co­rinthi­ans é: Cás­sio; Fag­ner, Léo San­tos, Hen­ri­que e Da­ni­lo Ave­lar; Ralf, Dou­glas, Ro­me­ro, Jad­son e Clay­son; Ro­ger.

Paulo Whitaker/Reu­ters

Co­rinthi­ans ain­da não fez gols com Jair

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.