Sem re­e­lei­ção, ações con­tra con­gres­sis­tas per­dem fo­ro

Re­mes­sa pa­ra 1ª ins­tân­cia de­pen­de de aval da PGR e de mi­nis­tro re­la­tor em 2019, mas de­ve atin­gir ca­sos co­mo os de Ju­cá e de Agri­pi­no Maia

Folha de S.Paulo - - Primeira Página - Rey­nal­do Tu­rol­lo Jr.

No­vo en­ten­di­men­to do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral que res­trin­giu fo­ro es­pe­ci­al de par­la­men­ta­res de­ve­rá le­var pa­ra a pri­mei­ra ins­tân­cia da Jus­ti­ça uma sé­rie de inqué­ri­tos e ações pe­nais da La­va Ja­to con­tra po­lí­ti­cos que não se re­e­le­ge­ram, co­mo Rome­ro Ju­cá (MDB) e Jo­sé Agri­pi­no Maia (DEM). A re­mes­sa de­pen­de de pa­re­cer da Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da Re­pú­bli­ca e de de­ci­são do mi­nis­tro re­la­tor.

O no­vo en­ten­di­men­to do STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral) que res­trin­giu o fo­ro es­pe­ci­al de par­la­men­ta­res de­ve­rá le­var pa­ra a pri­mei­ra ins­tân­cia da Jus­ti­ça Fe­de­ral uma sé­rie de inqué­ri­tos e ações pe­nais da La­va Ja­to con­tra po­lí­ti­cos que não con­se­gui­ram se re­e­le­ger nes­te ano.

A re­mes­sa pa­ra a pri­mei­ra ins­tân­cia não é au­to­má­ti­ca. De­pen­de de pa­re­cer da Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da Re­pú­bli­ca e de de­ci­são do mi­nis­tro re­la­tor em ca­da ca­so, o que só de­ve­rá ocor­rer a par­tir de fe­ve­rei­ro de 2019, quan­do co­me­ça a no­va le­gis­la­tu­ra e os não re­e­lei­tos fi­ca­rão sem man­da­to.

A re­gra, de­fi­ni­da pe­lo ple­ná­rio do Su­pre­mo em maio, é que o fo­ro es­pe­ci­al se res­trin­ge a cri­mes pra­ti­ca­dos no exer­cí­cio do car­go e em ra­zão de­le.

Se o par­la­men­tar per­der a prer­ro­ga­ti­va de fo­ro du­ran­te a tra­mi­ta­ção do pro­ces­so, o inqué­ri­to ou a ação pe­nal que não ti­ver che­ga­do à fa­se de in­ti­ma­ção das par­tes pa­ra ale­ga­ções fi­nais —úl­ti­mo pas­so an­tes do jul­ga­men­to— de­ve des­cer pa­ra o pri­mei­ro grau.

A ação pe­nal mais avan­ça­da en­vol­ven­do par­la­men­tar que não se re­e­le­geu é a do “bun­ker” en­con­tra­do em Sal­va­dor com R$ 51 mi­lhões, atri­buí­do ao ex-mi­nis­tro Ged­del Vi­ei­ra Li­ma. Ela tra­mi­ta no Su­pre­mo por­que o ir­mão de Ged­del, o de­pu­ta­do Lú­cio Vi­ei­ra Li­ma (MDB-BA), que tam­bém é réu, tem prer­ro­ga­ti­va de fo­ro, mas não se re­e­le­geu.

Sob re­la­to­ria do mi­nis­tro Ed­son Fa­chin, o pro­ces­so es­tá na fa­se de de­poi­men­tos de tes­te­mu­nhas. Se ter­mi­nar até fe­ve­rei­ro e vi­e­rem as ale­ga­ções fi­nais, o jul­ga­men­to de­ve­rá ser no STF —ce­ná­rio com o qual a PGR tra­ba­lha.

Do con­trá­rio, po­de­rá bai­xar pa­ra a pri­mei­ra ins­tân­cia da Jus­ti­ça Fe­de­ral de lo­cal a ser de­fi­ni­do pe­lo Su­pre­mo. Em ge­ral, a cor­te tem en­vi­a­do pa­ra o juiz fe­de­ral Ser­gio Mo­ro, res­pon­sá­vel pe­la La­va Ja­to em Cu­ri­ti­ba, so­men­te pro­ces­sos re­la­ci­o­na­dos di­re­ta­men­te ao es­que­ma de cor­rup­ção in­ves­ti­ga­do na Pe­tro­bras —mas as aná­li­ses pe­lo STF têm mui­tas nu­an­ces que im­pos­si­bi­li­tam pre­ver o des­ti­no dos ca­sos.

O se­na­dor Jo­sé Agri­pi­no Maia (DEM-RN) é réu em du­as ações pe­nais por acu­sa­ções que sur­gi­ram em meio às in­ves­ti­ga­ções da La­va Ja­to. Em uma, cu­ja de­nún­cia foi re­ce­bi­da pe­lo STF em de­zem­bro de 2017, é acu­sa­do de ter re­ce­bi­do pro­pi­na da OAS na obra da Are­na das Du­nas, em Na­tal.

Na ou­tra, cu­ja de­nún­cia foi re­ce­bi­da em ju­nho, é acu­sa­do de le­var R$ 1,15 mi­lhão pa­ra ga­ran­tir um con­tra­to de ins­pe­ção vei­cu­lar no es­ta­do.

Ape­sar de as de­nún­ci­as te­rem si­do re­ce­bi­das há me­ses, os pro­ces­sos pou­co an­da­ram e de­vem ser re­me­ti­dos pa­ra ins­tân­cia in­fe­ri­or em 2019.

Ex-lí­der do go­ver­no, o se­na­dor Rome­ro Ju­cá (MDB-RR) tam­bém é réu nu­ma ação pe­nal re­sul­tan­te da de­la­ção da Ode­bre­cht. É acu­sa­do de pe­dir e re­ce­ber pro­pi­na de R$ 150 mil pa­ra be­ne­fi­ci­ar a em­prei­tei­ra na tra­mi­ta­ção de du­as me­di­das pro­vi­só­ri­as no Con­gres­so, em 2014. A ação es­tá em fa­se ini­ci­al e tam­bém po­de ir pa­ra a pri­mei­ra ins­tân­cia.

Ju­cá tam­bém foi de­nun­ci­a­do du­as ve­zes com ou­tros ca­ci­ques do MDB que não con­se­gui­ram a re­e­lei­ção. Em um dos ca­sos, cu­jo re­ce­bi­men­to da de­nún­cia es­tá pen­den­te de aná­li­se pe­lo STF, ele foi acu­sa­do de in­te­grar com os se­na­do­res Edi­son Lo­bão (MA) e Val­dir Raupp (RO) uma or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa que, pe­los cál­cu­los da PGR, cau­sou pre­juí­zo de R$ 5,5 bi­lhões à Pe­tro­bras.

Nes­se inqué­ri­to, so­bre o cha­ma­do “qua­dri­lhão do MDB do Se­na­do”, tam­bém fi­gu­ram Re­nan Ca­lhei­ros (AL) e Ja­der Bar­ba­lho (PA), que, di­fe­ren­te­men­te dos co­le­gas, se re­e­le­ge­ram no úl­ti­mo do­min­go (7).

A par­te re­la­ci­o­na­da aos se­na­do­res sem man­da­to po­de­rá tan­to con­ti­nu­ar no Su­pre­mo, por cau­sa da prer­ro­ga­ti­va de fo­ro de Re­nan e Ja­der, co­mo ir pa­ra a pri­mei­ra ins­tân­cia, a de­pen­der da cor­te.

Em se­tem­bro de 2017, o re­la­tor des­se pro­ces­so, Fa­chin, já fez um pri­mei­ro des­mem­bra­men­to e en­vi­ou as acu­sa­ções con­tra três de­nun­ci­a­dos que não ti­nham fo­ro —Si­las Ron­de­au, Mil­ton Ly­ra e Jor­ge Luz— pa­ra o juiz Ser­gio Mo­ro, o que po­de ser um in­di­ca­ti­vo.

Atu­al pre­si­den­te do Se­na­do, Eu­ní­cio Oliveira (MDB-CE), que não foi re­e­lei­to e anun­ci­ou que vai aban­do­nar a vi­da pú­bli­ca, é al­vo de in­ves­ti­ga­ção no Su­pre­mo sob sus­pei­ta de “ven­der” me­di­das pro­vi­só­ri­as em be­ne­fí­cio do gru­po Ode­bre­cht, se­gun­do de­la­ções de ex-exe­cu­ti­vos.

Além de­le, são in­ves­ti­ga­dos no mes­mo inqué­ri­to Re­nan Ca­lhei­ros e o atu­al pre­si­den­te da Câ­ma­ra, de­pu­ta­do Ro­dri­go Maia (DEM-RJ) —re­e­lei­tos, am­bos man­te­rão a prer­ro­ga­ti­va de fo­ro no Su­pre­mo. A cor­te de­ve­rá de­ci­dir a res­pei­to da apu­ra­ção so­bre Eu­ní­cio.

Réus no STF sob acu­sa­ção de te­rem re­ce­bi­do um per­cen­tu­al des­vi­a­do de con­tra­tos da di­re­to­ria de Abas­te­ci­men­to da Pe­tro­bras, os de­pu­ta­dos Jo­sé Otá­vio Ger­ma­no (PP-RS) e Luiz Fer­nan­do Fa­ria (PP-MG) não se re­e­le­ge­ram. Uma pos­si­bi­li­da­de é que a ação se­ja re­me­ti­da a Mo­ro.

In­ves­ti­ga­do por sus­pei­ta de en­vol­vi­men­to em um es­que­ma de des­vi­os de­la­ta­do pe­la Ode­bre­cht na Tren­surb do Rio Gran­de do Sul, o de­pu­ta­do Mar­co Maia (PT-RS), não re­e­lei­to, tam­bém po­de­rá ter seu ca­so en­vi­a­do pa­ra a pri­mei­ra ins­tân­cia. To­dos os po­lí­ti­cos ci­ta­dos ne­gam as acu­sa­ções.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.