Dú­vi­da so­bre pri­va­ti­za­ções é na­tu­ral, diz Gu­e­des

Folha de S.Paulo - - Mercado - Ta­li­ta Fer­nan­des

O eco­no­mis­ta Pau­lo Gu­e­des, anun­ci­a­do mi­nis­tro de even­tu­al go­ver­no de Jair Bol­so­na­ro (PSL), afir­mou que é na­tu­ral que ha­ja dú­vi­da em re­la­ção à agen­da das pri­va­ti­za­ções.

“É na­tu­ral que ha­ja dú­vi­das quan­to à ex­ten­são des­sa re­for­ma, até que pon­to ela vai e até que pon­to ela vem”, dis­se ele nes­ta sex­ta-fei­ra (12) ao ser qu­es­ti­o­na­do so­bre a pro­pos­ta do can­di­da­to do PSL pa­ra a pri­va­ti­za­ção da Ele­tro­bras.

“Eu de­fen­do que ela se­ja agu­di­za­da, que ela se­ja mais for­te por­que eu acho que es­ses re­cur­sos são ne­ces­sá­ri­os nas áre­as so­ci­ais”, afir­mou o eco­no­mis­ta.

“O in­te­res­san­te é que ele [Bol­so­na­ro] sa­be o que eu acho e eu sei o que ele acha so­bre is­so e nós es­ta­mos con­ver­san­do”, dis­se.

Gu­e­des dis­se não ter tra­ta­do de­ta­lha­da­men­te com o pre­si­den­ciá­vel a pos­si­bi­li­da­de de pri­va­ti­za­ção das ge­ra­do­ras de ener­gia, mas ape­nas das dis­tri­bui­do­ras.

“Na dis­tri­bui­ção cer­ta­men­te [ha­ve­rá pri­va­ti­za­ção], trans­mis­são é mui­to mais di­fí­cil. Na ge­ra­ção há ca­sos que sim, há ca­sos que não”, dis­se, sem dar de­ta­lhes.

A vi­são do eco­no­mis­ta di­ver­ge da de Bol­so­na­ro, que nes­ta se­ma­na afir­mou que é pos­sí­vel con­ver­sar so­bre pri­va­ti­za­ção do se­tor de dis­tri­bui­ção de ele­tri­ci­da­de, mas não dos de ge­ra­ção.

A de­cla­ra­ção do can­di­da­to foi fei­ta em en­tre­vis­ta à TV Band e pro­vo­cou que­da nas ações da Ele­tro­bras nes­ta se­ma­na.

Des­de a ar­ran­ca­da de Bol­so­na­ro nas pes­qui­sas e sua con­so­li­da­ção em pri­mei­ro lu­gar no pri­mei­ro tur­no, com lar­ga van­ta­gem so­bre Fer­nan­do Had­dad (PT), as es­ta­tais vi­nham com for­te va­lo­ri­za­ção na Bol­sa.

Nes­ta sex­ta, Gu­e­des de­fen­deu a re­for­ma do es­ta­do com a pri­va­ti­za­ção de es­ta­tais pa­ra au­men­tar or­ça­men­to des­ti­na­do pa­ra áre­as so­ci­ais.

Ao dei­xar uma reu­nião com di­ri­gen­tes do PSL, no Rio de Ja­nei­ro, o eco­no­mis­ta dis­se ain­da que a pro­pos­ta de cri­a­ção de 13º sa­lá­rio pa­ra be­ne­fi­ciá­ri­os do Bol­sa Fa­mí­lia te­rá im­pac­to in­fe­ri­or a R$ 3 bi­lhões.

De­pois de de­cla­ra­ções con­tro­ver­sas do vi­ce de Bol­so­na­ro, o ge­ne­ral Ha­mil­ton Mou­rão, so­bre o 13º sa­lá­rio, Bol­so­na­ro anun­ci­ou na ter­ça­fei­ra (9) que cri­a­rá o be­ne­fí­cio pa­ra aque­les que in­te­gram o pro­gra­ma de dis­tri­bui­ção de ren­da.

Gu­e­des não de­ta­lhou de on­de vi­rão os re­cur­sos, mas afir­mou que is­so te­rá pou­co im­pac­to no Or­ça­men­to da União.

A Fo­lha re­ve­lou ain­da na edi­ção de quar­ta-fei­ra (10) que a equi­pe de Bol­so­na­ro tra­ba­lha na re­pa­gi­na­ção do pro­gra­ma Bol­sa Fa­mí­lia, uma mar­ca da ges­tão pe­tis­ta.

A ideia é cri­ar um “su­per Bol­sa Fa­mí­lia” e ain­da uni­ver­sa­li­zar a ofer­ta de va­gas em cre­ches de to­do o país. Pa­ra is­so, se­ri­am usa­dos re­cur­sos pro­ve­ni­en­tes do fim do abo­no sa­la­ri­al e de in­cen­ti­vos fis­cais con­ce­di­dos pa­ra em­pre­sá­ri­os.

R$3bi

se­rão ne­ces­sá­ri­os pa­ra pa­gar uma 13ª par­ce­la de Bol­sa Fa­mí­lia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.