Mer­ca­dos emer­gen­tes têm fi­nan­ças mais aper­ta­das, diz Gold­fajn

Folha de S.Paulo - - Mercado -

O pre­si­den­te do Ban­co Cen­tral bra­si­lei­ro, Ilan Gold­fajn, dis­se que o cres­ci­men­to glo­bal tor­nou-se mais de­si­gual e as con­di­ções fi­nan­cei­ras nos mer­ca­dos emer­gen­tes mais aper­ta­das.

O qua­dro ge­ral ain­da é be­nig­no, mas que re­quer uma vi­são “mais cau­te­lo­sa”, afir­mou Gold­fajn, em dis­cur­so pre­pa­ra­do pa­ra a ple­ná­ria do Co­mi­tê Mo­ne­tá­rio e Fi­nan­cei­ro In­ter­na­ci­o­nal (IMFC, na si­gla em in­glês) em Bali, na In­do­né­sia.

Goldf­jan apon­tou que, com a nor­ma­li­za­ção das con­di­ções mo­ne­tá­ri­as nos Es­ta­dos Uni­dos, o sen­ti­men­to do mer­ca­do pro­va­vel­men­te fi­ca­rá mais ner­vo­so du­ran­te um pe­río­do de tran­si­ção, em di­re­ção a um me­nor ape­ti­te ao ris­co.

“Con­di­ções fi­nan­cei­ras mais aper­ta­das e sur­tos de vo­la­ti­li­da­de de­vem ser es­pe­ra­dos du­ran­te es­sa mu­dan­ça pa­ra um no­vo equi­lí­brio”, dis­se ele, se­gun­do do­cu­men­to di­vul­ga­do nes­ta sex­ta-fei­ra (12) pe­lo BC.

O pre­si­den­te da au­to­ri­da­de mo­ne­tá­ria tam­bém afir­mou que as ten­sões co­mer­ci­ais vi­gen­tes se ali­men­tam da des­cren­ça na glo­ba­li­za­ção.

Is­so po­de le­var a um me­nor equi­lí­brio de cres­ci­men­to, uma vez que a eco­no­mia glo­bal per­de efi­ci­ên­cia.

Se­gun­do Gold­fajn, a ma­te­ri­a­li­za­ção des­ses ris­cos po­de ain­da le­var a uma de­te­ri­o­ra­ção nas con­di­ções fi­nan­cei­ras glo­bais, ra­zão pe­la qual o FMI de­ve es­tar bem fi­nan­ci­a­do e pre­pa­ra­do pa­ra en­fren­tar a vo­la­ti­li­da­de in­ter­na­ci­o­nal. Nes­se sen­ti­do, o pre­si­den­te do BC fez um ape­lo pa­ra a co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal pa­ra ga­ran­tir o fi­nan­ci­a­men­to ao FMI por meio da re­vi­são ge­ral de co­tas.

So­bre o Bra­sil, Goldf­jan rei­te­rou men­sa­gem que já ha­via di­vul­ga­do na vés­pe­ra, de que o país es­tá bem po­si­ci­o­na­do pa­ra re­sis­tir a cho­ques em sua eco­no­mia.

Ele ci­tou um ro­bus­to ba- lan­ço de pa­ga­men­tos, re­gi­me de câm­bio flutuante, ní­vel ade­qua­do de re­ser­vas, in­fla­ção em ní­veis bai­xos e ex­pec­ta­ti­vas de in­fla­ção bem an­co­ra­das.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.