Bol­so­na­ro vai re­ce­ber rom­bo de R$ 259 bi do Con­gres­so

Dez pro­je­tos com re­nún­ci­as e gas­tos avan­çam no Con­gres­so; par­la­men­ta­res ne­gam es­tra­té­gia

Folha de S.Paulo - - Primeira Página - Bernardo Ca­ram

No úl­ti­mo ano de man­da­to, de­pu­ta­dos e se­na­do­res ar­ma­ram pa­ra o go­ver­no Bol­so­na­ro bom­ba fis­cal de ao me­nos R$ 259 bi­lhões, mos­tra le­van­ta­men­to da Fo­lha.

O va­lor se re­fe­re ao im­pac­to nas con­tas pú­bli­cas, em qua­tro anos, cau­sa­do por dez pro­je­tos aprovados ou que avan­ça­ram no Con­gres­so, a des­pei­to do te­to de gas­tos.

No úl­ti­mo ano do atu­al man­da­to, de­pu­ta­dos e se­na­do­res ar­ma­ram pa­ra o pre­si­den­te elei­to, Jair Bol­so­na­ro (PSL), uma bom­ba fis­cal de ao me­nos R$ 259 bi­lhões, mos­tra le­van­ta­men­to da Fo­lha.

O va­lor re­fe­re-se ao im­pac­to nas con­tas pú­bli­cas, nos pró­xi­mos qua­tro anos, cau­sa­do por dez pro­je­tos aprovados ou que avan­ça­ram no Con­gres­so em 2018.

Ape­sar de o Or­ça­men­to es­tar sob re­gên­cia de um te­to que bar­ra a ex­pan­são de gas­tos, os par­la­men­ta­res ace­le­ra­ram pro­pos­tas que vão na di­re­ção con­trá­ria, se­ja com ma­té­ri­as de au­to­ria do Le­gis­la­ti­vo, pres­são por con­ces­sões em pro­je­tos edi­ta­dos pe­lo go­ver­no ou der­ru­ba­da de ve­tos pre­si­den­ci­ais.

As elei­ções des­te ano, que vão dei­xar a mai­or par­te dos atu­ais par­la­men­ta­res sem va­ga no Con­gres­so a par­tir do ano que vem, não im­pe­di­ram a apro­va­ção da cha­ma­da bom­ba fis­cal. O re­sul­ta­do das ur­nas vai pro­mo­ver uma re­no­va­ção de 51% da Câ­ma­ra e de 85% das va­gas dis­pu­ta­das no Se­na­do.

Nes­ta se­ma­na, os se­na­do­res apro­va­ram au­men­to de 16% nos sa­lá­ri­os dos mi­nis­tros do STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral). O re­a­jus­te pro­vo­ca um efei­to em cas­ca­ta que le­va a au­men­tos sa­la­ri­ais em to­das as es­fe­ras do ser­vi­ço pú­bli­co.

O im­pac­to anu­al da me­di­da che­gou a ser es­ti­ma­do em R$ 4 bi­lhões, mas no­vo cál­cu­lo da con­sul­to­ria de Or­ça­men­to do Se­na­do diz que o cus­to se­rá de R$ 5,3 bi­lhões ao ano.

Apli­ca­da aos qua­tro anos de man­da­to de Bol­so­na­ro, es­sa con­ta so­ma­rá R$ 21,2 bi­lhões. Uti­li­zan­do a mes­ma ló­gi­ca aos ou­tros pro­je­tos ana­li­sa­dos que ge­ram im­pac­tos anu­ais di­ver­sos, es­sa fa­tu­ra che­ga a R$ 259 bi­lhões.

Tam­bém nes­ta se­ma­na, os par­la­men­ta­res apro­va­ram a me­di­da pro­vi­só­ria do Ro­ta 2030, que es­ta­be­le­ce in­cen­ti­vos fis­cais a mon­ta­do­ras de veí­cu­los. O pro­je­to con­tra­ria as idei­as da equi­pe de Bol­so­na­ro, que cri­ti­ca a con­ces­são de be­ne­fí­ci­os se­to­ri­ais.

O cus­to anu­al se­rá de R$ 2,1 bi­lhões, mas o tex­to foi al­te­ra­do pa­ra in­cluir pen­du­ri­ca­lhos que vão ele­var o im­pac­to.

Be­ne­fí­ci­os do Rein­te­gra, re­gi­me que dá cré­di­to tri­bu­tá­rio a ex­por­ta­do­res, fo­ram am­pli­a­dos e no­vos se­to­res fo­ram de­so­ne­ra­dos. Não há es­ti­ma­ti­va de cus­to des­sas al­te­ra­ções.

Tam­bém foi in­cluí­da a pror­ro­ga­ção do re­gi­me que con­ce­de be­ne­fí­ci­os a mon­ta­do­ras ins­ta­la­das no Nor­des­te. O pro­gra­ma tem cus­to anu­al de R$ 4,6 bi­lhões e ter­mi­na­ria em 2020. Ago­ra, irá até 2025.

Após a apro­va­ção, o pre­si­den­te do Se­na­do, Eu­ní­cio Oli­vei­ra (MDB-CE), ne­gou que o Con­gres­so es­te­ja pro­du­zin­do bom­bas pa­ra es­tou­rar no go­ver­no Bol­so­na­ro.

“Pa­ra evi­tar man­che­tes de jor­nal de que es­ta­mos pro­du­zin­do pau­tas-bom­bas, qu­e­ro evi­tar es­se dis­cur­so fá­cil de pau­ta-bom­ba. Ao mes­mo tem­po que se pror­ro­ga o pra­zo [dos be­ne­fí­ci­os], faz uma re­du­ção dos in­cen­ti­vos ho­je exis­ten­tes em 40%”, dis­se na quin­ta-fei­ra (8).

En­tre as me­di­das apro­va­das pe­los par­la­men­ta­res nes­te ano, es­tá o re­fi­nan­ci­a­men­to de dí­vi­das pa­ra pe­que­nos pro­du­to­res ru­rais. Na tra­mi­ta­ção, hou­ve am­pli­a­ção dos be­ne­fí­ci­os e do nú­me­ro de agri­cul­to­res ap­tos a ade­rir ao pro­gra­ma, ele­van­do o cus­to ao Or­ça­men­to de R$ 1,6 bi­lhão pa­ra R$ 5,3 bi­lhões. O tex­to foi par­ci­al­men­te ve­ta­do e se­rá no­va­men­te ana­li­sa­do pe­lo Le­gis­la­ti­vo.

O Con­gres­so tam­bém en­trou em Con­fron­to com o go­ver­no de­pois que Te­mer edi­tou um de­cre­to que re­du­ziu a alí­quo­ta de IPI (Im­pos­to so­bre Pro­du­tos In­dus­tri­a­li­za­dos) de con­cen­tra­do de re­fri­ge­ran­tes de 20% pa­ra 4%. Quan­to me­nor a alí­quo­ta, me­nos cré­di­tos fis­cais são ge­ra­dos pe­lo se­tor.

Pri­mei­ro, o Se­na­do apro­vou uma me­di­da pa­ra derrubar o de­cre­to. O tex­to aguar­da aná­li­se da Câ­ma­ra. De­pois, com pres­são do se­tor e de par­la­men­ta­res, o go­ver­no edi­tou no­vo de­cre­to res­ta­be­le­cen­do par­te do be­ne­fí­cio. O re­cuo vai cus­tar cer­ca de R$ 700 mi­lhões aos co­fres pú­bi­cos em 2019.

A lis­ta da pau­tas-bom­ba tem a li­be­ra­ção da ven­da di­re­ta de eta­nol das usi­nas aos pos­tos de com­bus­tí­vel (cus­to R$ 2,4 bi­lhões ao ano), be­ne­fí­ci­os pa­ra trans­por­ta­do­ras (R$ 9 bi­lhões ao ano) e a der­ru­ba­da de ve­tos pa­ra au­to­ri­zar o re­fi­nan­ci­a­men­to de dí­vi­das de pe­que­nas em­pre­sas (R$ 7,8 bi­lhões em dez anos) e re­a­jus­te sa­la­ri­al a agen­tes co­mu­ni­tá­ri­os de saú­de (R$ 4,8 bi­lhões).

O go­ver­no ain­da ten­ta adi­ar reajustes de ser­vi­do­res de 2019 pa­ra 2020, o que po­de­ria ge­rar uma eco­no­mia de R$ 4,7 bi­lhões. Apre­sen­ta­da em se­tem­bro, a me­di­da que tra­ta do te­ma nem se­quer te­ve co­mis­são ins­ta­la­da pe­lo Con­gres­so. O tex­to pre­ci­sa ser apro­va­do até 10 de fe­ve­rei­ro de 2019, ou per­de­rá a va­li­da­de.

Par­la­men­ta­res pres­si­o­nam tam­bém pe­la com­pen­sa­ção da União aos es­ta­dos pe­la de­so­ne­ra­ção de ICMS na ex­por­ta­ção. Pro­je­to so­bre o te­ma, com cus­to anu­al de R$ 39 bi­lhões, foi apro­va­do em co­mis­são mis­ta e pre­ci­sa ser vo­ta­do nos ple­ná­ri­os da Câ­ma­ra e do Se­na­do.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.