TSE quer de­ta­lhar dis­pa­ros em mas­sa pró-Bol­so­na­ro

Mi­nis­tro do TSE quer que em­pre­sas res­pon­dam se hou­ve im­pul­si­o­na­men­to pa­ra be­ne­fi­ci­ar Jair Bol­so­na­ro (PSL)

Folha de S.Paulo - - Primeira Página - -Ra­ni­er Bra­gon e Le­tí­cia Ca­sa­do

O mi­nis­tro Luís Ro­ber­to Bar­ro­so, do Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral, de­ter­mi­nou ao WhatsApp, Fa­ce­bo­ok, Twit­ter, Ins­ta­gram e Go­o­gle que de­ta­lhem a con­tra­ta­ção de im­pul­si­o­na­men­to de con­teú­do a fa­vor de Jair Bol­so­na­ro nas elei­ções de ou­tu­bro.

O mi­nis­tro Luís Ro­ber­to Bar­ro­so, re­la­tor no TSE da pres­ta­ção de con­tas par­ci­al do pre­si­den­te elei­to Jair Bol­so­na­ro (PSL), de­ter­mi­nou nes­ta quin­ta (8) a WhatsApp, Fa­ce­bo­ok, Twit­ter, Ins­ta­gram e Go­o­gle que res­pon­dam, em pra­zo de três di­as, se hou­ve con­tra­ta­ção de im­pul­si­o­na­men­to de con­teú­do a fa- vor do can­di­da­to nas elei­ções.

“As elei­ções 2018 são o pri­mei­ro plei­to em que foi au­to­ri­za­da a con­tra­ta­ção de im­pul­si­o­na­men­to de con­teú­dos na in­ter­net. [...] O im­pul­si­o­na­men­to de con­teú­dos é con­si­de­ra­do gas­to elei­to­ral, su­jei­to a re­gis­tro e aos li­mi­tes fi­xa­dos na lei”, es­cre­veu Bar­ro­so.

Ele de­ter­mi­nou que as gi­gan­tes da in­ter­net des­cre­vam no­me, CPF/CNPJ do even­tu­al con­tra­tan­te, da­ta da con­tra­ta­ção, ti­po e va­lor do ser­vi­ço.

Em 18 de ou­tu­bro a Fo­lha re­ve­lou que em­pre­sá­ri­os im­pul­si­o­na­ram dis­pa­ros por WhatsApp con­tra o PT. A prá­ti­ca é ile­gal, pois se tra­ta de do­a­ção por em­pre­sas, ve­da­da pe­la le­gis­la­ção. Bol­so­na­ro e seus ali­a­dos ne­gam que te­nham con­tra­ta­do es­se ti­po de ser­vi­ço.

Após a re­por­ta­gem, os ad­vo­ga­dos do can­di­da­to Fer­nan­do Had­dad (PT) pe­di­ram ao TSE a aber­tu­ra de uma Ai­je (Ação de In­ves­ti­ga­ção Ju­di­ci­al Elei­to­ral) pa­ra in­ves­ti­gar su­pos­to abu­so de po­der econô­mi­co e uso in­de­vi­do de mei­os de co­mu­ni­ca­ção pe­lo ad­ver­sá­rio.

A ação foi aber­ta pe­lo cor­re­ge­dor-ge­ral da Jus­ti­ça Elei­to­ral, mi­nis­tro Jor­ge Mus­si. A de­fe­sa de Bol­so­na­ro afir­mou que a ação não me­re­ce pros­se­guir por­que se ba­seia uni­ca­men­te em ma­té­ria jor­na­lís­ti­ca e fal­tam pro­vas ro­bus­tas de ir­re­gu­la­ri­da­des.

Ca­so a ação se­ja jul­ga­da pro­ce­den­te, po­de cau­sar a cas­sa­ção da cha­pa —no ca­so, de Bol­so­na­ro e seu vi­ce, ge­ne­ral Ha­mil­ton Mou­rão (PRTB).

Bol­so­na­ro en­trou no TSE com pe­di­do de di­rei­to de res­pos­ta­na Fo­lha, ne­ga­do pe­lo mi­nis­tro Sér­gio Ba­nhos.

Além dis­so, em 27 de ou­tu­bro, os ad­vo­ga­dos de Bol­so­na­ro en­tra­ram no TSE con­tra Had­dad, sua vi­ce, Ma­nu­e­la D’Avi­la (PC do B), o pre­si­den­te do Gru­po Fo­lha, Luiz Fri­as, a di­re­to­ra Edi­to­ri­al e de Re­da­ção da Fo­lha, Ma­ria Cris­ti­na Fri­as, e a re­pór­ter Pa­trí­cia Cam­pos Mel­lo, au­to­ra da re­por­ta­gem.

A ação pe­dia li­mi­nar pa­ra que fos­sem apre­sen­ta­dos do­cu­men­tos for­mais re­la­ci­o­na­dos ao tex­to. O pe­di­do foi ne­ga­do por Mus­si, que so­li­ci­tou a ma­ni­fes­ta­ção dos en­vol­vi­dos.

Bol­so­na­ro re­quer ine­le­gi­bi­li­da­de de Had­dad e de Ma­nu­e­la, sob a acu­sa­ção de te­rem se va­li­do de abu­so de po­der econô­mi­co na elei­ção e uso in­de­vi­do de meio de co­mu­ni­ca­ção. Há tam­bém pe­di­do pa­ra que os au­tos se­jam re­me­ti- dos à Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da Re­pú­bli­ca pa­ra in­ves­ti­ga­ção.

Os ad­vo­ga­dos da Fo­lha pe­di­ram ao TSE a ex­tin­ção des­te pro­ces­so. Na de­fe­sa, a Fo­lha diz que o ob­je­ti­vo da ação ju­di­ci­al é “ma­ni­fes­ta­men­te ile­gal e des­pro­vi­do de ló­gi­ca ju­rí­di­ca e fac­tu­al”.

Se­gun­do os ad­vo­ga­dos, a acu­sa­ção de Bol­so­na­ro é “ir­res­pon­sá­vel e te­me­rá­ria”.

“A acu­sa­ção não pas­sa de agres­si­va e des­co­ne­xa obra de fic­ção, sem ba­se le­gal ou pro­ba­tó­ria, con­fi­gu­ran­do ten­ta­ti­va in­dis­far­çá­vel de in­ti­mi­da­ção da im­pren­sa li­vre, o que só re­ve­la uma per­so­na­li­da­de intolerante e au­to­ri­tá­ria. A li­ti­gân­cia de má-fé é ma­ni­fes­ta”, afir­mam os ad­vo­ga­dos do jor­nal Luís Fran­cis­co Car­va­lho Fi­lhe e Phi­lip­pe Al­ves do Nas­ci­men­to, que as­si­nam a pe­ça.

Os ad­vo­ga­dos da Fo­lha afir­mam que a re­por­ta­gem so­bre os dis­pa­ros por WhatsApp é “es­sen­ci­al­men­te ver­da­dei­ra”. “Tra­ta-se de in­for­ma­ção jor­na­lís­ti­ca re­le­van­te. Por is­so, a Pro­cu­ra­do­ria da Re­pú­bli­ca de­ter­mi­nou a aber­tu­ra de in­ves­ti­ga­ções”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.