Mo­ro le­ga a su­ces­sor de­ci­sões que se­rão cru­ci­ais pa­ra La­va Ja­to

Subs­ti­tu­to ana­li­sa­rá ações con­ge­la­das, de­ban­da­da de ca­sos e be­ne­fí­ci­os

Folha de S.Paulo - - Poder - -Fe­li­pe Bä­ch­told Adri­a­na Ma­cha­do/Reu­ters

são pau­lo Além de jul­gar cer­ca de 30 ações pe­nais em an­da­men­to, o juiz que as­su­mir os tra­ba­lhos de Ser­gio Mo­ro na 13ª Vara Fe­de­ral do Pa­ra­ná her­da­rá uma sé­rie de atri­bui­ções e ta­re­fas que po­dem mu­dar os ru­mos da Ope­ra­ção La­va Ja­to.

En­tre as pen­dên­ci­as e res­pon­sa­bi­li­da­des do no­vo juiz ti­tu­lar da ope­ra­ção es­ta­rão ana­li­sar ou re­ver be­ne­fí­ci­os a de­la­to­res com acor­dos já fir­ma­dos, ve­ri­fi­car pedidos dos in­ves­ti­ga­do­res a res­pei­to de apu­ra­ções em an­da­men­to e so­lu­ci­o­nar pro­ces­sos que se ar­ras­tam por cau­sa de réus que es­tão no ex­te­ri­or.

Tam­bém pre­ci­sa­rá de­ci­dir se man­tém no es­ta­do —ou na pró­pria Vara Fe­de­ral— in­ves­ti­ga­ções que não te­nham vín­cu­lo di­re­to com o nú­cleo das ir­re­gu­la­ri­da­des des­co­ber­tas na La­va Ja­to des­de 2014, co­mo cri­mes na Pe­tro­bras e des­vi­os co­me­ti­dos por em­prei­tei­ras.

Nes­te ano, o juiz pa­ra­na­en­se se viu sob uma ofen­si­va de ad­vo­ga­dos de de­fe­sa que ten­ta­ram ti­rar de seu co­man­do pro­ce­di­men­tos de­ri­va­dos de de­la­ções fir­ma­das na La­va Ja­to. A exem­plo de Mo­ro, o no­vo juiz po­de se ver obri­ga­do a rei­vin­di­car a per­ma­nên­cia des­ses pro­ces­sos.

Em abril, o STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral) de­ter­mi­nou que tre­chos da de­la­ção da Ode­bre­cht so­bre o ex-pre­si­den­te Lu­la fos­sem en­vi­a­dos pa­ra a Jus­ti­ça de São Pau­lo, por en­ten­der que não guar­da­vam re­la­ção com o Pa­ra­ná.

Os ad­vo­ga­dos de de­fe­sa co­bra­ram a re­mo­ção ime­di­a­ta des­ses pro­ces­sos, mas Mo­ro con­si­de­rou que is­so só se­ria fei­to se a se­gun­da ins­tân­cia de­ci­dis­se que não era da atri­bui­ção de­le per­ma­ne­cer à fren­te des­sas ações pe­nais.

Uma de su­as úl­ti­mas me­di­das co­mo juiz da La­va Ja­to foi pe­dir ao Su­pre­mo a de­vo­lu­ção de uma ação pe­nal con­tra o ex-mi­nis­tro Gui­do Man­te­ga que ha­via si­do sus­pen­sa por or­dem do mi­nis­tro do STF Di­as Tof­fo­li em se­tem­bro. Tam­bém nes­se ca­so hou­ve uma re­cla­ma­ção das de­fe­sas quan­to ao fo­ro do jul­ga­men­to.

In­di­ca­do mi­nis­tro da Jus­ti­ça do elei­to Jair Bol­so­na­ro, Mo­ro ain­da não dei­xou o car­go e ofi­ci­al­men­te es­tá em fé­ri­as.

En­quan­to is­so, as au­di­ên­ci­as e pro­ces­sos da La­va Ja­to per­ma­ne­cem com a juí­za Ga­bri­e­la Hardt, co­le­ga na mes- ma Vara Fe­de­ral. Só após a exo­ne­ra­ção, a Jus­ti­ça Fe­de­ral lan­ça­rá um edi­tal que po­de­rá trans­fe­rir pa­ra a va­ga de­le al­gum ou­tro juiz do Sul do país. Se hou­ver mais de um in­te­res­sa­do, o cri­té­rio de es­co­lha se­rá por an­ti­gui­da­de.

Mo­ro es­te­ve à fren­te de 45 ações pe­nais já sen­ten­ci­a­das e con­de­nou em pri­mei­ra ins­tân­cia mais de 140 réus.

Cer­ca de dez al­vos sem con­de­na­ção em se­gun­da ins­tân­cia es­tão em pri­são pre­ven­ti­va (sem pra­zo) por or­dem do juiz —me­di­das que po­dem ser re­vis­tas por um su­ces­sor.

Das 55 fa­ses da La­va Ja­to no Pa­ra­ná, 8 fo­ram de­fla­gra­das nes­te ano. Ao me­nos cin­co das eta­pas não vi­ra­ram de­nún­ci­as, ou se­ja, não ge­ra­ram pro­ces­sos em tra­mi­ta­ção na Jus­ti­ça Fe­de­ral até ago­ra.

O ti­tu­lar da Vara Fe­de­ral po­de de­ter­mi­nar o ar­qui­va­men­to ou au­to­ri­zar pror­ro­ga­ções des­sas in­ves­ti­ga­ções.

Uma das fa­ses ain­da sem de­fi­ni­ção en­vol­veu o ex-mi­nis­tro Del­fim Netto, al­vo de bus­cas em mar­ço em apu­ra­ção so­bre su­pos­ta frau­de na es­co­lha das em­prei­tei­ras nas obras da usi­na de Be­lo Mon­te, no Pa­rá. Há ou­tros inqué­ri­tos em an­da­men­to vin­cu­la­dos à Vara Fe­de­ral que en­vol­vem in­clu­si­ve Lu­la, co­mo um que tra­ta de pa­ga­men­tos à em­pre­sa de pa­les­tras do pe­tis­ta.

Ou­tra de­fi­ni­ção que pre­ci­sa­rá ser da­da pe­lo pró­xi­mo ti­tu­lar da La­va Ja­to são os des­mem­bra­men­tos de ações con­tra réus que es­tão no ex­te­ri­or.

Ao lon­go da Ope­ra­ção La­va Ja­to, o juiz ma­ni­fes­tou que pri­o­ri­za­ria pro­ces­sos de réus pre­sos, e ações con­tra fo­ra­gi­dos aca­ba­ram com es­cas­so an­da­men­to. Ele foi obri­ga­do a pe­dir aju­da in­ter­na­ci­o­nal pa­ra in­ti­mar al­vos que não es­tão no Bra­sil.

O tra­ba­lho de Mo­ro in­cluía ain­da a ad­mi­nis­tra­ção de acor­dos de de­la­ção fir­ma­dos em es­tá­gi­os ini­ci­ais da La­va Ja­to. En­tre mar­ço e ju­nho, por exem­plo, ele au­to­ri­zou a de­vo­lu­ção dos pas­sa­por­tes bra­si­lei­ro e por­tu­guês ao ex-di­re­tor da Pe­tro­bras Pau­lo Ro­ber­to Cos­ta, pri­mei­ro de­la­tor da La­va Ja­to. Já hou­ve ain­da ao me­nos um ca­so de um com­pro­mis­so de co­la­bo­ra­ção re­vis­to por Mo­ro, o do em­pre­sá­rio Fer­nan­do Mou­ra, em 2016, sus­pei­to de ter men­ti­do em sua de­la­ção e que foi obri­ga­do a vol­tar pa­ra a cadeia por cau­sa dis­so.

O dia a dia na Jus­ti­ça Fe­de- ral do Pa­ra­ná in­clui até a ad­mi­nis­tra­ção de bens con­fis­ca­dos por vín­cu­los com cri­mes. Foi a par­tir de edi­tais pu­bli­ca­dos por Mo­ro que fo­ram fei­tos lei­lões de par­te de um ho­tel que per­ten­cia ao do­lei­ro Al­ber­to Yous­seff e do trí­plex de Gu­a­ru­já (SP) que ori­gi­nou a con- de­na­ção de Lu­la.

Ao fa­lar da ad­mi­nis­tra­ção de bens se­ques­tra­dos pe­la Jus­ti­ça, em pa­les­tra em 2015, ele dis­se: “Mui­tas ve­zes vo­cê não tem tem­po nem de sen­ten­ci­ar, quan­to mais pa­ra fi­car cui­dan­do des­sas ques­tões pe­que­nas”.

O juiz fe­de­ral Ser­gio Mo­ro, que dei­xa­rá os ca­sos da La­va Ja­to no PR pa­ra as­su­mir o Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.