Sur­pre­sas, cu­mes e des­co­ber­tas

Go Outside (Brazil) - - RADAR RETINA - Por Bru­no Ro­ma­no

BEM-VIN­DO À INCA DI­VI­DE: UM DOS DESAFIOS ME­NOS CONHECIDOS E MAIS EXTREMOS DO CICLISMO DE LON­GA DISTÂNCIA NO CON­TI­NEN­TE

PA­RA CAPTAR O CICLISTA ITALIANO Mi­che­lan­ge­lo Pa­ci­fi­co no iní­cio de ju­lho, o fo­tó­gra­fo bra­si­lei­ro Re­nan Bos­si não me­diu es­for­ços. Di­vi­din­do um car­ro com um vo­lun­tá­rio pe­ru­a­no e um fran­cês, res­pon­sá­vel pe­la lo­gís­ti­ca da 2a edi­ção da Inca Di­vi­de, ele cru­zou de­ser­tos e mon­ta­nhas do Pe­ru por di­as com pas­sos bei­ran­do os 5.000 me­tros de al­ti­tu­de. Nes­sa pro­va em es­ti­lo bi­ke­pac­king e au­tos­su­fi­ci­en­te, da qu­al tam­bém par­ti­ci­pa­ram os bra­si­lei­ros Car­los Reis e Vi­ni­cius Mar­tins, o per­cur­so su­ge­ri­do so­ma 1.800 km pa­ra se­rem pe­da­la­dos em até 12 di­as. Al­ti­tu­de, iso­la­men­to e a pró­pria men­te dos atle­tas são os gran­des obs­tá­cu­los. Mui­tas ve­zes, a distância en­tre ci­clis­tas é cal­cu­la­da em di­as. “O de­sa­fio era en­con­trá-los na­que­la imen­si­dão”, diz Re­nan so­bre a pas­sa­gem pe­los ter­ri­tó­ri­os da Cor­di­lhei­ra Blan­ca e do Parque Na­ci­o­nal de Hu­as­ca­rán, car­tões-pos­tais do nor­te pe­ru­a­no. “Na­que­le mo­men­to, eu es­ta­va a 4.700 me­tros de al­ti­tu­de, me equi­li­bran­do em uma pe­dra à bei­ra de um pe­nhas­co com du­as câ­me­ras na mão”, des­cre­ve o fo­tó­gra­fo. O re­sul­ta­do o dei­xou em êx­ta­se. Era exa­ta­men­te o que ele ti­nha ido bus­car.

Port­fó­lio de Re­nan Bos­si

De­pois de en­ca­rar o pas­so Ya­nashal­lash (4.700 me­tros), ao sul da Cor­di­lhei­ra Blan­ca, o com­pe­ti­dor pe­ru­a­no Rod­ney Sonc­co pre­ci­sa­va es­co­lher um ru­mo. Ele de­ci­diu pe­lo mais cur­to – mais mon­ta­nho­so e ar­ris­ca­do tam­bém – em di­re­ção a Cas­ma, ter­cei­ro pos­to de con­tro­le obri­ga­tó­rio da Inca Di­vi­de 2018. No tra­je­to, com dois ter­ços con­quis­ta­dos do pas­so Pun­ta Cal­lan (4.200 me­tros), Rod­ney pre­ci­sou parar. “Se for pa­ra fu­rar um pneu, que se­ja com uma vis­ta des­sa”, di­ver­te-se Re­nan, que acom­pa­nha­va a sa­ga de per­to. “Pre­sen­ci­ar a for­ça men­tal des­ses ci­clis­tas foi al­go im­pres­si­o­nan­te. Mais do que fo­tos, tra­go lem­bran­ças do que o ser hu­ma­no con­se­gue atin­gir.”

FERRAMENTAS: Ca­non 6D, len­te 16-35 mm, ISO 400, f/4, 1/500 se­gun­do

A escalada da Pun­ta Olim­pi­ca, as­cen­são pa­ra lá de exi­gen­te, foi um pon­to-cha­ve na dis­pu­ta do tí­tu­lo. O italiano Mi­che­lan­ge­lo lar­gou na fren­te, mas so­freu com a fal­ta de co­mi­da e de descanso. “Rod­ney su­biu co­mo uma lo­co­mo­ti­va”, con­ta Re­nan. Com a Cor­di­lhei­ra Blan­ca e par­te do parque Hu­as­ca­rán ao fun­do, o pe­ru­a­no as­su­miu a pri­mei­ra po­si­ção pa­ra não a per­der mais. Ao che­gar à ba­se em Tru­jil­lo, já no ní­vel do mar, Rod­ney ce­le­brou a vi­tó­ria em pou­co me­nos de seis di­as (127h22­min). Ele já ha­via ven­ci­do a Inca Di­vi­de inau­gu­ral em 2017, que li­gou Qui­to, no Equa­dor, a Cus­co, no Pe­ru, em im­pres­si­o­nan­tes 3.500 km.

FERRAMENTAS: Ca­non 5D MKIII, len­te 70-200 mm, ISO 500, f/4, 1/3.200 se­gun­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.