Ro­das da re­sis­tên­cia

CO­LA­BO­RA­TI­VA E IN­CLU­SI­VA, A CUL­TU­RA DO “FA­ÇA VO­CÊ MES­MO” (OU DIY) VI­VE NO­VA E EM­POL­GAN­TE FA­SE NA CE­NA DO SKA­TE BRA­SI­LEI­RO

Go Outside (Brazil) - - RADAR SKATE - POR BRU­NO RO­MA­NO

CLACK! CLACK! BUM! O som das ro­di­nhas no con­cre­to se so­ma à ba­ru­lhen­ta “sin­fo­nia” de uma gran­de ave­ni­da. Elas gi­ram so­bre as pa­re­des gas­tas de um pos­to de ga­so­li­na aban­do­na­do na ci­da­de pau­lis­ta de Pin­da­mo­nhan­ga­ba. A mo­vi­men­ta­ção atrai os olha­res de quem pas­sa. A ca­da ma­no­bra, ska­tis­tas e ex­pec­ta­do­res se sol­tam um pou­co mais e co­me­çam e in­te­ra­gir. Tu­do flui no rit­mo im­pro­vi­sa­do das ten­ta­ti­vas de voo em uma no­va ram­pa re­cém-cons­truí­da. Pe­que­no, simples e ar­te­sa­nal, o ob­je­to lan­ça os ska­tes ru­mo às pa­re­des do pos­to, trans­for­man­do com­ple­ta­men­te a pai­sa­gem.

A ocu­pa­ção faz par­te de um mo­vi­men­to do ska­te co­nhe­ci­do mun­di­al­men­te co­mo DIY, do ter­mo em in­glês do it your­self (ou “fa­ça vo­cê mes­mo”), que vi­ve uma no­va fa­se de as­cen­são no Bra­sil. Ao cri­ar es­pa­ços de for­ma in­de­pen­den­te e au­to­di­da­ta, ska­tis­tas de vá­ri­os can­tos do país têm da­do vi­da a lo­cais de­gra­da­dos, rein­ven­tan­do su­as pró­pri­as re­la­ções com o am­bi­en­te ur­ba­no e com a pai­xão que os mo­ve.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.