CAS­SI­NO, Rio Gran­de do Sul

Boa pa­ra: Ca­mi­nhar, pe­da­lar lon­gas dis­tân­ci­as e pra­ti­car ki­te­surf.

Go Outside (Brazil) - - GO OUTSIDE -

A MAI­OR PAR­TE DOS mais de 200 km de ex­ten­são da praia do Cas­si­no, no ex­tre­mo sul do Bra­sil, cos­tu­ma es­tar com­ple­ta­men­te de­ser­ta. O iso­la­men­to e a vas­ti­dão atra­em vi­a­jan­tes pa­ra uma tra­ves­sia úni­ca. Afi­nal, es­sa é a mai­or praia do mun­do, com me­di­ções que va­ri­am de 220 a 250 km con­tí­nu­os. O am­bi­en­te é mes­mo in­crí­vel pa­ra tes­tar o cor­po e a men­te (e ainda se des­co­nec­tar um pou­co), mas é pre­ci­so fi­car bem aten­to com as con­di­ções de cli­ma, prin­ci­pal­men­te ven­to e ma­ré. Por si­nal, o ven­to tem fa­vo­re­ci­do o cres­ci­men­to do ki­te­surf nes­se pe­da­ço, fa­zen­do o es­por­te des­pon­tar no Cas­si­no.

Co­me­çan­do em Rio Gran­de, pon­to de par­ti­da pa­ra aces­sar um dos extremos da fai­xa de areia no la­do bra­si­lei­ro, em di­re­ção ao ar­roio do Chuí, na di­vi­sa com o Uru­guai, os ven­tos que irão te em­pur­rar adi­an­te vêm de nor­te e nor­des­te. Ou­tra di­ca cer­tei­ra é co­me­çar as jor­na­das diá­ri­as bem ce­do. Bô­nus: em ma­nhãs de ho­ri­zon­te aber­to, o sol nas­ce bem na li­nha do mar. Co­mo a ex­pe­di­ção traz to­do es­se con­ta­to in­ten­so com elementos va­riá­veis da natureza, con­si­de­re me­tas mais fol­ga­das le­van­do em con­ta sua ex­pe­ri­ên­cia e seu pre­pa­ro.

É pos­sí­vel en­con­trar lo­cais ade­qua­dos pa­ra acam­pa­men­to selvagem no per­cur­so e, com sor­te, areia pla­na e fir­me na mai­or par­te do ca­mi­nho. No iní­cio da se­gun­da me­ta­de do tra­je­to, há um de­sa­fio ex­tra a se con­si­de­rar na lo­gís­ti­ca, o cha­ma­do “con­chei­ro”.

Es­se mix de areia com con­chas va­ria de tamanho (mui­tas ve­zes ul­tra­pas­san­do os 15 km) e exi­ge es­for­ço e cui­da­do re­do­bra­do. Ca­so vo­cê vi­a­je de bike, op­te sem­pre por um es­que­ma mais le­ve e prá­ti­co, com o mí­ni­mo ne­ces­sá­rio.

Par­tin­do dos mo­lhes na bar­ra da la­goa dos Pa­tos ru­mo ao sul, al­guns pontos à bei­ra-mar são ver­da­dei­ros “clás­si­cos” lo­cais, além de bo­as re­fe­rên­ci­as vi­su­ais: o na­vio en­ca­lha­do Al­tair e os fa­róis de Sa­ri­ta, Al­bar­dão e Chuí (es­te úl­ti­mo já no fim do tra­je­to). Com o Oce­a­no Atlân­ti­co sem­pre acom­pa­nhan­do a tra­ves­sia, de um la­do, e o ter­ri­tó­rio da es­ta­ção eco­ló­gi­ca do Taim, do ou­tro, é do ti­po de pas­seio re­com­pen­sa­dor e ines­que­cí­vel.

ON­DE FI­CAR:

Com bom pla­ne­ja­men­to e equi­pa­men­tos ade­qua­dos, é pos­sí­vel acam­par du­ran­te o tra­je­to. Se pre­fe­rir, há agên­ci­as que or­ga­ni­zam ro­tei­ros com­ple­tos com ali­men­ta­ção, per­noi­te em bar­ra­cas e car­ro de apoio, co­mo a Pi­sa Trek­king (pi­sa.tur.br), que ofe­re­ce no­ve di­as de vi­a­gem, sen­do se­te de ca­mi­nha­da.

DI­CA: A ape­nas 40 km da fron­tei­ra do Chuí, o Parque Na­ci­o­nal San­ta Te­re­sa, no Uru­guai (ser­vi­ci­o­de­par­ques­de­le­jer­ci­to.com.uy), tem áre­as per­fei­tas pa­ra cam­ping, lin­das praias e surf de qua­li­da­de.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.