GUI­TAR­RA E ES­TRE­LAS

Um mú­si­co acla­ma­do, cri­a­ti­vo e PhD em as­tro­fí­si­ca. Co­nhe­ça as vá­ri­as fa­ce­tas do exí­mio gui­tar­ris­ta do Que­en

GRANDES ÍDOLOS DA MÚSICA - Queen - - PLAYLIST - TEX­TO Ana Be­a­triz Gar­cia/Co­la­bo­ra­do­ra DE­SIGN Ka­ri­na Ar­ru­da FOTOS Shutterstock Ima­ges

Além de exí­mio gui­tar­ris­ta, Bri­an May tam­bém é dou­tor em as­tro­fí­si­ca

Ho­me­na­ge­a­do por seus ser­vi­ços pa­ra a mú­si­ca e su­as obras de ca­ri­da­de, e atu­an­do co­mo ati­vis­ta dos di­rei­tos dos ani­mais, Bri­an Ha­rold May – que nas­ceu em 19 de ju­lho de 1947 em Hamp­ton, Lon­dres – tor­nou-se um com­po­si­tor e gui­tar­ris­ta de re­no­me mun­di­al. Su­as pro­du­ções e cré­di­tos em gra­va­ções ven­de­ram mais de 100 mi­lhões de có­pi­as por to­do o mun­do.

Já ou­viu fa­lar em We Will Rock You, Tie Your Mother Down, The Show Must Go On ou Who Wants to Li­ve Fo­re­ver? Es­ses são os no­mes de al­gu­mas das gran­des com­po­si­ções do gui­tar­ris­ta e su­ces­sos do Que­en.

Mas o exí­mio mú­si­co apresenta ou­tras fa­ce­tas, além da qual ga­nhou no­to­ri­e­da­de. “As ha­bi­li­da­des de Bri­an May vão mui­to além das me­lo­di­as, pois além de ter dou­to­ra­do em as­tro­fí­si­ca, o gui­tar­ris­ta fez sua pró­pria gui­tar­ra: a Red Spe­ci­al” , des­ta­ca Edu Fer­nan­des no li­vro Clas­sic Rock by Kiss FM.

Em 2005, uma en­que­te re­a­li­za­da pe­la re­vis­ta Pla­net Rock clas­si­fi­cou o mú­si­co co­mo sé­ti­mo me­lhor gui­tar­ris­ta de to­dos os tem­pos. Se­gun­do a re­vis­ta Rolling Sto­ne, Bri­an ocu­pa o 26º lu­gar na ca­te­go­ria “me­lhor gui­tar­ris­ta de to­dos os tem­pos”. En­tre­tan­to, pa­ra a Gui­tar World, de acor­do com a opi­nião de seus lei­to­res em 2012, May ocu­pa a se­gun­da po­si­ção no ran­king.

Mais do que dou­tor em rock

An­tes de fun­dar a banda, em 1970, Bri­an May com­ple­tou sua li­cen­ci­a­tu­ra em Ma­te­má­ti­ca e Fí­si­ca pe­lo Im­pe­ri­al Col­le­ge, em Lon­dres. Em se­gui­da, o mú­si­co in­gres­sou no dou­to­ra­do em As­tro­fí­si­ca e le­vou os es­tu­dos pa­ra­le­la­men­te às ati­vi­da­des da banda nos pri­mei­ros anos.

Com o lan­ça­men­to do ál­bum Que­en II, em 1974, o gru­po pas­sou a ter su­ces­so e re­co­nhe­ci­men­to in­ter­na­ci­o­nal. Bri­an te­ve de aban­do­nar seu PhD, mas man­te­ve seu amor pe­la as­tro­no­mia, tan­to que, em uma en­tre­vis­ta em 2006, ele re­ve­lou seu de­se­jo de com­ple­tar seu dou­to­ra­do. As­sim, o en­tão che­fe de As­tro­fí­si­ca do Im­pe­ri­al, Mi­cha­el Rowan-Ro­bin­son, en­trou em con­ta­to pa­ra con­ver­sa­rem so­bre is­so.

Pas­sa­dos 37 anos do iní­cio de seu dou­to­ra­do, Bri­an May apre­sen­tou, em 24 de se­tem­bro de 2007, sua te­se – um es­tu­do de 48 mil pa­la­vras que de­fen­de a ideia de que pla­ne­tas e nu­vens de po­ei­ra em nos­so sis­te­ma so­lar or­bi­tam na mes­ma di­re­ção –, al­can­çan­do seu tí­tu­lo de PhD em As­tro­fí­si­ca.

Do uku­le­lê à Red Spe­ci­al

Qu­an­do ain­da era um me­ni­no de seis anos, Bri­an já ha­via se in­te­res­sa­do pe­lo uni­ver­so mu­si­cal. Tu­do co­me­çou com um uku­le­lê; em se­gui­da, já es­ta­va to­can­do vi­o­lão e, de­pois de fa­zer au­las de pi­a­no, foi a vez de apren­der a to­car o ins­tru­men­to que fa­ria his­tó­ria na vi­da de May, a gui­tar­ra.

Aos 16 anos, o jo­vem Bri­an que­ria uma gui­tar­ra Fen­der Stra­to­cas­ter ou Gib­son Les Paul. Mas o al­to cus­to do ins­tru­men­to e a im­pos­si­bi­li­da­de de ad­qui­ri-lo fez com que o mú­si­co e seu pai se de­di­cas­sem pa­ra con­fec­ci­o­nar uma. A Red Spe­ci­al ( Ver­me­lho Es­pe­ci­al, em por­tu­guês), co­mo foi ba­ti­za­da, de­mo­rou qua­se dois anos pa­ra fi­car pron­ta e foi fei­ta de uma ma­dei­ra de tom ver­me­lho es­cu­ro, pe­ças de mo­to­ci­cle­ta e agu­lha de tricô. “Desenhada por May e cons­truí­da com a aju­da de seu pai, ela tor­nou-se um dos íco­nes do Que­en e li­te­ral­men­te uma mar­ca re-

As ha­bi­li­da­des de Bri­an May vão mui­to além das me­lo­di­as, pois além de ter dou­to­ra­do em as­tro­fí­si­ca, o gui­tar­ris­ta fez sua pró­pria gui­tar­ra: a Red Spe­ci­al” Edu Fer­nan­des no li­vro “Clas­sic Rock by Kiss FM.”

gis­tra­da, já que ins­tru­men­tos com o de­sign da Red Spe­ci­al são pro­du­zi­dos e ven­di­dos pe­la Bri­an May Gui­tars”, ex­pli­ca Edu Fer­nan­des no li­vro Clas­sic Rock by Kiss FM.

Em 2014, Bri­an May e Si­mon Bra­dley lan­ça­ram Bri­an May Red Es­pe­ci­al: A His­tó­ria da Gui­tar­ra Ho­me-Ma­de que aba­lou o Mun­do, um li­vro pa­ra fa­lar de sua Red Spe­ci­al, a ami­ga in­se­pa­rá­vel nos úl­ti­mos 50 anos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.