Ela vol­tou com tu­do para a TV!

Guia da Tevê - - A VOZ DOS FAMOSOS - Tex­to: Da­ni­e­le Olim­pio/co­la­bo­ra­do­ra En­tre­vis­ta: An­dré Luís Ro­ma­no/co­la­bo­ra­dor

Na tra­ma, a sua per­so­na­gem, So­lan­ge, faz par­te do nú­cleo cô­mi­co e vo­cê nun­ca ha­via fei­to um papel na área da comédia. Está sen­do um de­sa­fio?

“Na ver­da­de já era uma von­ta­de que eu ti­nha há mui­to tem­po, por­que até al­guns ami­gos meus já fa­la­ram para eu fa­zer pa­péis as­sim. Está sen­do um de­sa­fio sim e es­tou ado­ran­do. Fui des­co­brin­do co­mo fa­zia já fa­zen­do (ri­sos).”

A So­lan­ge te­ve um pas­sa­do com o per­so­na­gem do Evan­dro Mes­qui­ta, o Emi­li­a­no. Co­mo se de­sen­ro­la­rá is­so?

“En­tão, por cau­sa do gran­de ro­man­ce que eles ti­ve­ram há anos e que não aca­bou bem, eles se odei­am pro­fun­da­men­te. E co­mo os dois fo­ram con­tra­ta­dos para fa­ze­rem um par ro­mân­ti­co no fil­me do Alain, ain­da vai vir mui­ta bri­ga pela fren­te com es­ses dois. Mas é aqui­lo, ela re­en­con­tra o gran­de amor da vi­da de­pois de 10 anos, en­tão mes­mo com tan­to ódio en­vol­vi­do, acho que mui­ta coi­sa po­de acon­te­cer.”

Sua per­so­na­gem tam­bém vi­ve cri­ses in­ten­sas com a ida­de que tem. E vo­cê, co­mo li­da com o as­sun­to?

“É, a So­lan­ge não aceita seus 40 anos e car­re­ga mui­tas in­se­gu­ran­ças. Mas eu, pes­so­al­men­te, li­do bem com o as­sun­to ho­je. Qu­an­do ti­nha 26 anos ti­nha uma coi­sa ma­lu­ca, me sen­tia mui­to ve­lha. Ain­da bem que ho­je eu já não te­nho es­sa an­si­e­da­de e es­se me­di­dor de ve­lhi­ce.”

Es­pe­lho da Vi­da mar­ca sua vol­ta para a TV de­pois de tan­to tem­po lon­ge. Co­mo foi a pre­pa­ra­ção para es­se re­tor­no?

“Foi tran­qui­lo. Não tem jei­to, a gen­te tem que se pre­pa­rar sem­pre. Acho que o mais di­fí­cil foi na par­te fí­si­ca por­que, por con­ta de du­as hér­ni­as, ti­ve que fi­car um ano e meio sem ma­lhar. Foi uma coi­sa hor­rí­vel que eu nun­ca pen­sei que fos­se ter, por­que eu acha­va que ti­nha um do­mí­nio in­crí­vel do meu cor­po por ter si­do bai­la­ri­na e aí en­fren­tei um ano e meio sem po­der fa­zer na­da.”

Co­mo está sen­do atu­ar com a ga­le­ra do seu nú­cleo? Co­mo vo­cês fi­ze­ram para ro­lar es­sa quí­mi­ca tão boa que aca­ba ul­tra­pas­san­do as te­las?

“Qu­an­do eles cha­mam a gen­te é mui­to rá­pi­do. Mas já na reunião de elen­co vo­cê co­me­ça a se en­vol­ver com os co­le­gas, re­ver ou­tros e tam­bém a ad­mi­rar, mais ain­da os ami­gos, por­que tam­bém so­mos fãs de mui­ta gen­te. A quí­mi­ca acon­te­ce na ho­ra mes­mo.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.