JOUR­NAL

TRÍ­PLI­CE CO­ROA CA­PI­XA­BA TE­RÁ SEU DES­FE­CHO EM REGÊNCIA, EM UM MO­MEN­TO NO QUAL OS ATIN­GI­DOS FI­NAL­MEN­TE DE­VE­RÃO TER VOZ NA RE­CONS­TRU­ÇÃO DO RIO DO­CE

Hard Core (Brazil) - - ÍNDICE - POR KE­VIN DAMASIO

Regência vol­ta­rá aos ho­lo­fo­tes na­ci­o­nais do surf de 11 a 14 de ou­tu­bro, com a eta­pa der­ra­dei­ra da Trí­pli­ce Co­roa Que­bra On­da. Além de ce­le­brar uma tem­po­ra­da de al­tas on­das, o even­to mar­ca­rá um en­con­tro en­tre surfistas e as­so­ci­a­ções do es­por­te ca­pi­xa­ba. As ou­tras eta­pas acon­te­ce­ram nas vi­zi­nhas Po­vo­a­ção e Pon­tal do Ipi­ran­ga, e o cir­cui­to pa­ra­le­lo é par­te do Cir­cui­to Bra­si­lei­ro de Surf Pro­fis­si­o­nal, da Abrasp. A ideia é dis­cu­tir a con­di­ção dos surfistas co­mo atin­gi­dos pe­la tra­gé­dia do Rio Do­ce, as­sim co­mo re­fle­tir so­bre a pre­ser­va­ção e a im­por­tân­cia da mí­ti­ca on­da da Bo­ca do Rio.

A Trí­pli­ce Co­roa é uma das con­quis­tas da As­so­ci­a­ção de Surf de Li­nha­res (ASL). A en­ti­da­de di­a­lo­ga com a Fun­da­ção Re­no­va, cri­a­da pe­la mi­ne­ra­do­ra Sa­mar­co, a fim de tra­tar dos re­pa­ros so­ci­o­am­bi­en­tais e so­ci­o­e­conô­mi­cos ao lon­go da ba­cia do Rio Do­ce. Ca­da uma das eta­pas ren­de, aos res­pec­ti­vos cam­peões, 3.000 pon­tos no ran­king bra­si­lei­ro.

Em 21 de no­vem­bro de 2015, os re­jei­tos de mi­ne­ra­ção da Sa­mar­co de­sem­bo­ca­vam no mar, de­pois de per­cor­re­rem mais de 600 km pe­los ri­os da ba­cia do Rio Do­ce. Car­re­ga­da de me­tais pe­sa­dos, a en­xur­ra­da de la­ma te­ve iní­cio de­pois do rom­pi­men­to da Bar­ra­gem de Fun­dão, da mi­ne­ra­do­ra que per­ten­ce à Va­le e à an­glo-aus­tra­li­a­na BHP Bil­li­ton. O cri­me, que te­ve ori­gem na ci­da­de de Ma­ri­a­na (MG), acar­re­tou na mor­te de 19 pes­so­as, so­ter­rou o sub­dis­tri­to de Ben­to Rodrigues e par­te de Pa­ra­ca­tu de Bai­xo e di­zi­mou a fau­na e a flo­ra ao lon­go do Rio Do­ce.

Os qua­se três anos que su­ce­de­ram a tra­gé­dia fo­ram mar­ca­dos pe­la condenação de di­ri­gen­tes da Sa­mar­co – en­tre eles o ex-pre­si­den­te da em­pre­sa, Ri­car­do Ves­co­vi – e a apli­ca­ção de mul­tas que ul­tra­pas­sam a ca­sa dos bi­lhões e in­de­ni­za­ções ja­mais pa­gas. O con­tro­le das ações de re­pa­ros até en­tão es­ta­va nas mãos da Fun­da­ção Re­no­va, cri­a­da pe­las em­pre­sas.

NO­VO ACOR­DO

Mas o ce­ná­rio de es­cu­ta e as­sis­tên­cia ad­qui­riu ou­tro ca­rá­ter des­de o úl­ti­mo 8 de agos­to, quan­do foi ho­mo­lo­ga­do o Ter­mo de Ajus­ta­men­to de Con­du­ta, ou TAC Go­ver­nan­ça. Se­gun­do o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral, tra­ta-se de “um ins­tru­men­to ex­tra­ju­di­ci­al de so­lu­ção al­ter­na­ti­va de con­fli­tos, que pre­ten­de tra­zer rapidez e ce­le­ri­da­de às de­man­das ju­di­ci­ais pro­pos­tas no ca­so Sa­mar­co”. São três ob­je­ti­vos: al­te­rar o sis­te­ma de go­ver­nan­ça vi­gen­te; apri­mo­rar me­ca­nis­mos pa­ra as­se­gu­rar a par­ti­ci­pa­ção efe­ti­va dos atin­gi­dos “em to­das as fa­ses do pro­ces­so de re­pa­ra­ção dos da­nos”; e “o es­ta­be­le­ci­men­to de um pro­ces­so de ne­go­ci­a­ção de re­pac­tu­a­ção dos pro­gra­mas so­ci­o­am­bi­en­tais e so­ci­o­e­conô­mi­cos”.

A Jus­ti­ça au­to­ri­zou a con­tra­ta­ção da Fun­da­ção Ge­tú­lio Var­gas pa­ra re­a­li­zar o di­ag­nós­ti­co so­ci­o­e­conô­mi­co e a Fun­da­ção Bra­sil de Di­rei­tos Hu­ma­nos pa­ra con­tra­tar as as­ses­so­ri­as téc­ni­cas pa­ra ca­da mu­ni­cí­pio.

“Foi uma lu­ta de qua­se dois anos, via Mi­nis­té­rio Pú­bli­co, pa­ra que a Re­no­va con­tra­tas­se uma as­ses­so­ria téc­ni­ca pa­ra os atin­gi­dos”, diz Hau­ley Va­lim, an­tro­pó­lo­go e se­cre­tá­rio da As­so­ci­a­ção do Surf de Regência (ASR). “Es­sa é uma for­ma de ter um gru­po de pro­fis­si­o­nais pa­ra qua­li­fi­car nos­so de­ba­te com a Re­no­va e tam­bém, a par­tir des­se cor­po técnico, de­man­dar aná­li­ses de água e de so­lo e ou­tras ques­tões per­ti­nen­tes pa­ra a nos­sa lu­ta.”

Ao ho­mo­lo­gar a TAC Go­ver­nan­ça, en­tre­tan­to, o juiz fe­de­ral Ma­no de Pau­la Fran­co Jú­ni­or, do 12º Juí­zo Fe­de­ral de Be­lo Ho­ri­zon­te, es­ta­be­le­ceu res­sal­vas que de­sa­gra­da­ram ins­ti­tui­ções pú­bli­cas e atin­gi­dos. So­bre o con­tra­to de as­ses­so­ri­as téc­ni­cas, de­ter­mi­nou que as en­ti­da­des, equi­pes, pro­fis­si­o­nais ou in­di­ví­du­os não te­nham quais­quer “vín­cu­los/fi­li­a­ção, di­re­ta ou in­di­re­ta, com par­ti­dos po­lí­ti­cos ou ati­vi­da­des po­lí­ti­co-

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.