Pran­cha Má­gi­ca: Paulo Zulu

AOS 55 ANOS, O MO­DE­LO E ATOR USOU O CO­NHE­CI­MEN­TO DE MAIS DE QUA­TRO DéCADAS NO MAR PA­RA DESENVOLVER SU­AS PRAN­CHAS MáGICAS EM PAR­CE­RIA COM A ORIC SURFBOARDS. CONHEçA O MO­DE­LO QUE LHE RENDEU UMA NO­VA VI­SãO SOBRE O SURF E SUA ME­LHOR PER­FOR­MAN­CE NA IN­DO­Né­SIA.

Hard Core (Brazil) - - JRNL -

Es­sa pran­cha me deu con­fi­an­ça, con­se­gui do­mi­nar com­ple­ta­men­te as on­das, prin­ci­pal­men­te em Uluwa­tu. En­tão fui pa­ra Men­tawai com o fo­tó­gra­fo Bru­no Vei­ga. Pe­ga­mos Ma­car­ro­nis de 6 a 7 pés, e rendeu cada tu­bo in­crí­vel, uns 20 se­cos! Saía de cada um e emen­da­va ma­no­bras até o fim. Is­so me deu con­fi­an­ça pa­ra sur­far em Greenbush. Foi uma experiência in­crí­vel, por­que nun­ca ti­ve­ra uma per­for­man­ce tão boa nas Men­tawai, pa­ra on­de vou des­de 2001.

Quando vol­tei da In­do­né­sia, co­me­cei eu mes­mo a ela­bo­rar ar­qui­vos de pran­chas no 3D da fá­bri­ca do Ci­ro Bu­ar­que e do Gui­lher­me Paz. Gos­to de pran­cha com pou­ca cur­va, ho­mo­gê­nea no fun­do in­tei­ro, pa­ra que te­nha pou­ca saí­da da água. Meu es­ti­lo é mais con­ven­ci­o­nal. E es­se mo­de­lo de pran­chas mágicas tem me da­do uma no­va pers­pec­ti­va de surf. Tam­bém fiz uma 6’4’’ e ou­tra 6’6’’ pa­ra Ba­li. O Ci­ro faz o aca­ba­men­to final, já que não sou sha­per.

A pran­cha má­gi­ca mu­da a vi­são in­de­pen­den­te­men­te da ida­de. Quando achar que sua per­for­man­ce es­tá de­va­gar por ter cer­ta ida­de, na ver­da­de vo­cê es­tá com o equi­pa­men­to er­ra­do – es­sa é a con­clu­são a que che­guei. Com o cer­to, vo­cê se sen­te na me­lhor per­for­man­ce. Quando es­tá gran­de e tu­bu­lar, vo­cê faz o que tem que ser fei­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.