Opinião

To­dos os ho­téis que in­gres­sa­ram com ação ju­di­ci­al pa­ra dis­cu­tir o ICMS-Ener­gia so­bre a TUSD/ TUST po­de­rão ob­ter de­ci­são fi­nal ain­da es­se ano do STJ – Su­pe­ri­or Tri­bu­nal de Jus­ti­ça e pos­si­vel­men­te po­de­rão re­ce­ber cré­di­to mi­li­o­ná­rio do go­ver­no

Hotéis - - News -

O Te­ma de Re­cur­so Re­pe­ti­ti­vo nº 986 do STJ – Su­pe­ri­or Tri­bu­nal de Jus­ti­ça, que tra­ta so­bre a ex­clu­são da TUSD/TUST (Ta­ri­fa de Uso do Sis­te­ma de Dis­tri­bui­ção e Ta­ri­fa de Uso dos Sis­te­mas Elé­tri­cos de Trans­mis­são) da ba­se de cál­cu­lo do ICMS (Im­pos­to so­bre Ope­ra­ções

re­la­ti­vas à Cir­cu­la­ção de Mer­ca­do­ri­as) po­de­rá ser jul­ga­do ain­da es­se ano. O re­la­tor do ca­so Mi­nis­tro Her­man Ben­ja­min já au­to­ri­zou a in­clu­são do pro­ces­so em pau­ta pa­ra jul­ga­men­to, o que de­ve­rá acon­te­cer em agos­to de 2018.

Es­sa no­tí­cia traz gran­des ex­pec­ta­ti­vas ao se­tor ho­te­lei­ro, ha­ja vis­ta que os Go­ver­nos Es­ta­du­ais po­de­rão ser obri­ga­dos a re­du­zir a tri­bu­ta­ção das fa­tu­ras de ener­gia elé­tri­ca da­que­les que in­gres­sa­ram com es­sa de­man­da, bem co­mo res­ti­tuir os va­lo­res pa­gos a mai­or dos úl­ti­mos cin­co anos. De­pen­den­do do por­te do em­pre­en­di­men­to ho­te­lei­ro, tal mon­tan­te po­de ul­tra­pas­sar um mi­lhão de re­ais. Po­rém, so­men­te aque­les que in­gres­sa­ram com a ação ju­di­ci­al se­rão be­ne­fi­ci­a­dos com o jul­ga­men­to des­se re­cur­so re­pe­ti­ti­vo do STJ, ten­do em vis­ta que os Go­ver­nos Es­ta­du­ais não re­co­nhe­cem es­se cré­di­to por ini­ci­a­ti­va pró­pria.

Atu­al­men­te, to­das as ações ju­di­ci­as que tra­tam so­bre a ma­té­ria es­tão sus­pen­sas em to­do o território na­ci­o­nal até que es­se jul­ga­men­to afe­ta­do pe­lo ri­to dos re­cur­sos re­pe­ti­ti­vos se­ja con­cluí­do. Pa­ra os ho­te­lei­ros que ain­da des­co­nhe­cem a ma­té­ria, tra­ta-se de uma dis­cus­são so­bre se o ICMS pre­sen­te nas fa­tu­ras de ener­gia elé­tri­ca po­de ou não in­ci­dir so­bre a TUSD/TUST (Ta­ri­fa de Uso do Sis­te­ma de Dis­tri­bui­ção e Ta­ri­fa de Uso dos Sis­te­mas Elé­tri­cos de Trans­mis­são). Pe­la in­ter­pre­ta­ção cor­re­ta da le­gis­la­ção, es­sas ta­ri­fas de­ve­ri­am ser ex­cluí­das da ba­se de cál­cu­lo do ICMS, de mo­do que es­sa in­ci­dên­cia ile­gal one­ra o ho­te­lei­ro em até 20% (vin­te por cen­to) do va­lor das con­tas men­sais de ener­gia elé­tri­ca.

Dos dez Mi­nis­tros que par­ti­ci­pa­rão do jul­ga­men­to, se­te já se mos­tra­ram fa­vo­rá­veis ao con­tri­buin­te (Fran­cis­co Fal­cão, Her­man Ben­ja­min, Na­po­leão Nu­nes Maia Fi­lho, Og Fer­nan­des, Mau­ro Camp­bell Mar­ques, As­su­se­te Ma­ga­lhães e Re­gi­na He­le­na Cos­ta), de mo­do que, na com­po­si­ção atu­al da Pri­mei­ra Se­ção do STJ, há uma gran­de pro­ba­bi­li­da­de de êxi­to dos ho­téis pa­ra re­cu­pe­ra­ção des­ses cré­di­tos. Pa­ra en­ten­der o atu­al cál­cu­lo re­a­li­za­do e co­mo de­ve ser o cál­cu­lo cor­re­to, é ne­ces­sá­rio ana­li­sar a com­po­si­ção da con­ta da ener­gia elé­tri­ca. Ela é com­pos­ta pe­la TE (Ta­ri­fa de Ener­gia), pe­la TUSD/TUST (Ta­ri­fa de Uso do Sis­te­ma de Dis­tri­bui­ção e Ta­ri­fa de Uso dos Sis­te­mas Elé­tri­cos de Trans­mis­são) e pe­los tri­bu­tos, en­tre eles, o ICMS.

Ca­da Es­ta­do da Fe­de­ra­ção pos­sui sua alí­quo­ta pró­pria, ou se­ja, pos­sui o per­cen­tu­al de ICMS que irá in­ci­dir so­bre a ener­gia elé­tri­ca con­su­mi­da pe­lo es­ta­be­le­ci­men­to ho­te­lei­ro. Sen­do as­sim, do va­lor to­tal co­bra­do atu­al­men­te, um de­ter­mi­na­do per­cen­tu­al é des­ti­na­do ao pa­ga­men­to do ICMS, cal­cu­la­do so­bre a so­ma­tó­ria de­le mes­mo, da TE, da TUSD ou TUST, do PIS/PASEP e da COFINS. Po­rém, con­for­me apli­ca­ção da Lei que ins­ti­tui o ICMS (LC 87/96), ele não po­de­rá in­ci­dir so­bre a TUSD ou TUST. A te­se é sim­ples: por lei, o im­pos­to so­men­te po­de­rá in­ci­dir so­bre a cir­cu­la­ção de ener­gia elé­tri­ca e não so­bre o uso do sis­te­ma de dis­tri­bui­ção ou trans­mis­são de ener­gia, ha­ja vis­ta que es­tes úl­ti­mos não são fa­tos ge­ra­do­res do ICMS. Sen­do as­sim, pa­ra apro­vei­ta­men­to da pos­sí­vel de­ci­são fa­vo­rá­vel do STJ que ex­clua a TUSD/TUST da ba­se de cál­cu­lo do ICMS-Ener­gia, os ho­te­lei­ros in­te­res­sa­dos de­ve­rão pro­cu­rar um ad­vo­ga­do tri­bu­ta­ris­ta de con­fi­an­ça que cal­cu­le o mon­tan­te do be­ne­fí­cio e pro­po­nha a me­di­da ju­di­ci­al pe­ran­te o juí­zo com­pe­ten­te.

Mu­ril­lo Akio Ara­ka­ki, é só­cio do es­cri­tó­rio Ara­ka­ki Ad­vo­ga­dos, é ad­vo­ga­do mi­li­tan­te em São Pau­lo. Ba­cha­rel em Di­rei­to pe­la Uni­ver­si­da­de São Ju­das Ta­deu em São Pau­lo e pós­gra­du­a­do em Di­rei­to Tri­bu­tá­rio pe­la Pon­ti­fí­cia Uni­ver­si­da­de Ca­tó­li­ca de São Pau­lo. É Pre­si­den­te da Co­mis­são de Di­rei­to apli­ca­do à Ho­te­la­ria e ao Tu­ris­mo na OAB/SP, mem­bro efe­ti­vo da Co­mis­são de Di­rei­to Tri­bu­tá­rio na OAB/SP e mem­bro efe­ti­vo da Co­mis­são de Con­ten­ci­o­so Ad­mi­nis­tra­ti­vo Tri­bu­tá­rio na OAB/SP. Foi pro­fes­sor tu­tor da área Tri­bu­tá­ria do Com­ple­xo Edu­ca­ci­o­nal Da­má­sio de Je­sus em São Pau­lo. Au­tor de ar­ti­gos ju­rí­di­cos e pa­les­tran­te.

Con­ta­to:

E-mail: mu­ril­lo@ara­ka­ki­ad­vo­ga­dos.com.br Si­te: http://www.ara­ka­ki­ad­vo­ga­dos.com.br

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.