Ada­gio Cu­ri­ti­ba Ba­tel en­trou em ope­ra­ção

Es­sa é o 10° ho­tel da mar­ca Ada­gio Apartho­tel no Bra­sil que é vol­ta­do a lon­ga es­ta­dia

Hotéis - - Implantação -

A ca­pi­tal pa­ra­na­en­se aca­ba de ga­nhar um em­pre­en­di­men­to mo­de­lo long stay (lon­ga es­ta­dia), pa­drão in­ter­na­ci­o­nal, e o bair­ro não po­de­ria ser me­lhor. O Apart Ho­tel Ada­gio Cu­ri­ti­ba foi im­plan­tan­do no bair­ro do Ba­tel, uma área no­bre, pró­xi­mo de ba­res, res­tau­ran­tes, cen­tros co­mer­ci­ais e de com­pras, co­mo o Shop­ping Cu­ri­ti­ba e o Pá­tio Ba­tel. Além dis­so, pro­por­ci­o­na fá­cil aces-

so ao Cen­tro, aos pontos tu­rís­ti­cos de Cu­ri­ti­ba e ao ae­ro­por­to. O em­pre­en­di­men­to é ide­al pa­ra quem bus­ca os ser­vi­ços de um ho­tel e quer se sen­tir em ca­sa. “A mar­ca Ada­gio Apartho­tel tem co­mo pro­pos­ta ofe­re­cer ser­vi­ços de ho­tel com a pri­va­ci­da­de de uma ca­sa. Por es­se mo­ti­vo, os apar­ta­men­tos são equi­pa­dos com co­zi­nha, quar­to, sa­la e ba­nhei­ro. Além dis­so, os hós­pe­des po­dem re­ce­ber vi­si­tas em seu apar­ta­men­to, ter ani­mais de es­ti­ma­ção – o ho­tel é pet fri­en­dly – e ain­da con­tam com a pra­ti­ci­da­de de al­guns ser­vi­ços de ho­téis, co­mo ca­fé da ma­nhã, al­mo­ço, jan­tar e la­van­de­ria self-ser­vi­ce”, re­ve­la Oli­vi­er Hick, Vi­ce-Pre­si­den­te Exe­cu­ti­vo de Ope­ra­ções Mids­ca­le & Eco­nomy Ac­corHo­tels Bra­sil.

Se­gun­do ele, a es­co­lha por Cu­ri­ti­ba le­vou em con­si­de­ra­ção es­tu­dos e aná­li­ses do po­ten­ci­al da ci­da­de pa­ra es­te ti­po de hos­pe­da­gem. “O mu­ni­cí­pio é um po­lo re­gi­o­nal, é sede de gran­des em­pre­sas bra­si­lei­ras e sua re­gião me­tro­po­li­ta­na reú­ne po­los in­dus­tri­ais co­mo o au­to­mo­ti­vo, o que ge­ra uma de­man­da por hos­pe­da­gens de lon­ga per­ma­nên­cia. O pú­bli­co prin­ci­pal se­rá for­ma­do por mo­ra­do­res de ou­tras ci­da­des que irão à re­gião me­tro­po­li­ta­na de Cu­ri­ti­ba pa­ra tra­ba­lhar ou es­tu­dar, du­ran­te um pe­río­do su­pe­ri­or a 20 di­as, e que pre­ci­sam de ins­ta­la­ções si­mi­la­res a uma re­si­dên­cia. Exe­cu­ti­vos, re­cém­di­vor­ci­a­dos e es­tu­dan­tes são al­guns dos per­fis que Ada­gio Apartho­tel re­ce­be e que de­ve­rá hos­pe­dar em Cu­ri­ti­ba. Es­ta­mos com uma boa ex­pec­ta­ti­va em re­la­ção a per­for­man­ce des­se em­pre­en­di­men­to que é o 10° da mar­ca Ada­gio Apartho­tel no Bra­sil”, des­ta­ca Hick.

Pa­ra is­so, ele apon­ta os prin­ci­pais atri­bu­tos da mar­ca Adá­gio. Pra­ti­ci­da­de e au­to­no­mia: o gran­de di­fe­ren­ci­al da mar­ca é ofe­re­cer ser­vi­ços de ho­tel com a pri­va­ci­da­de de uma ca­sa. Os hós­pe­des po­dem re­ce­ber vi­si­tas no apar­ta­men­to, que con­ta com a es­tru­tu­ra ne­ces­sá­ria

pa­ra man­ter a pri­va­ci­da­de mes­mo em reu­niões de ami­gos ou de tra­ba­lho. Os apar­ta­men­tos da mar­ca pos­su­em uma co­zi­nha com­ple­ta com ge­la­dei­ra, mi­cro-on­das, pia, má­qui­na de la­var lou­ças e for­no de in­du­ção. As uni­da­des dis­po­ni­bi­li­zam tam­bém a lim­pe­za ge­ral do apar­ta­men­to uma vez por se­ma­na. Pa­ra es­ta­di­as aci­ma de 9 diá­ri­as, o hós­pe­de re­ce­be um kit de bo­as-vin­das com itens bá­si­cos pa­ra pre­pa­rar as pri­mei­ras re­fei­ções. Além dis­so, exis­te a la­van­de­ria self-ser­vi­ce.

Se­gu­ran­ça e pra­ti­ci­da­de

O apart-ho­tel con­ta com pro­fis­si­o­nais atu­an­do 24 ho­ras pa­ra man­ter a se­gu­ran­ça e o con­for­to dos hós­pe­des. Ofe­re­ce ser­vi­ço de TV a ca­bo e in­ter­net, o que fa­ci­li­ta pa­ra quem pre­ci­sa fi­car por um lon­go pe­río­do e não tem tem­po pa­ra so­li­ci­tar e aguar­dar a ins­ta­la­ção des­tes ser­vi­ços em um apar­ta­men­to alu­ga­do, por exem­plo. A lo­ca­li­za­ção pri­vi­le­gi­a­da agi­li­za o des­lo­ca­men­to, tan­to pa­ra reu­niões de ne­gó­ci­os co­mo pa­ra en­tre­te­ni­men­to. “So­ma­do a es­sas van­ta­gens, es­tão os des­con­tos pro­gres­si­vos pa­ra hos­pe­da­gens su­pe­ri­o­res a qua­tro di­as. Qu­an­to mais tem­po a pes­soa fi­car em um Ada­gio Apartho­tel, me­nor se­rá a ta­ri­fa diá­ria de sua es­ta­dia. Es­sa ini­ci­a­ti­va é in­te­res­san­te, por exem­plo, pa­ra um exe­cu­ti­vo que, de­vi­do a um pro­je­to lon­go, pre­ci­sa fi­car fo­ra de sua re­si­dên­cia por mais de uma se­ma­na”, con­cluiu Hick.

A Hel­bor, em­pre­sa de­di­ca­da à pro­mo­ção de In­cor­po­ra­ções Imo­bi­liá­ri­as, foi a res­pon­sá­vel pe­lo de­sen­vol­vi­men­to des­se pro­du­to e Car­los Keh­di, Di­re­tor de en­ge­nha­ria da em­pre­sa re­ve­la os de­sa­fi­os: “Eles es­ta­vam re­la­ci­o­na­dos com o pra­zo pa­ra exe­cu­ção dos tra­ba­lhos e com o cus­to fi­nal da im­plan­ta­ção. Co­mo nos­sas me­tas eram ar­ro­ja­das, pa­ra con­se­guir­mos vi­a­bi­li­zar o or­ça­men­to ini­ci­al, a con­tra­ta­ção da Pa­drão Ar­gil aca­bou de­mo­ran­do pa­ra se con­cre­ti­zar, o que es­pre­meu o cro­no­gra­ma de tra­ba­lho. Ape­sar da enor­me quan­ti­da­de de ele­men­tos de mar­ce­na­ria que com­pu­se­ram a im­plan­ta­ção do Ada­gio Cu­ri­ti­ba Ba­tel, a ex­per­ti­se da Pa­drão Ar­gil ga­ran­tiu o atin­gi­men­to das me­tas, o que vi­a­bi­li­zou a aber­tu­ra do ho­tel den­tro do pra­zo es­pe­ra­do. Es­se tra­ba­lho em par­ce­ria com a Pa­drão Ar­gil pas­sou por ex­ten­sa e de­ta­lha­da ava­li­a­ção e ne­go­ci­a­ção de pro­pos­tas, pa­drões e va­lo­res. Con­fir­mou nos­sa cren­ça de que nes­te mer­ca­do, a ex­pe­ri­ên­cia é fun­da­men­tal. O tra­ba­lho de im­plan­ta­ção ho­te­lei­ra apre­sen­ta enor­mes de­sa­fi­os que, quan­do re­a­li­za­do sem o com­ple­to do­mí­nio dos pro­ces­sos e das so­lu­ções, de­man­da­rá mui­to mais tem­po pa­ra ser de­sen­vol­vi­do, e cus­ta­rá mui­to mais ca­ro. Os cus­tos ain­da não es­tão com­ple­ta­men­te fe­cha­dos, mas já apon­tam pa­ra uma eco­no­mia

glo­bal, o que, se con­fir­ma­do, irá su­pe­rar nos­sas ex­pec­ta­ti­vas”, acre­di­ta Keh­di.

De­sa­fi­os da im­plan­ta­ção

O Di­re­tor da Pa­drão Ar­gil, Francisco San­tos re­ve­la que im­plan­tar es­se em­pre­en­di­men­to não foi ta­re­fa fá­cil, pois o pra­zo era bas­tan­te aper­ta­do e no iní­cio dos tra­ba­lhos hou­ve a gre­ve dos ca­mi­nho­nei­ros e os jo­gos da Co­pa do Mun­do de 2018. “Ti­ve­mos que fa­zer um pla­ne­ja­men­to bem de­ta­lha­do pa­ra ven­cer es­sas di­fi­cul­da­des den­tro de um aper­ta­do cro­no­gra­ma. Di­vi­di­mos nos­sas equi­pes ope­ra­ci­o­nais, pa­ra que tra­ba­lhás­se­mos em até três tur­nos diá­ri­os fo­ca­dos no pla­ne­ja­men­to, pro­du­ção, trans­por­te e exe­cu­ção. Pla­ne­ja­mos jun­to as trans­por­ta­do­ras, pa­ra que to­das as en­tre­gas em gran­des vo­lu­mes fos­sem re­a­li­za­das no pe­río­do do meio da tar­de em di­an­te. De­vi­do ao tran­si­to de fun­ci­o­ná­ri­os op­ta­mos por cus­to­mi­zar o tem­po de trans­por­te ver­ti­cal tra­ba­lhan­do nes­tes ho­rá­ri­os de bai­xa cir­cu­la­ção. Além des­te fa­tor, pla­ne­ja­mos pa­ra que nes­te em­pre­en­di­men­to não hou­ves­se des­car­ga e ar­ma­ze­na­gem de ma­te­ri­al, pois pra­ti­ca­men­te to­do ma­te­ri­al que che­ga­va já era pos­to em seu lo­cal de mon­ta­gem. A si­ner­gia com nos­sos par­cei­ros foi de fun­da­men­tal im­por­tân­cia. Eles en­ten­de­ram nos­sas ne­ces­si­da­des pa­ra al­can­çar os pra­zos de pro­du­ção, en­tre­ga e pos­te­ri­or­men­te mon­ta­gem. Tra­ba­lha­mos no li­mi­te, po­rém es­tá­va­mos se­gu­ros qu­an­to a con­fi­an­ça que te­mos em nos­sos for­ne­ce­do­res. Su­pe­ra­mos as ad­ver­si­da­des e con­se­gui­mos aten­der o pra­zo de en­tre­ga com um pro­je­to de al­ta tec­no­lo­gia e efi­ci­ên­cia de im­plan­ta­ção, tra­zen­do pa­ra o mer­ca­do um ex­tra­or­di­ná­rio em­pre­en­di­men­to ho­te­lei­ro”, res­sal­tou San­tos.

A si­ner­gia com a equi­pe de im­plan­ta­ção da Ac­corHo­tels foi de fun­da­men­tal im­por­tân­cia pa­ra as­se­gu­rar os pa­drões e ser­vi­ços da mar­ca Ada­gio. “Em to­dos os nos­sos no­vos pro­je­tos, nós da equi­pe de De­sign & Te­ch­ni­cal Ser­vi­ces, so­mos os res­pon­sá­veis por de­sen­vol­ver a As­ses­so­ria

Téc­ni­ca Ho­te­lei­ra, de ma­nei­ra a pro­mo­ver a oti­mi­za­ção e efi­ci­ên­cia de nos­sos ho­téis, com so­lu­ções ino­va­do­ras e sus­ten­tá­veis. Den­tro da nos­sa as­ses­so­ria, to­do o pla­ne­ja­men­to é re­a­li­za­do des­de a fa­se de pro­je­tos até a aber­tu­ra do em­pre­en­di­men­to, on­de te­mos uma aten­ção per­ma­nen­te às ten­dên­ci­as de mer­ca­do e o que de fa­to nos­sos cli­en­tes de­se­jam. A im­plan­ta­ção ho­te­lei­ra tem seu pa­pel fun­da­men­tal de con­tri­buir com to­da a at­mos­fe­ra dos es­pa­ços. Atra­vés do De­sign, so­ma­do às ca­rac­te­rís­ti­cas de ca­da uma de nos­sas mar­cas, cus­to­mi­za­mos ca­da pro­je­to e cri­a­mos to­da a am­bi­en­ta­ção, com a in­ten­ção de pro­por­ci­o­nar ex­pe­ri­ên­ci­as me­mo­rá­veis aos nos­sos cli­en­tes. As­sim foi fei­to no Ada­gio Cu­ri­ti­ba Ba­tel, que tam­bém por ser uma mar­ca com per­fil de aten­der pú­bli­co longs­tay, tra­zer a sen­sa­ção de ho­me­fe­e­ling é mui­to im­por­tan­te pa­ra que to­dos os nos­sos cli­en­tes se sin­tam mui­to bem aco­lhi­dos”, des­ta­ca Car­los Edu­ar­do Ro­dri­guez, Ge­ren­te de im­plan­ta­ção da Ac­corHo­tels.

Mo­der­na in­fra­es­tru­tu­ra

A mo­der­na edi­fi­ca­ção do ho­tel 100% não fu­man­te, con­ta com 117 apar­ta­men­tos, sen­do 22 apar­ta­men­tos pa­ra pes­so­as com mo­bi­li­da­de re­du­zi­da e 34 dos apar­ta­men­tos são pa­ra qua­tro pes­so­as ou mais. Pa­ra ma­xi­mi­zar o con­for­to dos hós­pe­des, ser­vi­ços adi­ci­o­nais são ofe­re­ci­dos, co­mo ca­ma adi­ci­o­nal no quar­to pa­ra cri­an­ça e ca­ma pa­ra be­bê. Os apar­ta­men­tos pos­su­em me­tra­gem que vão des­de 24 a 36 m2 e sua in­fra­es­tru­tu­ra com­pre­en­de: TV Smart 42’, com uma va­ri­a­da op­ção de ca­nais a ca­bo. De­pen­den­do da ca­te­go­ria do apar­ta­men­to, ele pos­sui so­fá, co­zi­nha com­ple­ta com mi­cro­on­das, fri­go­bar, co­ok­top, la­va-lou­ças, pa­ne­las e ta­lhe­res. Mas in­de­pen­den­te da ca­te­go­ria, os apar­ta­men­tos ofe­re­cem wi-fi gra­tui­to, me­sa de tra­ba­lho, co­fre e fe­cha­du­ra ele­trô­ni­ca, ar con­di­ci­o­na­do com con­tro­le au­to­má­ti­co do ar, mi­ni­bar, tá­bua e fer­ro de pas­sar rou­pa e cor­ti­nas da mar­ca VAG com te­ci­do em black-out pa­ra con­tro­la a ilu­mi­na­ção do am­bi­en­te. Nos ba­nhei­ros po­dem ser en­con-

tra­dos se­ca­do­res de ca­be­lo da mar­ca Kenby e vá­ri­os aces­só­ri­os for­ne­ci­dos pe­la Cris­moe.

A noi­te de so­no ou mes­mo o sim­ples des­can­so dos hós­pe­des é as­se­gu­ra­do pe­la ca­ma box mo­de­lo Mer­cu­re Well b. O pro­du­to pos­sui es­pu­mas de al­to pa­drão ga­ran­tin­do um mai­or con­for­to. Con­ta com o mo­le­jo Pos­tu­re One, um mo­le­jo que pos­sui mo­las que se fle­xi­o­nam de for­ma in­de­pen­den­te e com me­nor atri­to, pro­por­ci­o­nan­do mai­or du­ra­bi­li­da­de. So­ma­do a is­so, es­tá o tra­ta­men­to re­tar­dan­te a cha­ma e an­ti­mi­cro­bi­a­no, que ini­bi a ação de bac­té­ri­as e fun­gos. O en­xo­val de ca­ma e ba­nho é da li­nha Pro­fi­li­ne da Te­ka e is­so in­clui: to­a­lhas, len­çóis, fro­nhas, du­vets, ca­pas du­vets e pro­te­to­res.

A Uni­ca­sa, uma das prin­ci­pais in­dús­tri­as de mó­veis pla­ne­ja­dos da Amé­ri­ca La­ti­na, te­ve uma im­por­tan­te par­ti­ci­pa­ção na im­plan­ta­ção des­se em­pre­en­di­men­to, pois for­ne­ceu to­do o mo­bi­liá­rio. “Gra­ças a nos­sa es­tru­tu­ra pró­pria de pro­je­tos/ar­qui­te­tu­ra, equi­pe de mon­ta­gem es­pe­ci­a­li­za­da e al­tís­si­ma ca­pa­ci­da­de in­dus­tri­al con­se­gui­mos pro­du­zir e en­tre­gar to­do o mo­bi­liá­rio em ape­nas dez di­as e a mon­ta­gem de­man­dou 60 di­as. Es­se re­sul­ta­do só foi al­can­ça­do gra­ças a nos­sa si­ner­gia com a Pa­drão Ar­gil que de­mons­trou mui­ta es­pe­ci­a­li­za­ção e pro­fis­si­o­na­lis­mo, sen­do ca­paz de cum­prir o cro­no­gra­ma com o ní­vel de ex­ce­lên­cia es­pe­ra­do pe­lo cli­en­te. Nes­se em­pre­en­di­men­to ino­va­mos com o lan­ça­men­to de um pro­du­to úni­co que ele­va o seg­men­to de mo­bi­liá­rio no Bra­sil, a tec­no­lo­gia da bor­da a la­ser. O re­sul­ta­do é um ex­ce­len­te pa­drão de aca­ba­men­to que va­lo­ri­zou o pro­du­to e es­ta­mos ap­tos pa­ra im­plan­tar em ou­tros ho­téis no Bra­sil”, re­ve­lou Da­ni­el Za­no­na­to, Di­re­tor da di­vi­são Cor­po­ra­te & Ex­port da Uni­ca­sa.

Na área de gastronomia, o Ada­gio Cu­ri­ti­ba Ba­tel con­ta com um res­tau­ran­te com ad­mi­nis­tra­ção pró­pria ser­vin­do ca­fé da ma­nhã con­ti­nen­tal, ser­vi­ços de al­mo­ço e jan­tar com car­dá­pio di­ver­si­fi­ca­do en­tre cu­li­ná­ria bra­si­lei­ra e in­ter­na­ci­o­nal. A Schip­per foi a es­co­lhi­da pa­ra o for­ne­ci­men­to dos uten­sí­li­os e equi­pa­men­tos. As Ta­ças e Co­pos são da Ita­li­a­na Bor­mi­o­li Roc­co, os Pra­tos da Ar­co­roc (França), as Má­qui­nas de Ca­fé da fa­bri­can­te Ame­ri­ca­na Bunn e a co­zi­nha equi­pa­da com um mix dos me­lho­res uten­sí­li­os na­ci­o­nais e in­ter­na­ci­o­nais. A in­fra­es­tru­tu­ra do em­pre­en­di­men­to in­clui tam­bém la­van­de­ria, um loun­ge ex­ter­no mui­to acon­che­gan­te co­mo área de la­zer, aca­de­mia com mo­der­nos equi­pa­men­tos da mar­ca Li­fe Fit­ness e um Spa ter­cei­ri­za­do. Exis­tem três sa­las de reu­niões com

ta­ma­nho má­xi­mo de 32 m² e ca­pa­ci­da­de má­xi­ma pa­ra 10 dez pes­so­as ca­da, o que per­mi­te pe­que­nas reu­niões. Es­sas sa­las de reu­niões re­ce­be­ram mo­bi­liá­rio per­so­na­li­za­do de ten­dên­cia mo­der­na e re­sis­tên­cia ade­qua­da ao uso in­ten­so de am­bi­en­te ho­tel da em­pre­sa Le De­sign. Es­se mo­bi­liá­rio agre­gou de­sign, pra­ti­ci­da­de e con­cei­to pa­ra ou­tros am­bi­en­tes co­mo os apar­ta­men­tos, res­tau­ran­te e lobby.

A boa aco­lhi­da na re­cep­ção dos hós­pe­des e ani­mais de es­ti­ma­ção re­fle­te os ser­vi­ços di­fe­ren­ci­a­dos do ho­tel

Os apar­ta­men­tos são am­plos e con­tam com uma co­zi­nha bem equi­pa­da

As sa­las de even­tos são mui­to fun­ci­o­nais e con­tam com uma boa in­fra­es­tru­tu­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.